Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Produção de Mudas de Mauritia flexuosa L.F. com Sementes Submetidas a Diferentes Períodos de Imersão em Água

DOI: http://dx.doi.org/10.12971/2179-5959/agrotecnologia.v6n2p44-59

http://www.prp.ueg.br/revista/index.php/agrotecnologia/index 

downloadpdf

Maiara A. Alves1, Robson S. Corrêa2, Alexandre C. Burgo3 & Eduardo M. Vieira4

 

Resumo: Este trabalho teve como objetivo avaliar a taxa de germinação,emergência e a avaliação do padrão de qualidade de mudas de buriti (Mauritia flexuosa L.f.) quando submetidas a imersão em água. O experimento obedeceu a um delineamento inteiramente casualizado, com sete tratamentos e seis repetições, com três sementes cada. Os tratamentos consistiram na imersão das sementes em água, por um período de 0, 10, 20, 30, 40, 50 e 60 dias. A avaliação da emergência foi realizada diariamente após a semeadura, que foi espaçada de acordo com o tempo de imersão, e foram feitas contagens do número de plântulas até a completa ausência da germinação que foi determinada por observações diárias por um período de 60 dias. Posteriormente foi calculado a taxa de germinação e a quantidade de dias de emergência de cada tratamento. A avaliação do padrão de qualidade das mudas ocorreu 16 meses após a semeadura, assim foram avaliados os parâmetros morfológicos altura total (HT), altura do estipe (HE) e diâmetro do colo (DC), e os índices resultantes destes parâmetros,altura por diâmetro do colo (H/DC), biomassa seca da parte aérea por biomassa seca radicular (BSPA/BSR), altura por biomassa seca da parte aérea (H/BSPA) e o índice de qualidade de Dickson (IQD). Foram observadas diferenças significativas para o tempo de emergência, quanto maior o tempo de imersão das sementes menor o tempo levado para a emergência. No entanto não foram observadas diferenças significativas para a germinação, parâmetros morfológicos, produção de biomassa e os parâmetros de qualidade das mudas.

Palavras-chave: Buriti. Emergência. Germinação. Padrão de qualidade de mudas

 

Abstract: This work aimed to evaluate the rate of germination, emergence and evaluation of seedling quality standard of buriti (Mauritiaflexuosa L.f.) when subjected to immersion in water. The experimented followed a completely randomized design, with seven treatments and six replications, with three seeds each. The treatments consisted in soaking seeds in water for a period of 0, 10, 20, 30, 40, 50 and 60 days. The emergency assessment was performed daily after sowing and were made counts of the number of seedlings to the complete absence of germination was determined by daily observations for a period of 60 days. After this was calculated the rate of germination and the amount of days of emergence of each treatment. Evaluation of seedling quality occurred 16 months after sowing being carried out according to the amount of time between sowings, so the morphological parameters plant height (HT), stem height(HE) and root collar diameter (DC) were assessed as well as the resulting indexes of these parameters, height to diameter ratio (H/DC), aerial:root biomass ratio (BSPA/BSR), height to aerial biomass ratio (H/BSPA) and the Dickson quality index (IQD). It was also evaluated the correlation between all variables analyzed. Statistically significant differences were observed for the time of emergence, the higher the immersion time of seeds less time taken to emergency. However no significant differences were observed for germination, morphological parameters, biomass production and quality parameters of seedlings. The factors that showed higher correlations were IQD and HT.

Key words: Buriti. Emergence. Germination. Seedling quality standard

 

1 Mestranda em Agronomia da Universidade Federal de Goiás, Engenheira Florestal, Regional Jataí. BR 364, km 193, CEP: 75801-615 – Jataí - GO – Brasil. Email: mahflorestal@hotmail.com
2 Engenheiro Florestal, Professor Doutor do curso de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí. BR 364, km 193, CEP: 75801-615 – Jataí - GO – Brasil. Email: rs.correa@gmail.com
3 Acadêmico do curso de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Goiás, Engenheira Florestal, Regional Jataí. Email: alexandreburgo.castilho@gmail.com
4 Mestrando em Agronomia da Universidade Federal de Goiás, Engenheiro Florestal, Regional Jataí. Email: emv.florestal@gmail.com

 

Literatura Citada

ANDRADE, R. A.; JESUS, N.; MARTINS, A.B.G. Embebição e germinação de sementes de camu-camu. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, v. 28, n.4, p. 499-501, 2006. https://doi.org/10.4025/actasciagron.v28i4.783

ASSISTAST. Assistência Estatística, Versão: 7.7 beta (pt). Campina Grande: DEAG-CTRN-UFCG, 2014.

BARDALL, M. L. A influência da saturação hídrica na distribuição de oito espéciesarbóreas da Floresta Ombrófila Mista Aluvial do rio Iguaçu, Paraná, Brasil. 2006.114 p. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2006.

BONFIM, A. A. Qualidade de mudas de madeira nova (Pterogyne netens Tell) produzidas em tubetes e sacolas plásticas e seu desempenho no campo. 2007. 70 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, 2007.

BOVI, M.L.A. Pré-embebição em água e porcentagem e velocidade de emergência de sementes de palmiteiro. Bragantia, Campinas, v.49, n.1, p. 11-22, 1989.

BROSCHAT, T.; DONSELMAN, H. Palm seed storage and germination studies. Principes, v. 32, n.1, p. 3-12, 1998.

CARNEIRO, J. G. A. Produção e controle de qualidade de mudas florestais. Curitiba: UFPR/FUPEF, 1995. 451 p.

COELHO, M. F.B.; SOUZA, R.L.C.; ALBUQUERQUE, M.C.F.; WEBER, O.S.; NOGUEIRA, B.H.B. Qualidade de mudas de nó-de-cachorro (Heteropteris afrodisíaca O.Mach.) em diferentes substratos. Revista Brasileira Plantas Medicinais, Botucatu, v.10, n.3, p. 82-90, 2008.

CUNHA, N. R. S.; LIMA, J. E.; GOMES, M. F. M.; BRAGA, M. J. A intensidade da exploração agropecuária como indicador da degradação ambiental na região dos Cerrados, Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, São Paulo, v. 46, n. 2, p. 291-323, 2008. https://doi.org/10.1590/S0103-20032008000200002

CHAVES, A.S.; PAIVA, H.N. Influência de diferentes períodos de sombreamento sobre a qualidade de mudas de fedegoso (Senna macranthera (Collad.) Irwin et Barn. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 65, p. 22-29, 2004.

DELGADO, L. G. M. Produção de mudas nativas sob diferentes manejos hídricos. 2012. 99 p. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) – Universidade Estadual Paulista, Botucatu, 2012.

DICKSON, A.; LEAF, A. L.; HOSNER, J. F. Quality appraisal of white spruce and white pine seedling stock in nurseries. Forestry Chronicle, v. 36, n. 1, p. 10-13, 1960. https://doi.org/10.5558/tfc36010-1

EBERT, A; CONTINI, A. Z.; BRONDANI, G. E.; COSTA, R. B. Germinação in vitro de embriões zigóticos de Mauritia flexuosa sob diferentes temperaturas. Advances in Forestry Science, Cuiabá, v.1, n.1, p.39-43, 2014.

FERREIRA, S.A.N.; GENTIL, D.F.O. Extração, embebição e germinação de sementes de tucumã (Astrocaryum aculeatum). Acta Amazônica, v.36, n. 2, p. 141-146, 2006. https://doi.org/10.1590/S0044-59672006000200002

FERRAZ, A. V.; ENGEL, V. L. Efeito do tamanho de tubetes na qualidade de mudas de jatobá (Hymenea courbaril L. VAR. stilbocarpa (HAYNE) LEE et LANG.), ipê-amarelo (Tabebuia chrysotrica (MART.EX DC.) SANDL.) e guaracaia (Parapiptadenia rígida (BENTH.) BRENAN). Revista Árvore, Viçosa, v.35, n. 3, p. 413-423, 2011.

FONSECA, E. P. Padrão de qualidade de mudas de Trema micrantha (L.) Blume., Cedrela fissilis Vell. e Aspidosperma polyneuron Muil Arg. produzidas sob diferentes períodos de sombreamento. Jaboticabal, UEP, 2000. 113p. Tese (Doutorado em Agronomia) - Universidade Estadual Paulista, 2000.

GOMES, J. M. Parâmetros morfológicos na avaliação da qualidade de mudas e Eucalyptus grandis, produzidas em diferentes tamanhos de tubete e de dosagens de N-P-K.2001. 126f. Tese (Doutorado em Ciências Florestal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2001.

JOSÉ, A. C.; DAVIDE, A. C.; OLIVEIRA, S. L. Produção de mudas de aroeira (Schinus terebinthifolius Raddi) para recuperação de áreas degradadas pela mineração de bauxita. Revista Cerne, v. 11, n. 2, p. 187 - 196, 2005.

LORENZI, H.; KAHN, F.; NOBLICK, L. R.; FERREIRA, E. Flora brasileira: Arecaceae (Palmeiras). São Paulo: Instituto Plantarum, 2010. 368 p.

LOUGON, M. S. Crescimento de mudas de eucalipto irrigadas com água de diferentes qualidades. 2010. 76 p. Dissertação (Mestre em Ciências Florestais) – Universidade Federal do Espírito Santo, Espírito Santo, 2010.

LUZ, P. B. Germinação e aspectos morfológicos de sementes de Archontophornix cunninghammi H. Wendl. & Drude (Arecaceae). 2008. 63 p. Tese (Doutorado em Produção e Tecnologia de Sementes) – Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2008.

LUZ, P. B.; PIVETTA, K. F. L.; NEVES, L. G.; PAIVA SOBRINHO, S.; BARELLI, M. A. A. Germinação de sementes de palmeira-real-australiana (Archontophoenix cunninghamii) sob efeito da imersão em água. Revista Agrarian, v.4, n. 11, p.27-32, 2011.

REIS, R. G. E.; PEREIRA, M. G.; GONÇALVES, N. R.; PEREIRA, D. S.; BEZERRA, A. M. E. Emergência e qualidade de mudas de Copernicia prunifera em função da embebição das sementes e sombreamento. Revista Caatinga, Mossoró, v.24, n. 4, p. 43-49, 2011.

ROSA, L.S.; VIEIRA,T.A.; SANTOS, D.S.;SILVA, L.C.B. Emergência, crescimento e padrão de qualidade de mudas de Schizolobium amazonicum(Huber) ex Ducke sob diferentes niveis de sombreamento e profundidades de semeadura. Revista Ciências Agrárias, Belém, n. 52,p.87-98, 2009.

RUDEK, A.; GARCIA, F. A. O.; PERS, F. S. B. Avaliação da qualidade de mudas de eucalipto pela mensuração da área foliar com o uso de imagens digitais. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, v. 9, n. 17, p. 3775, 2013.

SAMPAIO, M. B. Boas práticas de manejo para o extrativismo sustentável do buriti.Brasília:Instituto Sociedade, População e Natureza, 2011. 80 p.

SAMPAIO, M. B.; CARRAZZA, L. R. Manual tecnológico de aproveitamento integral do fruto e da folha do buriti (Mauritia flexuosa). Brasília: Instituto Sociedade, População e Natureza, 2012. 76 p.

SARAIVA, N.; SAWYER, D. Análise do potencial econômico e socioambiental do artesanato do buriti em comunidades tradicionais nos lençóis maranhenses. In: VII Encontro da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica, 7, 2007, p.23.

SELEGUINI, A.; CAMILO, Y.M.V.; SOUZA, E.R.B.; MARTINS, M.L.; BELO, A.P.M.; FERNANDES, A.L. Superação de dormência em sementes de buriti por meio da escarificação mecânica e embebição. Revista Agro@mbiente Online, v.6, n. 3, p. 235-241, 2012.

SPERA, M. R. N.; CUNHA, R.; TEIXEIRA, J. B. Quebra de dormência, viabilidade e conservação de sementes de buriti (Mauritia flexuosa). Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 36, n. 12, p.1567-1572. https://doi.org/10.1590/S0100-204X2001001200015