crosscheckdeposited

Implicações nutricionais da colheita de erva-mate: estudo de caso na região sudoeste do Paraná1

DOI: http://dx.doi.org/10.13086/2316-980x.v01n02a03

http://www.enflo.com.br 

downloadpdf

Eleandro J. Brun2, Flávia G. K. Brun3, Carlos C. Mezzalira4 & Taciana Frigotto4

 

Resumo: Avaliou-se a biomassa e nutrientes acumulados nas árvores e as implicações nutricionais da colheita da biomassa de um povoamento de erva-mate implantado na região sudoeste do Paraná. O povoamento era composto por 173 árvores, com idade de oito anos, plantado em espaçamento de 2 m x 2 m, com mudas seminais produzidas em saco plástico e o plantio foi realizado em covas e sem adição de nutrientes. Foram escolhidas aleatoriamente, cinco árvores, as quais foram cortadas rente ao solo, tendo sua biomassa separada nas frações: tronco (madeira + casca), galhos grossos (diâmetro > 1 cm), galhos finos (diâmetro ≤ 1 cm) e folhas, avaliando, com essas duas últimas frações, a porção aproveitável na indústria ervateira. Os teores de nutrientes nas frações foram determinados nas amostras compostas das cinco árvores. A biomassa úmida total alcançou 55,05 Mg ha-1, com folhas (20,0%), galhos finos (11,4%), galhos grossos (14,6%) e tronco (54,1%). A biomassa seca total alcançou 21,81 Mg ha-1, com folhas (20,5%), galhos finos (12,0%), galhos grossos (14,9%) e tronco (52,6%). Os maiores teores de nutrientes ocorreram nas folhas (exceto para P) e galhos finos, sendo o N o de maior teor para ambas as frações citadas. A produtividade do talhão estudado foi considerada média, com 12,07 Mg ha-1 ou 804,7 arrobas ha-1 para 80% das frações economicamente aproveitáveis (folhas e galhos finos), situação para a qual a colheita é recomendada, pelo menor impacto nutricional.

Palavras-chave: biomassa, nutrientes, espécie nativa, Ilex paraguariensis A.St.-Hil.

 

Abstract: We assessed the biomass and nutrients accumulated in trees and the nutritional implications of biomass harvesting from a mate plantation in the southwestern region of Paraná State, Brazil. The plantation comprised 173 trees, at eight years of age, planted in 2 m x 2 m spacing, with seminal seedlings produced in plastic bags and the planting was carried out in groves with no nutrients added. We randomly chose five trees that were cut low to the ground and their biomass was separated into fractions: trunk (wood + bark), thick branches (diameter > 1 cm), fine branches (diameter ≤ 1 cm) and leaves, and the last two fractions were evaluated regarding their use in the mate industry. The nutrient contents in the fractions were determined in samples from the five trees. The total moist biomass reached 55.05 Mg ha-1, with leaves (20.0%), fine branches (11.4%), thick branches (14.6%) and trunk (54.1%). The total dry biomass reached 21.81 Mg ha-1, with leaves (20.5%), fine branches (12.0%), thick branches (14.9%) and trunk (52.6%). The highest nutrient contents occurred in the leaves (except for P) and fine branches, and N had the greatest content for both fractions. The site productivity was considered average, with 12.07 Mg ha-1 or 804.7 arrobas ha-1 for 80% of economically usable fractions (leaves and fine branches), a situation for which the harvesting is recommended due to the least nutritional impact.

Key words: biomass, nutrients, native species, Ilex paraguariensis A.St.-Hil.

 

1 Recebido em 19.05.2013 e aceito para publicação como artigo científico em 07.10.2013
2 Engenheiro Florestal, Dr., Professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Dois Vizinhos, Estrada para Boa Esperança, km 4, Dois Vizinhos-PR, CEP: 85660-000. E-mail: <eleandrobrun@utfpr.edu.br>
3 Engenheira Florestal, Dra., Professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Dois Vizinhos, Estrada para Boa Esperança, km 4, Dois Vizinhos-PR, CEP: 85660-000. E-mail: <flaviag@utfpr.edu.br>
4 Acadêmicos do curso de Engenharia Florestal da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Dois Vizinhos. Bolsistas de Iniciação Científica

 

Literatura Citada

BERGER, G. Biomassa e nutrientes em plantios de erva mate (Ilex Paraguariensis A. St.-Hil.), no município de Nova Prata, RS. 2006, 93 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria. 2006.

CALDEIRA, M. V. W.; SCHUMACHER, M. V.; PEREIRA, J. C. Acúmulo de biomassa aérea em um povoamento de Acacia mearnsii. Boletim de Pesquisa Florestal. Embrapa Florestas, Colombo, PR, n. 42, p. 83-92, 2001.

CAMPOS, M. A. S. Balanço de biomassa e nutrientes em povoamentos de Ilex paraguariensis. Avaliação na safra e na safrinha. 118 f. 1991. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal). Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 1991.

CARVALHO, P. E. R. Espécies Arbóreas Brasileiras. Embrapa Informações Tecnológicas; Colombo, PR: Embrapa Floresta, 2003. 1039 p.

CORRÊA, S.; KIST, B. B. Anuário Brasileiro da Erva-Mate, 2000. Santa Cruz do Sul: Gazeta Grupo de Comunicações. 2000. 80 p.

DA CROCE, D. M.; FLOSS, P. A. Cultura da Erva-Mate no Estado de Santa Catarina. Florianópolis: EPAGRI, 1999. 81 p. (Boletim Técnico,100).

EMBRAPA-CNPS. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 2. ed. Rio de Janeiro: Embrapa, Serviço de Produção da Informação. 2006. 306 p.

FLEIG, F. D. Morfometria e quantificação da biomassa comercial e residual da poda de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.) em reflorestamentos. 2002. 140 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

INSTITUTO AGRONOMICO DO PARANÁ - IAPAR. Sistema de Monitoramento Agroclimático do Paraná. Disponível em: www.iapar.br. Acesso em: 27/02/2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura – 2011. Brasília: IBGE. 2011. 53 p.

LARCHER, W. Ecofisiologia Vegetal. São Carlos: Rima, 2000. 531 p.

MARENCO, R. A.; LOPES, N. F. Fisiologia Vegetal: Fotossíntese, respiração, relações hídricas e nutrição mineral. Viçosa: UFV. 451 p. 2005.

MEDRADO, M. J. S.; VILCAHUAMAN, L. J. M. Cultivo da erva-mate. 2. Ed. Colombo: Embrapa Florestas. 2010. Disponível em: http://www.cnpf.embrapa.br. Acesso em 25/08/2013.

RADOMSKI, M. I. et al., Tannin and total content of N, P, K, Ca, Mg, Fe, Mn, Cu, Zn, Al, B and Si, in Maytenus ilicifolia Mart. leaves. WOCMAP II. Mendoza:Argentina, p.318, 1992.

REISSMANN, C. B.; ROCHA, H. O.; KOEHLER, C. W.; CLADAS, R. L. S.; HILDEBRAND, E. E. Bio-elementos em folhas e hastes de erva-mate (Ilex paraguaiensis St Hil) sobre cambisolos na região de Mandirituba-PR. Revista Floresta, v. 14, p. 49- 54. 1983.

REISSMANN, C. B.; RADOMSKI, M. I.; QUADROS, R. M. B. Chemical composition of Ilex paraguariensis St. Hil. Under different management conditions in seven localites of Paraná State. Brazilian Archives of Biology and Technology, Curitiba, v. 42, n. 2, p. 187- 194, 1999.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO – COMISSÃO DE QUÍMICA E FERTILIDADE DO SOLO (SBCS-CQFS). Manual de adubação e calagem para os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 10 ed. Porto Alegre: SBCS. 2004, 400 p.

PARANÁ - SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DO PARANÁ (SEAB) – DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL. Produtos Florestais – Análise da Conjuntura Agropecuária. Curitiba: SEAB/DERAL. 2012. 17 p.

TEDESCO, M. J.; GIANELLO, C.; BISSANI, C. A.; BOHNEN, H.; VOLKWEISS, S. J. Análise de solo, plantas e outros materiais. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 1995. 118p. (Boletim Técnico nº 5).

WOLF, C. S. Estimativa da exportação de nutrientes foliares em diferentes tipos de poda na cultura da erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.). 2005. 77 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba.