Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Modelos Estatísticos para Estimativa do Volume de Árvores de Parkia gigantocarpa Ducke, em Plantios Experimentais em Mato Grosso

DOI: http://dx.doi.org/10.14583/2318-7670.v04n01a01

http://www.ufmt.br/nativa 

downloadpdf

Dirceu L. C. de Miranda1,2*, Thuany B. Angelin1, Gerson dos S. Lisboa3, Fernando da Silva2, Débora M. Gouveia2, Tiago M. Condé4 & Cristina S. da Silva3

 

Resumo: Os modelos estatísticos são fundamentais para a estimativa dos volumes das árvores e consequentemente para o planejamento das empresas florestais. O objetivo do estudo foi testar e selecionar modelos estatísticos para a estimativa do volume individual de árvores da espécie fava barriguda (Parkia gigantocarpa Ducke) em plantios no estado do Mato Grosso. Foram utilizadas 30 árvores de um plantio experimental. As árvores tiveram seus volumes rigorosos determinados pelo método de Smalian. Foram testados oito modelos lineares, sendo dois obtidos pelo processo stepwise - forward. Para avaliar a precisão dos modelos foram utilizados o coeficiente de determinação ajustado (R2aj), o erro-padrão da estimativa (Syx %), valor de F, valor ponderado dos escores estatísticos (VP) e análise gráfica dos resíduos. Para a estimativa do volume total, os melhores modelos apresentaram R2aj acima de 0,92 e erros-padrão abaixo de 12%, ao passo que para o volume comercial, esses valores foram de 0,62 e 26% respectivamente. Os modelos obtidos por meio do procedimento Stepwise geraram as estimativas mais precisas.

Palavras-chave: alometria, ajuste de equações, volumetria, Amazônia.

 

Abstract: Statistical models are essential for the estimate of volumes of trees and therefore for the planning of forestry companies. The aim of this study was to test and select statistical models for estimating the individual volume of trees of fava barriguda species (Parkia gigantocarpa Ducke) in plantations in Mato Grosso State, Brazil. Thirty trees originated from an experimental plantation were used. Trees had their rigorous volumes determined by Smalian method. Eight linear models were tested, where two were obtained by stepwise-forward process. In order to assess the accuracy of the models, adjusted coefficient of determination (R2aj.), standard error of estimate (Syx %), F value, weighted value of statistical scores (WV) and graphical analysis of waste were used. Regarding the estimate of the total volume, the best models showed R2aj above 0.92 and standard errors below 12%, whilst these values were 0.62 and 26%, respectively, with regard to the commercial volume. The models obtained by the Stepwise procedure have generated more accurate estimates.

Key words: allometry, adjustment of equations, volumetry, Amazon.

 

1 Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais, Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, Mato Grosso, Brasil.
2 PPG em Ciências de Florestas Tropicais, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, Amazonas, Brasil.
3 Departamento de Engenharia Florestal, Universidade Federal do Piauí, Bom Jesus, Piauí, Brasil.
4 Departamento de Engenharia Florestal, Universidade Estadual de Roraima, Rorainópolis, Roraima, Brasil
* E-mail: mirandaufmt@hotmail.com

 

Literatura Citada

ABRAF - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRODUTORES DE FLORESTAS PLANTADAS. Anuário 2013. 2013, 146p.

BRASIL. Ministério de Minas de Energia: Departamento Nacional da produção mineral. Projeto RADAM Brasil. Folhas sc. 21. Juremo: Geomorfologia, pedologias, vegetação e uso potencial da terra. Rio de Janeiro: 1980. 460 p. (Levantamento de Recursos Naturais, v. 20).

COLPINI, C.; TRAVAGIN, D. P.; SOARES, T. S.; MORAES, S. V. S. Determinação do volume, do fator de forma e da porcentagem de casca de árvores individuais em uma Floresta Ombrófila Aberta na região noroeste de Mato Grosso. Acta Amazônica, Manaus, v. 39 n.1, p. 97-104, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0044-59672009000100010

CUNHA, U. S. Dendrometria e Inventário Florestal: Série Técnica adaptada para atender ao Módulo de Dendrometria e Inventário no curso Técnico em Manejo Florestal. EAF - Manaus, 2004, 53p.

DRAPER, N. R.; SMITH, H. Applied regression Analysis. 2aed. New York: John Wiley & Sons Inc; 1980. 709p.

DRESCHER, R. Crescimento e produção de Tectona grandis Linn F., em povoamentos jovens de duas regiões do Mato Grosso - Brasil. 2004. 133 f. Tese (Doutorado do Programa de Pós- Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, 2004.

FONSECA, F. H. Agenda Estratégica do Setor de Florestas Plantadas. Câmara Setorial de Silvicultura, [s.l.],[s.n.]Brasília. 2009. 36p.

GOMES, J. M.; CARVALHO, J. O. P.; SILVA, M. G.; NOBRE, D. N. V.; TAFFAREL, M. F.; JOSUÉ, E. R.; SANTOS, R. N. J. Sobrevivência de espécies arbóreas plantadas em clareiras causadas pela colheita de madeira em uma floresta de terra firme no município de Paragominas na Amazônia brasileira. Acta Amazônica, Manaus, v. 40, n. 1, p. 171-178, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0044-59672010000100022

MACHADO, S. A.; AGUIAR, L. P.; FIGUEIREDO FILHO, A.; KOEHLER, H. S. Modelagem do volume do povoamento para Mimosa scabrella Benth. na região metropolitana de Curitiba. Árvore, Viçosa, v. 32, n. 3, p. 465-478, 2008. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622008000300009

MACHADO, S. A.; CONCEIÇÃO, M. B.; FIGUEIREDO, D. J. Modelagem do volume individual para diferentes idades e regimes de desbaste em plantações de Pinus oocarpa. Revista Ciências Exatas e Naturais, Guarapuava, v. 4, n. 2, p. 185-197, 2002.

MACHADO, S. A.; FIGUEIREDO FILHO, A. Dendrometria. 1. ed. Curitiba: 2003. 309p.

MIGUEL, E. P. Avaliação biométrica e prognose da produção de Eucalyptus urophylla (S.T. Blake) na região norte do Estado de Goiás. 2009. 165 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal). Setor de Ciências Agrárias - Universidade Federal do Paraná, 2009.

MIRANDA, M. C.; CASTELO, P. A. R.; MIRANDA, D. L. C.; RONDON, E. V. Propriedades físicas e mecânicas da madeira de Parkia gigantocarpa Ducke. Ciência da Madeira, Pelotas, v. 3, n. 2, p. 55-65, 2012. http://dx.doi.org/10.12953/2177-6830.v03n02a09

OLIVEIRA, M. L. R.; SOARES, C. P. B.; SOUZA, A. L.; LEITE, H. G. Equações de volume de povoamento para fragmentos florestais naturais do município de viçosa, Minas Gerais. Árvore, Viçosa, v. 29, n. 2, p. 213-225, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622005000200005

OLIVEIRA, A. K. M.; RIBEIRO, J. W. F.; PEREIRA, K. C. P.; RONDON, E. V.; BECKER, T. J. A.; BARBOSA, L. A. Superação de dormência em sementes de Parkia gigantocarpa (Fabaceae – Mimosoidae). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 22, n. 3, p. 533-540, 2012. http://dx.doi.org/10.5902/198050986620

PAULA, J. E.; ALVES, J. L. H. Madeiras nativas: Anatomia, dendrologia, dendrometria, produção e uso. Brasília, 1997, 543p. R Development Core Team, 2011. R: A Language and Environment for Statistical Computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria, http://www.R-project.org.

RONDON, E. V. Economia: Empaer apresenta em Sinop espécies pesquisadas para reflorestamento. Só Notícias; 2011. Disponível em: <http://www.sonoticias.com.br/noticia/economia/empaerapresenta-em-sinop-especies-pesquisadas-para-reflorestamento>.Acesso em 31 jul. 2015.

SANQUETTA, C. R.; WATZLAWICK, L. F.; DALLA CORTE, A. P.; FERNANDES, L. A. V. Inventários florestais: planejamento e execução. 2ª ed., 2009. 307 p. SFB - SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO. Florestas do Brasil em Resumo, 2013. 188 p.

SILVA, J. N. M.; CARVALHO, J. O. P.; LOPES, J. C. A.; CARVALHO, M. S. P. Equações de volume para a floresta nacional do tapajós. Boletim de Pesquisa Florestal, v. 8/9, p. 50-63, 1984. SPURR, S.H. 1952. Forestry inventory. Ronald Press, New York. 476p.

THAINES, F.; BRAZ, E. M.; MATTOS, P. P.; THAINES, A. A. R. Equações para estimativa de volume de madeira para região da bacia do Rio Ituxi, Lábrea, AM. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, v. 30, n. 64, p. 283-289, 2010. http://dx.doi.org/10.4336/2010.pfb.30.64.283

THIERSCH, A. Eficiência das distribuições diamétricas para prognose da produção de Eucalyptus camaldulensis. 1997. 155 f. Dissertação (Mestrado em engenharia florestal) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 1997.

THOMAS, C.; ANDRADE, C. M.; SCHNEIDER, P. R.; FINGER, C. A. G. Comparação de equações volumétricas ajustadas com dados de cubagem e análise de tronco. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 16, n. 3, p. 319-327, 2006.

TONINI, H.; ARCO-VERDE, M. F.; SÁ, S. P. P. Dendrometria de espécies nativas em plantios homogêneos no Estado de Roraima - Andiroba (Carapa guianensisAubl), Castanha-do-Brasil (Bertholletia excelsa Bonpl.), Ipê-roxo (Tabebuia avellanedae Lorentz ex Griseb) e Jatobá (Hymenaea courbaril L.). Acta Amazônica, Manaus, v. 35, n. 3, p. 353-362, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0044-59672005000300008

UNG, C.H.; OUELLET, D. Stand volume tables: application to black spruce stands of Lebel-sur-Quévillon. Forestry Chronicle, Canadá, v. 67, n. 6. p. 712-715, 1991. http://dx.doi.org/10.5558/tfc67712-6