Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Effect of time of day and type of shading on the physiological responses of crossbred calves in tropical environment

DOI: http://dx.doi.org/10.14269/2318-1265.v01n01a02

http://www.jabbnet.com/ 

downloadpdf

Patrícia O. Lima1, João B. F. Souza Jr1, Renata N. Lima1, Francisca C. S. Oliveira1, Hérica G. T. Domingos1, Patrícia Tholon2 & Maria V. F. G. Miranda1

 

Abstract: Many studies report the relationship between adverse environmental conditions and damage yield, especially in dairy cows. However, studies about the effects of environment on young animals, especially calves of mixed breed are rare. Were studied the effects of day time and type of shading on physiological responses of crossbred calves in a tropical environment. Twenty-four ½ Holstein and WDB (without defined breed) calves were identified in two nursery facilities; one provided with natural shading and the other provided with artificial shading by fiber cement tile. In both facilities, air temperature, wind speed, and black globe temperature were recorded between 7 am to 4 pm to calculate the radiant thermal load. Physiological responses (rectal temperature and respiratory rates) were measured in the morning and in the afternoon. The natural shade provided less thermal comfort because of higher radiant thermal load, especially in the afternoon. The crossbred calves showed higher rectal temperature and respiratory rate than WDB calves in both periods of day and in both nursery facilities, with the highest values recorded under natural shade. Calves of different genotypes respond differently in hot environments, should be to test in future research another types of trees to verify their thermal quality.

Key words: Bos taurus, nursery facility, physiological responses, thermal environment

 

Resumo: Muitos estudos relatam a relação entre as condições ambientais adversas e danos aos rendimentos, especialmente em vacas leiteiras. No entanto, os estudos sobre os efeitos do ambiente sobre os animais jovens, especialmente bezerros mestiços são raros. Foram estudados os efeitos da hora do dia e tipo de sombreamento sobre as respostas fisiológicas de bezerros mestiços em um ambiente tropical. Vinte e quatro bezerros ½ Holandês e 24 SPRD (sem padrão de raça definida) foram distribuídos em dois tipos de bezerreiro, um com sombreamento natural e outro com sombreamento artificial promovido por telha de fibrocimento. Em ambas as instalações, a temperatura do ar, velocidade do vento e temperatura de globo negro foram registradas das 7 às 16 horas para compor o calculo da carga térmica radiante. As respostas fisiológicas (temperatura retal e frequência respiratória) foram aferidas na parte da manhã e na parte da tarde. O sombreamento natural forneceu menor conforto térmico, por apresentar temperatura e carga térmica radiante mais elevada, principalmente no período da tarde. Os bezerros ½ Holandês apresentaram temperatura retal e frequência respiratória mais alta que os SPRD nos dois horários e em ambas as instalações, sendo que no bezerreiro com sombreamento natural ocorreram as maiores médias. Bezerros de diferentes genótipos respondem de forma diferente em ambientes quentes, tornando necessária a realização de estudos nesta mesma linha para testar outros tipos de árvores com o intuito de verificar a qualidade térmica das mesmas.

Palavras-chave: ambiente térmico, bezerreiro, Bos taurus, respostas fisiológicas

 

1 Department of Animal Sciences, Federal University of Semi-Arid (UFERSA), Mossoró, RN, Brazil. email: renatalima_16@msn.com
2 Embrapa Pecuária Sudeste, São Carlos, SP, Brazil

 

Literatura Citada

Abreu PG, Abreu VMN, Costa OAD (2001) Avaliação de Coberturas de Cabanas de Maternidade em Sistema Intensivo de Suínos Criados ao Ar Livre (Siscal), no Verão. Revista Brasileira de Zootecnia 30:1728-1734. doi

Bianca W (1963) Rectal temperature and respiratory rate as indicators of heat tolerance in cattle. Journal of Agricultural Science 60:113-120. doi

Campos OF, Oliveira JS, Lizieire RS, Silveira MI, Rodrigues AA (1992) Uso de abrigos como alternativa para os bezerreiros convencionais. Revista Brasileira de Zootecnia 21:954-967.

Cunha DNFV, Campos OF, Pereira JC, Pires MFA, Lizieire RS, Martuscello JA. (2007a) Desempenho, variáveis fisiológicas e comportamento de bezerros mantidos em diferentes instalações: época chuvosa. Revista Brasileira de Zootecnia 36:847-854. doi

Cunha DNFV, Campos OF, Pereira JC, Pires MFA, Lizieire RS, Martuscello JA (2007b). Desempenho, variáveis fisiológicas e comportamento de bezerros mantidos em diferentes instalações: época seca. Revista Brasileira de Zootecnia 36:1140-1146. doi

Dukes HH (1996) Fisiologia dos animais domésticos. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, Brasil.

Ferreira F, Pires FMA, Martinez ML, Coelho SG, Carvalho AU, Ferreira PM, Facury Filho EJ, Campos WE (2006) Parâmetros fisiológicos de bovinos cruzados submetidos ao estresse calórico. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia 58:732-738. doi

Hanh GL (1993) Bioclimatologia e instalações zootécnicas: aspectos teóricos e aplicados. Funep/UNESP, Jaboticabal, Brasil.

Lima PO, Moura AA, Façanha DA, Guilhermino MM (2006) Desempenho e indicadores de estresse térmico em bezerras alimentadas com sucedâneo lácteo com ou sem probiótico no semi-árido brasileiro. Archivos Latinoamericanos Produção Animal 14:49-55.

Pereira CL (2007) Monitoramento eletrônico do conforto térmico em abrigos individuais para bezerros com coberturas alternativas. Ensino e Ciência 5:73-76.

SAS (1999) User’s guide, version 8. SAS Institute, Cary, NC, p 295.

Schmidt-Nilsen K (2002) Animal Physiology: Adaptation and Environment. Cambridge Univ. Press, Cambridge, EUA.

Silva RG, Lascala Junior N, Lima Filho AE, Catharin MC (2002) Respiratory heat loss in the sheep: a comprehensive model. International Journal of Biometeorology 46:136-140. doi

Silva RG (2000) Introdução à bioclimatologia animal. Nobel, São Paulo.