Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Entre a Bricolagem Moderna e o Hibridismo Pós-Colonial: Um Caso de Religiosidade Amazônica

DOI: http://dx.doi.org/10.18328/2179-0019/plura.v6n2p69-99

http://www.abhr.org.br/plura/ojs/index.php/plura/index 

downloadpdf

Emerson S. da Silveira1 & Dayana Dar’c e S. da Silveira2

 

Resumo: A partir de um caso de religiosidade na Amazônia Oriental – uma mulher anciã dotada de poderes espirituais de cura –, o presente artigo discute algumas implicações conceituais do uso de determinadas terminologias. Qual o alcance hermenêutico dos termos bricolagem moderna e hibridismo pós-colonial na análise de um caso de intenso intercâmbio religioso-espiritual? Articulamos o estudo de caso às leituras teóricas e percebemos que a expressão empírica das vivências religiosas populares necessita de um novo quadro semântico para ampliar sua compreensão, um quadro que pode ser construído pelas Ciências da Religião.

Palavras-chave: Religiosidade amazônica. Bricolagem. Hibridismo. Curadora.

 

Abstract: From a case of religiosity in eastern Amazon – an old woman endowed with spiritual powers of healing –, this Paper discusses some conceptual implications of the use of certain terminologies. How far can the terms “modern bricolage” and “postcolonial hybridism” hermeneutically reach in the analysis of a case of intense religious-spiritual exchange? We have articulated the case study with some theoretical readings and we have noticed that the empirical expression of popular religious experiences need a new semantic framework to broaden its understanding, a framework that can be built by the Sciences of Religion.

Key words: Amazonian Religiosity. Bricolage. Hybridism. Shaman woman.

 

1 Doutor em Ciência da Religião. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais. E-mail: emerson.pesquisa@gmail.com
2 Mestranda em Ciência da Religião. Bolsista CAPES. Programa de Pós-Graduação em Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais. E-mail: darc.dayana@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

ANUÁRIO DO PARÁ. Jornal Diário do Pará, V. 1, n 1, Belém, 2010, p. 59.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

CANCLÍNI, Néstor García. Culturas hibridas: estrategias para entrar y salir de la modernidad. Buenos Aires: Sudamericana, 1992.

COELHO, Teixeira. Culturas híbridas. In: __________. Dicionário crítico de política cultural: cultura e imaginário. São Paulo: Fapesp; Iluminuras, 1997.

COUTO, Valentino Dolzane do. Perfil sócio-econômico-cultural de um município do Salgado, Colares. Trabalho de conclusão (Especialização em Técnico Cultural). Universidade Federal do Pará, 1991.

CHAMPION, Fraçoise. La Nébuleuse Mystique-Ésotérique: Orientations psychoreligieuses des courants mystiques et ésotériques contemporains. In: __________.; HERVIEU-LÉGER, Danièle (Eds.). De L’émotion en Religion: Renouveaux et traditions. Paris: Centurion, 1990, p. 17-68.

FERRETTI, Mundicarmo M. Rocha. Rei da Turquia, o Ferrabrás de Alexandria? A importância de um Livro na Mitologia do Tambor de Mina. In: MOURA, C. E. M. de (Org.). Meu Sinal está no Teu Corpo. Escritos sobre a religião dos orixás. São Paulo: Edicom/Edusp, 1989, p. 202-218.

FERRETTI, Sergio F. Encantaria Maranhense de Dom Sebastião. Revista Lusófona de Estudos Culturais/Lusophone Journal of Cultural Studies, Vol. 1, n.1, 2013, p. 262-285.

FERRETTI, Sergio F. Repensando o turco no tambor-de-mina. Afro-Ásia, Salvador, n. 15, 1992, p. 56-70.

FERRETTI, Sergio F. Querebentã de Zomadônu: etnografia da Casa das Minas. São Luís: EDUFMA, 1996.

FERRETTI, Sergio F. Encantaria de Barba Soeira: Codó, capital da magia negra? São Paulo: Siciliano, 2001.

FRANZ, Boas. The religion of the Kwakiutl. Contributions to Anthropology. Vol. X. Nova Iorque: Columbia University, 1930.

GALVÃO, Eduardo. Santos e visagens: um estudo da vida religiosa de Itá, Baixo Amazonas. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1976.

GIESE, Daniel Rebisso. Vampiros extraterrestres na Amazônia. Belém: Falangola, 1991.

GRUZINSKI, Serge. O pensamento mestiço. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

HALL, Stuart. Fundamentalismo, diáspora e hibridismo. In: _____. A identidade cultural na pós-modernidade. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 1999.

HERVIEU-LÉGER, Danièle. Bricolage Vaut-il Dissémination? Quelques réflexions sur l’opérationnalité sociologique d’une métaphore problématique. Social Compass, vol. 5, n. 23, 2005, p. 295-308.

HERVIEU-LÉGER, Danièle. O Peregrino e o Convertido: a religião em movimento. Petrópolis: Vozes, 2008.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O Pensamento Selvagem. 12. ed. Campinas: Papirus, 2014.

LUCKMANN, Thomas. The Structural Conditions of Religious Consciousness in Modern Societies. Japanese Journal of Religious Studies, n. 6, 1979, p. 121-137.

MAUÉS, Raymundo Heraldo. A Ilha Encantada: medicina e xamanismo numa comunidade de pescadores. Belém: UFPA, 1990.

MAUÉS, Raymundo Heraldo. Padres, pajés, santos e festas: catolicismo popular e controle eclesiástico. Belém: Cejup, 1995.

MOREIRAS, Alberto. Hibridismo e consciência dupla. In: _____. A exaustão da diferença: a política dos estudos culturais latino-americanos. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001.

PIMENTEL, Alberto. História do culto de Nossa Senhora. Lisboa: Imprensa Acadêmica COÍMBRA, 1899.

PINTO, Sérgio Victor Saraiva. Colares, a ilha do sol: um encanto na Amazônia. Belém: [s.n.], 2010.

PRANDI, Reginaldo. A dança dos caboclos: uma síntese do Brasil segundo os terreiros afro-brasileiros. In: MAUÉS, Heraldo; VILLACORTA, Gisela Macambira (Orgs.). Pajelanças e Religiões Africanas na Amazônia. Belém: EDUFPA, 2008, p. 31-50.

PRANDI, Reginaldo. Nas pegas dos Voduns: um terreiro de Tambor-de-minas em São Paulo. In: MOURA, Carlos Eugênio (Org.). Somavó, o amanhã nunca termina. São Paulo: Empório de Produção, 2005, p. 63-94.

MOTTA-MAUÉS, Maria Angélica. “Trabalhadeiras” e “Camarados”: relações de gênero, simbolismo e ritualização numa comunidade amazônica. Belém: UFPA, 1993.

SOUZA, Laura de Mello. O diabo e a terra de Santa Cruz: feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

SOUZA, Marina de Mello. Reis Negros no Brasil escravista: história da festa de coroação do Rei Congo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

TINHORÃO, José Ramos. Os negros em Portugal. Lisboa: Editorial Caminho S/A, 1988.

VILLACORTA, Gisela M. “As mulheres do pássaro da noite”: pajelança e feitiçaria na região do salgado (Nordeste do Pará). Dissertação (Mestrado em Antropologia). Universidade Federal do Pará, Belém, 2000.

VILLACORTA, Gisela M. Rosa Azul: uma xamã da Amazônia. Tese (Doutorado em Antropologia). Universidade Federal do Pará, Belém, 2011.