Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Indiferença Civil e Infância: Uma Análise da “Frieza Burguesa” em Relação às Crianças

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v22n3p61-74

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Magali Reis1

 

Resumo: Este estudo consiste em analisar a indiferença civil em relação às crianças, em duas escolas municipais da região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, as quais acolhem crianças a partir dos 6 anos de idade. A ideia de aprofundar os estudos sobre a indiferença civil em relação às crianças decorreu de duas pesquisas anteriores, as quais foram retomadas aqui, possibilitando entender o caminho percorrido por este estudo. Há uma relativa profusão de pesquisas que demonstram a exclusão das diferenças na escola, no entanto, as situações de subordinação social persistem, o que indica a necessidade de estudos que coloquem em evidência os processos de formação de um modo específico de conceber a moral social apoiada na “frieza burguesa” (Bürgerliche kälte). Esse fenômeno, em razão da indiferença civil, manifesta-se nas práticas e rituais escolares, levando à dessensibilização concomitantemente à imposição das desigualdades educacionais. Os resultados da pesquisa sobre a moral fria indicam que inúmeras situações cotidianas de conflito são experimentadas na educação, nas quais a indiferença é transmitida aos alunos desde os anos iniciais de escolarização, em meio às contradições entre a proposição de educar-ensinar-formar na perspectiva da universalização do conhecimento e as desigualdades de condições objetivas de oportunidades educacionais.

Palavras-chave: Crianças; Infâncias; Teoria Social Crítica; Frieza Burguesa; Indiferença Civil.

 

Abstract: This study is to analyze the civil indifference to children in two public schools in the metropolitan region of Belo Horizonte, Minas Gerais, which receive children of 6 years old and more. The idea of deepen the studies on civil indifference towards children came from two previous researches, which are taken up here, allowing understand the path taken by this study. There is a relative abundance of research demonstrating the exclusion of differences in school, however, the situations of social subordination persist, which indicates the need for studies that put in evidence the processes of formation of a particular way of conceiving social morality supported by the “bourgeois coldness” (bürgerliche kälte). This phenomenon, due to the civil indifference, is manifested in school practices and rituals, leading to desensitization concomitantly to the imposition of educational inequalities. Research results regarding the cold moral indicate that numerous everyday situations of conflict are experienced in education, in which indifference is transmitted to students since the early years of schooling, amid the contradictions between the proposition to educate-teach-form in the perspective of knowledge universalization and unequal objective conditions of educational opportunities.

Key words: Children; Childhoods; Social Critical Theory; Bourgeois coldness; Civil indifference.

 

1 PUC Minas magali_reis@pucminas.br

 

Literatura Citada 

ADORNO, T., HORKHEIMER, M. Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos, 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

ADORNO, Theodor. Negative Dialektik. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1990.

ADORNO, Theodor. Teoria da Semicultura. Educação e Sociedade. Ano XVII, n. 56, 1996.

BENJAMIN, W. Gesammelte Schriften. Ed. R. Tiedemann, H. Schweppenhäuser. Frankfurt am Main, Suhrkamp-Taschenbuch Wissenschaft, 1991, v. VI.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e Método: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Tradução Flávio Paulo Meurer, 2. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1998.

GADAMER, Hans-Georg. Hermenêutica em retrospectiva. Tradução de Marco Antônio Casanova. Petrópolis: Vozes, 2007.

GRUSCHKA, Andreas; et al. Bürgerliche Kälte und Gesellschaft. Pädagogische Korrespondenz. Heft 18, 1996, S. 49-72.

GRUSCHKA, Andreas; et al. Negative Pädagogik: Einführung in die Pädagogik mit Kritischer Theorie. Frankfurt: Büchse der Pandora, 2004.

GRUSCHKA, Andreas; et al. Frieza Burguesa e Educação: A Frieza como mal-estar moral da cultura burguesa na educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2014.

KRAIMER, Klaus (2000). Die Fallrekonstruktion. Sinn-Verstehen in der sozialwissenschaften Forschung. Frankfurt/Main: Suhrkamp Taschenbuch.

OEVERMANN, Ulrich (1981). Fallrekontruktion und strukturgeneralisierung. Frankfurt/M. Download-Datei: http://www.rz.uni-frankfurt.de/~hemeneu .

OEVERMANN, Ulrich (1986). Kontroverse über sinnverstehende Soziologie. Einige wiederkerende Problema und Missverständnisse in der Rezeption der “objektiven Hemeneutik”. In.: Aufenanger und Lensen (HG). Handlung und sinnstruktur. Bedeutung und Anwendung der objektiven Hemeneutik. München.

PFLUGMACHER, Torsten. Empirische Rekonstruktionen zu erziehendem Unterricht. Belo Horizonte: PUC Minas, 2010 (Texto digital).

PUCCI, Bruno. A Dialética Negativa enquanto metodologia de pesquisa em educação: atualidades. Revista e-Curriculum (PUCSP), v. 8, p. 1-24, 2012.

PUCCI, Bruno; COSTA, Belarmino C.; DURÃO, Fábio A. (Org.) Teoria Crítica e Crises: reflexões sobre Cultura, Estética e Educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

VILELA, Rita Amélia Teixeira. Críticas e possibilidades da educação e da escola na contemporaneidade: lições de Theodor Adorno para o currículo. Educação em Revista [on-line]. 2007, n. 45, p. 223-248.

VILELA, Rita Amélia Teixeira. Teoria Crítica e pesquisa empírica: metodologia hermenêutica objetiva na investigação da escola contemporânea. In: PUCCI, Bruno; ZUIN, Antonio Álvaro; LASTORIA, Luiz Antônio C. N. (Org.), 2010. Teoria Crítica e Inconformismo. Novas perspectivas de pesquisa. São Paulo: Autores Associados, 2011.

VILELA, Rita Amélia Teixeira; NOACK-NAPOLIS, Juliane (2010). “Hermenêutica Objetiva” e sua aplicação na pesquisa empírica em educação. Linhas Críticas. Brasília, DF, v. 16, n. 31, p. 305-326, jul/dez, 2010.

WELLER, Wivian. Aportes hermenêuticos no desenvolvimento de metodologias qualitativas. Linhas Críticas (on-line), v. 16, p. 287-304, 2010.