Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Academias de Ginástica de Fortaleza: Uma Análise dos Padrões de Higiene e Segurança

DOI: http://dx.doi.org/10.15602/1983-9480/cmrs.v17n35p51-59

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ipa/index.php/RS/index 

downloadpdf

Gustavo P. Reinaldo1, Camila B. de A. Silva2, Keyte K. A. Domingues3, Ana V. B. de A. Silva4 & Adriano C. C. Loureiro5

 

Resumo: Este trabalho tem como objetivo averiguar as condições de higiene e segurança de academias da cidade de Fortaleza e analisar os riscos provocados no âmbito destes estabelecimentos. Para isto, houve a aplicação de um relatório, tendo como referência o relatório utilizado pela Vigilância Sanitária de Fortaleza. Foram observadas as instalações, máquinas, vestiários, áreas comuns, limpeza geral do ambiente, acessibilidade, proteção contra incêndios, primeiros socorros e recursos humanos. Em geral, os estabelecimentos analisados estão fora dos padrões mínimos exigidos com relação à higiene e segurança.

Palavras-chave: Academias. Higiene. Segurança. Inspeção.

 

Abstract: The aims of this study were to investigate the conditions of hygiene and security of gyms of Fortaleza, analyzing the risks associated within these places. For this, a report was made; the report used resembles Health Surveillance of Fortaleza’s report. Has been observed the facilities, machines, locker rooms, common areas, cleaning up of the environment, accessibility, fire protection, first aid and human resources. In general, the establishments analyzed were outside of the minimum standards required in relation to health and safety.

Key words: Gyms. Hygiene. Security. Inspection.

 

1 Graduando em Fisioterapia pelo Centro Universitário Metodista – IPA.
2 Graduada em Educação Física pela Universidade Estadual do Ceará. Mestranda do Programa de Pós-graduação em - Saúde Coletiva - PPSAC/UECE.
3 Escola de Ensino Fundamental e Médio Polivalente Modelo de Fortaleza.
4 Graduanda de Farmácia pala Universidade de Fortaleza-CE.
5 Mestrado em Ciências Fisiológicas (UECE). Doutorado em Biologia/Fisiologia (UFRJ).

 

Literatura Citada

BRASIL. Senado Federal. Estatuto da Pessoa com Deficiência. 6ª Edição. Brasília, 2006.

BOUDENS, E. Academias de lutas e de artes marciais. Caderno de Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados. Educação, Desporto, Bens Culturais, Diversões e Espetáculos Públicos. Brasília, p. 5, 2002.

CATTASSINI, L. 25% das academias de SP ‘escondem’ irregularidades. Jornal Sertão 24 horas. São Paulo, 7 fev. 2010.

CONFEF. Estatuto do Conselho Federal de Educação Física. Publicado no DO. nº 237 , Seção 1, p. 137 - 143, 13 dez. 2010.

CUNHA, A. C. L. da. Os conteúdos físico-esportivos no lazer em academias: atividade ou passividade. 1995. p.11. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação). UNICAMP – Faculdade de Educação Física. São Paulo.1995.

CUNHA, A. C. L. da. Os conteúdos físico-esportivos no lazer em academias: atividade ou passividade. In. MARCELLINO, Nelson Carvalho. Academias de ginástica como opção de lazer. Revista Brasileira Ciência e Movimento, Brasília, v. 11, n. 2, p. 50, jun. 2003.

FORTALEZA. Anexo à Portaria n º 20/2004 da Secretaria Municipal de Saúde de 26 de março de 2004. Roteiro de inspeção para estabelecimentos prestadores de serviços na área da atividade física, desportiva e similares. Diário Oficial do Município, Fortaleza, nº 12.798, p. 12-15, 26 de março de 2004.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Disponível em <http://www.censo2010.ibge.gov.br >. Acesso em: 13 abr. 2013.

KMITA, S. F.; PORTICH , P.; LEAL, A.; GUIMARÃES, L. B. de M. Estudo ergonômico para o dimensionamento de um academia de musculação e ginástica. Rio Grande do Sul, UFRGS, 2001.

LARANA, J.; ESPINOZA, F. S. da. Consumidores Satisfeitos, e Então? Analisando a Satisfação como Antecedente da Lealdade. Revista de Administração Contemporânea. Curitiba, v. 8, n. 2, abr./jun. 2004.

LOBATO, G.; MAGENTA, M. ; AMARAL, R. do . Deficientes utilizam academias sem adaptação em São Paulo. Folha de São Paulo. São Paulo, 24 out. 2008.

MEURER, S. T.; CASTRO, M. R. T. de. A inserção de pessoas com deficiencia física nas academias da cidade de Santa Maria. Revista Digital Efdeportes. Buenos Aires, Ano 13, n° 122, Julho de 2008. Disponível em http://www.efdeportes.com/efd122/a-insercao-de-pessoas-com-deficienciafisica-nas-academias.htm. Acesso em 14 de abr. 20013.

OLIVEIRA, D. T. R. de. Critérios para avaliação das academias de ginástica: Uma questão de política pública. 1997. Monografia (Graduação) - Faculdade de Educação Física – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1997.

PEREIRA , A. E. da S.; NOBRE, G. C.; FERREIRA, M. N. dos S.; SOUSA, M. do S. C.. O Contingente profissional de Educação Física e a demanda de praticantes na modalidade de musculação nas academias de ginástica de Juazeiro do Norte-Ce. In: II Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte Nordeste de Educação Tecnológica. João Pessoa, p. 2, 2007.

PORTAL EDUCAÇÃO, Colunista do. Principais Normas Regulamentadoras –Segurança do Trabalho. Portal Educação. 3 abr. 2013.

RODRIGUES, B.; MACHADO, C. R.; LIMA, J. C. da P. de; ANNES, V.; FARIAS, E. de. Nível de acessibilidade á cadeirantes em empresas fitness no RJ em relação à escala de Vidor. Rio de Janeiro, 2006. Disponível em http://www.edvaldodefarias.com/acessibilidadeemacademias.pdf. Acesso em 14 abr. 2013.

RUFINO, V. S. ; SOARES, L. F. da S.; SANTOS, D. L. dos. Caracteristicas de frequentadores de academias de ginastica do Rio Grande do Sul. Revista Kinesis, Santa Maria, v. 26 , n. 22, p. 57 – 68, Jul./Dez. 2000.

SANTOS, D. R. A responsabilidade jurídica por lesões em atividade física nas academias de ginástica. Jornal de Medicina do Exercício. Rio de Janeiro, 2003.

SANTOS, A. A. M. dos; VEROTTI, M. P.; SANMARTIN, J. A.; MESIANO, E. R. A. B.. Importância do álcool no controle de infecções em serviços de saúde. Revista de Administração em Saúde, São Paulo, v. 4, n. 16, p.11-12, jul-set. 2002.

TOSCANO, J. J. de O. Academia de ginástica: um serviço de saúde latente. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v.9, n.1, p.40-42, jan. 2001.

TOTARO, Patrícia. O piso certo para cada ambiente da academia. Portal Gestão Fitnnes. São Paulo, 8 abri 2013.