Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Betel e a Tradição de Jacó

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-3828/caminhando.v20n2p45-57

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CA 

downloadpdf

Cecilia Toseli1 & José A. Kaefer2

 

Resumo: Betel desempenha um importante papel na origem, preservação e transmissão de antigas tradições norte-israelitas, antes e depois da queda de Samaria. O núcleo da tradição de Jacó pode estar relacionado ao contexto de Betel no século 10º AEC, quanto à delimitação de fronteiras em Gilead e à fundação de santuários no território do que viria a ser Israel Norte. As histórias de Jacó foram transmitidas oralmente e, depois, postas por escrito, provavelmente na primeira metade do século 8º, no Reino do Norte. Após a queda de Samaria, refugiados norte-israelitas levam suas tradições para Jerusalém, onde as antigas histórias de Jacó são relidas, submetidas à tradição de Abraão e suplantadas pela tradição do Êxodo, que se torna o mito de fundação de todo Israel, norte e sul.

Palavras-chave: Betel; Jacó; arqueologia; tradições norte-israelitas.

 

Abstract: Bethel plays an important role in the origin, preservation and transmission of ancient Northern Israelite traditions, before and after the fall of Samaria. The core of Jacob’s tradition may be related to the context of Bethel in the 10th century BCE, concerning the delimitation of boundaries in Gilead and the foundation of sanctuaries in the territory of what was to become Northern Israel. The Jacob’s stories were transmitted orally and, later, written down, probably in the first half of the 8th century BCE, in the Northern Kingdom. After the fall of Samaria, northern israelites refugees lead their traditions to Jerusalem, where the old stories of Jacob are reread, submitted to the tradition of Abraham and supplanted by the Exodus’s tradition, which becomes the foundation myth of all Israel, North and South.

Key words: Bethel; Jacob; archaeology; northerntraditions.

 

1 Mestranda em Ciências da Religião no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião, área Linguagens da Religião, Universidade Metodista de São Paulo (Umesp). E-mail: cecilia.toseli@ig.com.br.
2 Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp), coordenador do grupo de pesquisa “Arqueologia do Antigo Oriente Próximo” (http://www.metodista.br/arqueologia).

  

Literatura Citada

BURNETT, J.S. “‘Going down to Bethel’: Elijah and Elisha in the Theological Geography of the Deuteronomistic History”. JBL, vol. 129, n. 2, p. 281-297, 2010.

FINKELSTEIN, I. “The campaign of Shoshenq I to Palestine. A guide to the 10th century BCE Polity. ZDPV, vol. 118, n. 2, p. 109-135, 2002.

FINKELSTEIN, I. “Saul, Benjamin and the emergence of ‘Biblical Israel’: an alternative view”. ZAW, vol. 123, Bd., S. 348-367, 2011.

FINKELSTEIN, I. O Reino esquecido: arqueologia e história de Israel Norte. Tradução de Silas Klein Cardoso e Élcio Valmiro Sales de Mendonça. São Paulo: Paulus, 2015.

FINKELSTEIN, I.; SILBERMAN, N.A. A Bíblia não tinha razão. Tradução de Tuca Magalhães. São Paulo: A Girafa, 2003.

FINKELSTEIN, I., SINGER-AVITZ, L. Reevaluating Betel, ZDPV 125 (2009) 1.

KAEFER, J.A. “O Êxodo como tradição de Israel Norte, sob a condução de El e Javé na forma de touro jovem”. Horizonte, Belo Horizonte, vol. 13, n. 38, abr-jun, p. 878-906, 2015. http://dx.doi.org/10.5752/p.2175-5841.2015v13n38p878

MATTHEWS, V.H. “Back to Bethel: geografical reiteration in biblical narrative”. JBL, vol. 128 , n. 1, p. 149-165, 2009.