Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Durabilidade Natural da Madeira de Quatro Espécies Florestais em Ensaios de Deterioração em Campo

DOI: http://dx.doi.org/10.12953/2177-6830.v04n01a09

http://www.ufpel.tche.br/revistas/index.php/cienciadamadeira/index 

downloadpdf

Janaína de N. Corassa1, Patrícia A. R. Castelo1, Diego M. Stangerlin1 & Iris C. Magistrali2

 

Resumo: Este trabalho objetivou avaliar a durabilidade natural da madeira de quatro espécies florestais, para que possam ser indicadas ou não, em situações de utilização em contato com o solo, para o uso em construção e estruturas de suporte, ou ainda em outras aplicabilidades, onde haja riscos de danos ocasionados por fatores abióticos e bióticos. Para isso, foram utilizadas toras de quatro espécies florestais da região Norte Matogrossense, com base na disponibilidade das mesmas e principalmente no interesse comercial de madeiras para ambientes externos. As espécies utilizadas foram: Tectona grandis (teca), Azadaractina indica (nim), Inga sp. (ingá), Bagassa guianensis (tatajuba). As toras dessas espécies foram submetidas aos ensaios de deterioração em campo ao longo de 18 meses e, ao final avaliou-se o percentual de perda de massa e o índice de deterioração da madeira. Dentre as espécies estudadas a madeira de Azadirachta indica foi a que apresentou melhores resultados, por outro lado, a madeira de Bagassa guianensis foi a que apresentou os piores resultados, tanto para o índice de deterioração quanto para a perda de massa. A massa específica não é o principal fator que agrega durabilidade natural à madeira, porém o teor e o tipo de extrativos são fatores que contribuem.

Palavras-chave: biodeterioração da madeira, simulador de campo, perda de massa, índice de deterioração

 

Abstract: This paper evaluates the natural durability of four wood species, so that they can be indicated or not, in situations of use in contact with the ground, the use in buildings and frame structures, or even in other applicability where there damage risks caused by biotic and abiotic factors. For this, was used four wood species from the north of the state of Mato Grosso, based on their availability, and especially in the commercial interest of woods for outdoors structures. The species used were: Tectona grandis (teca), Azadaractina indica (nim), Inga sp. (ingá), Bagassa guianensis (tatajuba). Samples of the wood were exposed in field trials over 18 months and at the end was evaluated the percentage of mass loss and index decay. Among the species studied the Azadirachta indica wood showed the best results, however, the Bagassa guianensis wood showed the worst results for both the decay index as for mass loss. The density is not the main factor that adds natural durability of wood, but the content and type of extractives are contributing factors.

Key words: biodeterioration of wood, field simulator, mass loss, decay index

 

1 Engenheiro Florestal/ Professor Adjunto do Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais, Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT – Sinop, janadenadai@gmail.com, patyrigatto@gmail.com, diego_stangerlin@yahoo.com.br
2 Engenheira Florestal/ Doutoranda da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ – Seropédica, irismagistrali@gmail.com

 

Literatura Citada

APRILE, F.M.; DELITTI, W.B.C.; BIANCHINI JR., L. Aspectos cinéticos da degradação de laminados de madeira em ambientes aquático e terrestre. Revista Brasileira de Biologia, Rio de Janeiro, v. 59, n. 3, p. 485-492, 1999.

ARAÚJO, L.V.C.; RODRIGUEZ, L.C.E.; PAES, J.B. Características físico-químicas e energéticas da madeira de nim indiano. Scientia Florestalis, Piracicaba, n. 57, p. 153-159, 2000.

CAVALCANTE, M.S. Métodos para aumentar a durabilidade da madeira. Boletim da Associação Brasileira de Preservadores de Madeira, São Paulo, n. 36, p. 159-170, 1985.

GALVÃO, A.P.M. A durabilidade da madeira tratada e a eficiência de preservativos avaliados através de ensaios de campo primeira avaliação. IPEF, Piracicaba, n. 4, p.15-22, 1972.

JESUS, M.A.; MORAIS, J.W.; ABREU, R.L.S. Durabilidade natural de 46 espécies de madeira amazônica em contato com o solo em ambiente florestal. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 54, p. 81-92, 1998.

LEPAGE, E.S. Química da madeira. In: LEPAGE, E.S. (Coord.). Manual de preservação de madeiras. São Paulo, Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, 1986. p. 69-97.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Nativas do Brasil. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 1992. 352 p.

MELO, R. R.; STANGERLIN, D. M.; SANTINI, E. J.; HASELEIN, C. R.; GATTO, D. A. SUSIN, F. Durabilidade natural da madeira de três espécies florestais em ensaios de campo. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 20, n 2, p. 357-365, 2010.

MENDES, A.S.; ALVES, M.V.S. A degradação da madeira e sua preservação. Brasília: IBDF/LPF, 1988. 57 p.

PAES, J.B.; MORAIS, V.M.; LIMA, C.R.; SANTOS, J.C. dos. Resistência natural de nove madeiras do semiárido brasileiro a fungos xilófagos em simuladores de campo. Revista Árvore, Viçosa, v. 33, n. 3, p. 511-520, 2009.

PANSHIN, A.J.; DE ZEEUW, C. Text book of wood technology. 4. ed. New York: Mc Graw Hill, 1980. 722p.

PÊGAS, M.R.A. Resistência natural de nove espécies de madeiras ao ataque de Coptotermes gestroi (Wasmann, 1896) (Isoptera: Rhinotermitidae). 2007. 24 f. Monografia (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2007.

SANTOS, E. Nossas Madeiras. Belo Horizonte: Itatiaia, 1987. 133p.

TREVISAN, H. Degradação natural de toras e sua influência nas propriedades físicas e mecânicas da madeira de cinco espécies florestais. 2006. 56 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

TREVISAN, H.; MARQUES, F.M.T.; CARVALHO, A.G. Degradação natural de toras de cinco espécies florestais em dois ambientes. Revista Floresta, Curitiba, v. 38, n. 1, p. 33-40, 2008.

VIVIAN, M.A. Resistência biológica da madeira tratada de Eucalyptus grandis e Eucalyptus cloeziana em ensaios de laboratório e campo. 2011. 105 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.

WALKER, J.C.F. Primary wood processing: principles and practice. Dordrecht: Springer, 2006. 596p.