Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Qualidade de Mel Produzido sob a Influência do Agronegócio Convencional e Agroecológico

DOI: http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v17n4p433-439

http://rbpaonline.com/ 

downloadpdf

Maria E. J. de Oliveira1, Rafael P. Vieira2 & Sandra R. M. Gherardi3

 

Resumo: A busca por uma alimentação saudável vem levando consumidores a introduzir em sua dieta alimentos naturais, livres de contaminação e que venham a conferir bem estar ao seu organismo. Com isso o presente trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade do mel proveniente de diferentes origens de produção para análises físico-químicas e do potencial antioxidante.Foram utilizadas 6 amostras de mel multiflorais de abelhas africanizadas provenientes de 2 estados diferentes da região centro-oeste do país, Goiás e Mato Grosso. As amostras foram coletadas em 3 pontos distintos das propriedade totalizando 18 amostras. As analises foram feitas em triplicata no laboratório de físico-química do Instituto Federal Goiano Campus Urutaí. Foram realizadas as análises físico-químicas de: sólidos solúveis totais (ºBrix), umidade (%), índice de Os teores de umidade variaram de 15,6% à 19%, estando dentro dos parâmetros exigidos pela legislação vigente no Brasil. Já para teores de sólidos solúveis totais os resultados variaram de 79% a 82,5%. Para índice de refração os resultados variaram de 1,489 a 1,4975. Quanto ao potencial antioxidante os resultados variaram de 33,12% a 85,43%.De acordo com as análises físico-químicas realizadas todos os méis em questão estão de acordo com os padrões exigidos pela legislação. A pesquisa e as análises mostram que o mel tem amplo uso, é constituído em sua maior parte por açúcares, possui um alto valor nutricional e compostos que lhe conferem propriedades funcionais, entre elas, a atividade antioxidante, que também varia conforme o tipo de florada, região e clima.

Palavras-chave: Agrotóxicos; potencial antioxidante; transgênicos.

 

Abstract: The search for healthy eating has led consumers to enter in your diet natural, free food contamination and that will give well-being to your body. Thus the present study was to evaluate the quality of honey from different sources of production for physical and chemical analysis and antioxidant potential. We used 6 samples multiflorais honey Africanized bees from two different states of the center-west of the country, Goias and Mato Grosso. The samples were collected in three different points of the property totaling 18 samples. The analyzes were done in triplicate in physical chemistry laboratory of the Federal Institute Goiano Campus Urutaí. The physical and chemical analyzes were performed for: total soluble solids (° Brix), humidity (%), moisture content The index ranged from 15.6% to 19% and is within the parameters required by law in Brazil. As for total soluble solids content results varied from 79% to 82.5%. For refractive index results varied from 1.489 to 1.4975. As for the antioxidant potential results ranged from 33.12% to 85.43% .According to the physicochemical analyzes all the honeys in question are in accordance with the standards required by law. The research and analysis show that honey has widespread use, consists mostly of sugars, has a high nutritional value and compounds that confer functional properties, including, antioxidant activity, which also varies with the type of bloom , region and climate.

Key words: Pesticides; antioxidant potential; transgenics.

 

1 Graduada em Tecnologia em Alimentos. Instituto Federal Goiano - Rua 88, nº310, Setor Sul, CEP 74085-010, Goiânia, Goiás. Caixa Postal 50. Fone: 55 (62) 3605-3601/3602 | Fax: 55 (62) 3605-3603/3604. email: sandragherardi@gmail.com.
2 Graduado em Tecnologia de Alimentos. Pós Graduando em Docência Universitária. Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí - Rodovia Geraldo Silva Nascimento Km 2,5. CEP 75790-000 - Urutaí - Goiás - Brasil. Fone/Fax: (64) 3465-1900. E-mail: rafaelportovieira18@gmail.com.
3 Docente no Instituto Federal Goiano Campus Urutaí. Doutoranda em Ciências da Saúde. Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí - Rodovia Geraldo Silva Nascimento Km 2,5. CEP 75790-000 - Urutaí - Goiás - Brasil. Fone/Fax: (64) 3465-1900. E-mail: sandragherardi@gmail.com

  

Literatura Citada

Aljadi, A. M.; Kamaruddin, M. Y. Evaluation of the phenolic contents and Antioxidant capacities of two Malaysian floral honeys. Food Chemistry, v. 85, n. 4, p.513–518, may., 2004.

Barth, O. M. Análise polínica de mel: avaliação de dados e seu significado. Revista Mensagem Doce, n.81, Maio, 2005.

Bastos de Maria, C. A. e Moreira, R. F. A. Resumo: Mono- e Oligossacarídeos no Mel. Mensagem Doce. São Paulo, SP, n.61, maio de 2001.

Bayma, A. B. Perfil sensorial e instrumental de méis silvestres de abelhas africanizadas (Apismellifera) das cinco Mesorregiões do Estado do Maranhão. 2008. 123p. Tese (Doutorado em Ciência e Tecnologia dos Alimentos) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, Rio de Janeiro, 2008.

Bertoncelj, J., Doberška, U., Jamnik, M.; Golob, T. Evaluation of Phenolic Content, Antioxidant Activity and Colour of Slovenian Honey, Food Chemistry, v. 105, p.822-828, 2007.

Borguini, R. G.Avaliação do potencial antioxidante e de algumas características físico-químicas do tomate. São Paulo, 2006(Lycopersiconesculentum) orgânico em comparação ao convencional.Tese (doutorado em Saúde Pública) - Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

Brand-Wiliams, W.; Cuvelier, M.E.; Berset, C. Use of a free radical method to evaluate antioxidant activity. Food Science and Technology, v.28, p.25-30. 1995.

Brasil. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa 11, de 20 de outubro de 2000, Regulamento técnico de identidade e qualidade do mel. Disponível em: < http://extranet.agricultura.gov.br/sislegis-consulta/servlet/VisualizarAnexo?id=1690>. Acesso em: 12 de jan.2014.

Buratti, S.; Benedetti, S.; Cosio, M. S. Evaluation of the antioxidant power of honey, propolis and royal jelly by amperometric flow injection analysis. Talanta, Amsterdam, v. 71, p. 1387-1392, 2007.

Carvalho, C. A. L.; Marchini, L. C. Teixeira, G. M. et al. Características físico-químicas de amostras de méis da Bahia. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE APICULTURA, 12. 1998. Salvador. Anais... Salvador - BA: CBA/FAABA, 1998. p.200.

Chitarra, M.I.F.; Chitarra, A.B. Pós-colheita de frutos e hortaliças: fisiologia e manuseio. Lavras: Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão; 1990.

Evangelista, R, A.; Silva, E. M. S.da; Beserra, M.F.; Rodrigues, M. L. Análise físico– química de méis das abelhas Apismellifera e Melípona Scutellaris produzidos em duas regiões no Estado da Paraíba. Ciência Rural, Santa Maria, v. 35, n. 5, p. 1166- 1171, set- out, 2005.

Gutteridge, J. M. C.; Halliwell, B. Free radicals and antioxidants in aging and disease: fact or fantasy. In: Antioxidants in 131 nutrition, health, and disease. Oxford, UK: Oxford University Press, 1994.

MAeterlinck, M. A vida das abelhas. 1ª ed. Sao Paulo: Martin Claret, 2001, 159 p.

Marchini, L. C. Caracterização de amostras de méis de Apismellifera L. 1758 (Hymenoptera: Apidae) do estado de São Paulo, baseada em aspectos físico-químicos e biológicos. Tese de livre docência - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”,Universidade de São Paulo, Piracicaba, São Paulo, 2001.

Marchini, L. C.; Geni, S.S.; Moreti, A. C. de C. C. Mel Brasileiro: Composição e normas. Ribeirão Preto: A. S. Pinto, 2004. 111p.

Marchini, L. C.; Moreti, A. C. de C. C.; Otsuk, I. P. Análise de agrupamento, com base na composição físico-química, de amostras de méis produzidos por Apismellifera L. no estado de São Paulo. Ciência e Tecnologia de Alimentos. Campinas, v. 25, n. 1, p. 8 – 17, jan./mar. 2005.

Moreira, R. F. A.; Maria, C. A. B. Glicídios no mel. Química Nova, v. 24, n. 4, p. 516- 525, 2001.

Pittella, C., Martins; Determinação de resíduos de agrotóxicos em mel de abelhas (Apissp) por cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas, 2009. 118 p. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) – Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, 2009.

Pontes, M., Marques; J.; Camara, J. Screening of volatile composition from Portuguese multifloral honeys using headspace solid-phase microextraction-gas. 2008.

Sampaio, M. CBA lança campanha para aumentar o consumo do mel no Brasil. 2010. Disponível em: <http://www.agrosoft.org.br/agropag/214518.htm>Acesso em: 10 de janeiro. 2014.

Silici, S.; Sagdic, O.; Ekici, L. Total phenolic content, antiradical, antioxidant and antimicrobial activities of Rhododendron honeys. Food Chemistry, v. 121, n. 1, p. 238–243, jul. 2010.

Vargas, T. Avaliação da Qualidade do mel produzido na região dos Campos Gerais da Paraná. 2006. 148f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa.