Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Da Instrumentalização à Emancipação: Uma Abordagem da Inovação em Política e Gestão Educacional pela Teoria Crítica

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v22n3p103-123

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacao 

downloadpdf

Darlan M. Delgado1

 

Resumo: O presente ensaio aborda o tema da inovação em política e gestão educacional, fazendo um breve resgate histórico do surgimento da inovação no campo da educação. Verifica-se que o fenômeno da inovação nas políticas e nos instrumentos de gestão educacional foi condicionado por determinantes de natureza econômica e sob a tutela do tecnicismo pedagógico. O objetivo central do estudo é discutir a migração da inovação do mundo da produção e do campo da economia para a dimensão da cultura e campo da educação para, então, oferecer uma proposta de compreensão da inovação educacional a partir de uma perspectiva crítico-emancipatória. Tal proposta está fundamentada nas contribuições teórico-metodológicas da primeira geração da Teoria Crítica da Sociedade e inspirada no mito de Prometeu, a partir da tragédia grega de Ésquilo. Para tanto, adota-se o tradicional formato ensaístico e as contribuições de Theodor Adorno e de Max Horkheimer para realizar a crítica imanente à concepção economicista de inovação educacional e esboçar os pressupostos de inovações educacionais voltadas à emancipação e à autonomia intelectual do indivíduo.

Palavras-chave: Política educacional; Administração da educação escolar; Inovação; Teoria Crítica da Sociedade.

 

Abstract: This study approaches innovation in politics and educational management subjects, giving a historical review of the emergence of innovation in the field of education. It can be seen that the phenomenon of innovation in politics and the instruments of educational management was conditioned by determinants of economical nature and under the tutelage of pedagogical technicality. The main purpose of this study is to discuss the migration from the world of production and the field of economy to the scope of culture and the field of education and, then, to show a proposal of educational innovation understanding from a critical-emancipatory perspective. Such a proposal is based on the theoretical-methodological contributions from the first generation of the Critical Theory of Society and inspired by the myth of Prometheus, from the Greek tragedy of Aeschylus. Therefore, it adopts the traditional essayistic format and the contributions of Theodor Adorno and Max Horkheimer to perform the immanent critic to the economicist conception of educational innovation and sketch the assumptions of educational innovations for the emancipation and intellectual autonomy of the individual.

Key words: Educational Politics; Administration of School Education; Innovation; Critical Social Theory.

 

1 CEETEPS-UFSCar darlandelgado@terra.com.br

 

Literatura Citada 

ADORNO, Theodor W. Teoria da semiformação. In: PUCCI, Bruno; ZUIN, Antônio Soares; LASTÓRIA, Luiz A. Calmon Nabuco (Org.). Teoria crítica e inconformismo: nas perspectivas de pesquisa. Campinas, SP: Autores Associados, 2010 (Coleção educação contemporânea).

ADORNO, Theodor W. Dialética negativa. Tradução de Marco Antonio Casanova; Revisão técnica de Eduardo Soares Neves Silva. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.

ADORNO, Theodor W. Teoria estética. Tradução de Artur Mourão. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2006.

ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. Tradução de Wolfgang Leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 1995.

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos, 2. ed. Tradução de Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1986.

CARBONELL, Jaume. A aventura de inovar: a mudança na escola. Tradução de Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2002.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA – CNI (Brasil). Mapa estratégico da indústria: 2007-2015. Brasília: CNI, 2005, 121 p.

ÉSQUILO. Prometeu acorrentado. In: SÓFOCLES; ÉSQUILO. Rei Édipo. Antígone. Prometeu acorrentado: tragédias gregas. Prefácio, tradução e notas de J. B. Mello e Souza. Rio de Janeiro: Ediouro, 1998. (Coleção universidade de bolso).

GARCIA, Walter E. (Coord.). Inovação educacional no Brasil: problemas e perspectivas, 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 1995 (Coleção educação contemporânea).

GOLDBERG, Maria Amélia Azevedo. Inovação educacional: a saga de sua definição. In: GARCIA, Walter E. (Coord.). Inovação educacional no Brasil: problemas e perspectivas, 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 1995 (Coleção educação contemporânea).

GOLDBERG, Maria Amélia Azevedo; FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Inovação educacional: um projeto controlado por avaliação e pesquisa. São Paulo: Cortez & Moraes: Fundação Carlos Chagas, 1980 (Coleção educação universitária).

GRUSCHKA, Andreas. Escola, didática e indústria cultural. In: DURÃO, Fabio Akcelrud; ZUIN, Antonio; VAZ, Alexandre Fernandez (Org.). A indústria cultural hoje. São Paulo: Boitempo, 2008.

HERNÁNDEZ, Fernando et al. Aprendendo com as inovações nas escolas. Tradução de Ernani Rosa. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

HORKHEIMER, Max. Eclipse da razão, 7. ed. Tradução de Sebastião Uchoa Leite. São Paulo: Centauro, 2007.

HORKHEIMER, Max. Teoria tradicional e teoria crítica. In: BENJAMIN, Walter et al. Textos escolhidos. São Paulo: Abril Cultural, 1983 (Os pensadores).

HUBERMAN, Alan Michael. Como se realizam as mudanças em educação: subsídios para o estudo do problema da inovação, 2. ed. Tradução de Jamir Martins. São Paulo: Cultrix, 1973.

KANT, Immanuel. Textos seletos: edição bilíngue, 2. ed. Tradução de Raimundo Vier, Floriano de Sousa Fernandes. Petrópolis, RJ: Vozes, 1985.

MACBRIDE, Robert. The automated state: computer systems as a new force in society. Philadelphia: Chilton Book Company, 1967.

MESSINA, Graciela. Mudança e inovação educacional: notas para reflexão. Tradução de Isolina Rodriguez Rodriguez. Cadernos de Pesquisa, n. 114, p. 225-233, nov./2001.

PINDYCK, Robert S.; RUBINFELD, Daniel L. Microeconomia, 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

SCHUMPETER, Joseph Alois. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. Tradução de Maria Silvia Possas. São Paulo: Abril Cultural, 1982 (Os economistas).

STOKES, Donald E. O quadrante de Pasteur: a ciência básica e a inovação tecnológica. Tradução de José Emílio Maiorino. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2005 (Clássicos da Inovação).

TÜRCKE, C. Sociedade excitada: filosofia da sensação. Tradução de Antonio A. S. Zuin, Fábio A. Durão, Francisco C. Fontanela e Mário Frungillo. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2010.

WEBER, Max. A ética protestante e o “espírito” do capitalismo. Tradução de José Marcos Mariani de Macedo; revisão técnica, edição de texto, apresentação, glossário, correspondência vocabular e índice remissivo de Antônio Flávio Pierucci. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.