Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Docência Administrada: Uma Análise Crítica da Autonomia do Professor

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v22n3p35-48

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Ivair F. de Amorim1

 

Resumo: O presente texto tem como objetivo apresentar dados, obtidos por ocasião do curso de doutoramento, que analisaram a autonomia docente frente à adoção de sistemas apostilados de ensino em escolas públicas municipais. Discorre sobre o conceito de autonomia adotado no trabalho, buscando esclarecer a compreensão kantiana do termo. Em seguida, apresenta os dados obtidos por meio de pesquisa empírica, que revela tanto características inerentes ao material apostilado quanto hábitos e posturas dos docentes ao utilizá-los. Os dados colhidos são, então, problematizados por meio do emprego da Teoria Crítica, mais especificamente, a partir dos conceitos de Indústria Cultural e de Sociedade Administrada. Por fim, propõe a reflexão acerca do conceito de Docência Administrada, com o intuito de realizar uma crítica fundamentada na possibilidade de autonomia docente frente a rígidos padrões de controle.

Palavras-chave: Indústria Cultural; Docência Administrada; Sistemas Apostilados de Ensino; Autonomia Docente.

 

Abstract: This text features data resulting for doctorate course, which analyzed the teacher’s autonomy in relation to adopting the Education Systems in municipal public schools. Its talks about autonomy concept used in the work which is Kant’s theory. Then it features data coming the empirical researches that revealed Education Systems’ characteristic and the teacher’s habits and behaviors that use them. The obtained data are problematized from the Critical Theory, especially, from the Cultural Industry and Administered Society concepts. Lastly it proposes reflect about Administered Teaching, with intent realizing one fundamentally critical in the possibility the teacher’s autonomy in relation to the hard standards of control.

Key words: Cultural Industry; Administered Teaching; Education Systems; Teacher’s Autonomy.

 

1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo ivairfernandesamorim@gmail.com

 

Literatura Citada 

ADORNO, Theodor W. A Indústria Cultural. In: COHN, G. (org.) Comunicação e Indústria Cultural: leituras de análise dos meios de comunicação na sociedade contemporânea e das manifestações da opinião pública, propaganda e “cultura de massa” nessa sociedade 4.ed. São Paulo: Nacional, 1987.

ADORNO, Theodor W; HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento. Tradução de GuidoAntonio de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar Editora, 1985.

AMORIM, Ivair Fernandes de. Indústria Cultural e Sistemas Apostilados de Ensino: A Docência Administrada. Araraquara: Universidade Estadual Paulista, 2012

AMORIM, Ivair Fernandes de. Reflexões Críticas sobre os Sistemas Apostilados: Uma Análise da Utilização de Apostilas em Escolas Públicas Municipais. 1. ed. Saarbrücken: NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS, 2014.

BRANDÃO, Carlos da Fonseca. Os processos de civilização e o controle das Emoções. Bauru, SP: Edusc, 2007.

DIONNE, Jean; LAVILLE, Christian. A Construção do Saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Tradução de Heloisa Monteiro e Francisco Settineri. Porto Alegre: Editora Artes Médicas; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

ELIAS, Norbert. A Sociedade dos Indivíduos. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 1994.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: o nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. 29. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2004.

FRACALANZA, Hilário; MEGID NETO, Jorge. O livro didático de Ciências: Problemas e Soluções. Ciência e Educação, v. 9, n.2, 2003.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, Prisões e Conventos. Trad. Dante Moreira Leite. São Paulo: Perspectiva, 1974.

HELLER, Agnes. O Cotidiano e a História. Trad. Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. 4 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1970.

HELLER, Agnes. Sociologia de la vida cotidiana. 4 ed. Barcelona: Península, 1994.

KANT, Immanuel. Resposta à pergunta: Que é “esclarecimento”? (Aufklãrung). In: KANT, Immanuel. Textos seletos. Tradução de Floriano de Sousa Fernandes; Raimundo Vier. 3. ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2005.

LAPASSADE, Georges. Grupos, Organizações e Instituições. 3 ed. Trad. Henrique Augusto de Araújo Mesquita. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1989.

MARCUSE, Herbert. A Ideologia da Sociedade Industrial. Tradução de Giasone Rebuá. 6. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

MARCUSE, Herbert. Eros e Civilização. Tradução de Álvaro Cabral. São Paulo: Círculo do Livro S/A, 1966.

SAFATLE, Vladimir. Adorno e a crítica da cultura como estratégia da crítica da razão. In: Artefilosofia. Ouro Preto, n.7, p. 21-30, out.2009.