Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Fatores Influentes na Tomada de Decisão de Compra de Ingressos pelo E-Consumidor

DOI: http://dx.doi.org/10.18361/2176-8366/rara.v8n1p1-21

http://www.periodicos.unir.br/index.php/rara/index 

downloadpdf

Sonia T. de Almeida1, Maria V. P. de Araujo2 & Jose S. da Cruz3

  

Resumo: Na perspectiva do negócio eletrônico há o chamado comércio eletrônico, sendo toda transação comercial que ocorre através do uso da tecnologia da informação envolvendo o intercâmbio de bens físicos e não tangíveis. Uma das grandes vantagens do comércio eletrônico é a total disponibilidade para os consumidores, ou seja, 24 horas por dia, o que possibilita aproveitamento de tempo, além de proporcionar maior comodidade ao cliente. Pretende-se com este trabalho verificar o processo decisório de compra de ingressos para eventos pelos usuários do comércio eletrônico. Trata-se de uma pesquisa exploratória descritiva e quantitativa na qual os dados foram obtidos por meio de um questionário estruturado, disponível na plataforma na internet denominada Google Drive. A população estudada foram os alunos do curso de graduação em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, constituindo-se assim uma amostra probabilista simples. De acordo com o modelo de comportamento do consumidor de Bamossy e Semenik existem seis etapas no processo de tomada de decisão. O comportamento do e-consumidor neste texto, mostrou-se entre outras coisas, a conformidade com o referido modelo. Verificou-se, que o e-consumidor ao comprar ingressos pela internet, tem preocupação com o contexto em que se insere. Uma evidência disto é a influência que os amigos exercem sobre o consumidor, sendo, por vezes, bastante decisivo na hora da realização da compra. Os autores Bamossy e Seenik (1995) já haviam afirmado que boa parte dos entrevistados só compravam ingressos para eventos em lojas virtuais conhecidas. Sendo esta uma característica de consumo quase consensual entre os demais autores da área. Quarenta por cento dos consumidores entrevistados concordam que, no caso do site, o serviço de entrega, bem como o preço, influenciam suas decisões de compra. Pode-se dizer também que o e-consumidor tem como fator preponderante no processo de decisão de compra pela internet dois motivos: a praticidade e a comodidade desta aquisição. E ainda, que a tomada de decisão de compra do econsumidor se parece à tomada de decisão do consumidor de lojas físicas.

Palavras-chave: Comportamento do Consumidor. Tomada de Decisão de Compra. Comércio Eletrônico.

 

Abstract: From the perspective of e-business for the so-called e-commerce, and every business transaction that occurs through the use of information technology involving the exchange of physical and nontangible assets. One of the great advantages of e-commerce is the total availability to consumers, ie 24 hours a day, which allows use of time, and provide greater convenience to the customer. The aim of this work was to verify the decision-making process of buying event tickets by users of electronic commerce. This is a descriptive and quantitative exploratory research in which data were collected through a structured questionnaire, available on the platform called Google Drive Internet. The study population were students of the undergraduate degree in Business Administration from the Federal University of Rio Grande do Norte, thus constituting a simple probabilistic sample. According to the model of consumer behavior of Bamossy and Semenik there are six steps in the decision-making process. The behavior of the consumer, and in this text, it was shown among other things in accordance with said model. It was found that the e-consumer to buy tickets over the internet, has to worry about the context in which it operates. Evidence of this is the influence that friends have on the consumer, and sometimes quite decisive at the time of completion of the purchase. The authors Bamossy and Seenik (1995) had stated that most of the respondents only bought tickets for events in known virtual stores. Since this is a feature of almost consensual consumption among the other authors in the field. Forty percent of consumers surveyed agree that, in the case of the site, the delivery service, and the price influence their buying decisions. One can also say that the e-consumer has as a major factor in the purchase decision process by internet two reasons: the practicality and convenience of this acquisition. And yet, that making purchasing decision of the consumer-and looks to making consumer decision physical stores.

Key words: Consumer Behavior . Purchase Decision Making .ElectronicCommerce.

 

1 soniatrigueiro@uol.com.br
2 valeriaaraujoufrn@gmail.com
3 stephan.cruz@live.ca

 

Literatura Citada

Agostinho, P. (2013). Marketing de experiencias:comunicar emoções e sensações através de experiencias:Caso Biosotis. Coimbra: FEUC.

Ahtola, O. T. (1985). Hedonic and utilitarian aspects of consumer behavior:an attitudinal perspective. Advances in Consumer Reserach .

Albertin, A. L. (2000). O Comercio Eletronico Evolui e Consolida-se no Mercado Brasileiro. Revista de Administração de Empresa[On-line] , 40, 4, 94-102.

Alencar, S. F., Kovacs, M. H., & Silva, J. M. (2008). Comportamento do consumidor On-line: a perspectiva da teoria do fluxo. Revista Brasileira de Gestão de Negocios(on-line) , 10.

Bassomy, G. J., & Semenik, R. J. (1995). Princípios de Marketing:uma perspectiva global. São Paulo: MakronBooks.

Borba, V. R. (2004). Marketing de relacionamento para organizações de saude . São Paulo: Atlas.

Bretzke, M. (2003). Comportamento do cliente. In: S. R.-E. DIAS, Comportamento do cliente. São Paulo: Saraiva.

Bui, M., & Kemp, E. (2013). E-tail emotion regulation: examining online hedonic product purchases. International Journal of Retail & Distribution Management , 41,2, pp. 155-170.

Campbell, C. (2001). A ética romântica e o espírito do consumismo moderno. Rio de Janeiro: Rocco.

Casas, A. L. (2006). Administração de marketing: conceitos, planejamento e aplicações à realidade brasileira. São Paulo: Atlas.

Casas, A L (2001) Plano de Marketing para Micro e Pequena Empresa 2ª ed. São Paulo: Atlas.

Cataline, L. (2004). E-Commerce. Rio de Janeiro: FGV.

Cerqueira, A. C. (nov de 2013). Comportamento do consumidor de cosméticos: um estudo exploratório. Revista Formadores: Vivências e Estudos , 6,1, pp. 128-157.

Chen, Q.-y., & Zhang, N. (Apri-Jun de 2013). IT-Supported Business Performance and ECommerce Application in SMEs. Journal of Electronic Commerce in Organizations , 11 Issue 2, pp. p41-52.

Churchil, G. A., & Peter, J. P. (2013). Marketing: criando valor para o cliente. São Paulo: Saraiva.

Contursi, E. B. (1996). Marketing Esportivo. Rio de Janeiro: Sprint Editora LTDA.

Cooper, D. R., & Schindler, P. S. (2011). Métodos de pesquisa em administração. 10. ed. Porto Alegre: Bookman. Porto Alegre: Bookman.

E-BIT. (2014). Relatório WebShoppers 2014.

Engel, J. F., Blackwell, R. D., & Miniard, P. W. (2005). Comportamento do consumidor. 9. ed. São Paulo:Comportamento do consumidor. 9. ed. São Paulo: Pioneira Thompson Learning.

Fauska, P., Kryvinska, N., & Strauss, C. (March de 2014). Agile Management of Complex Goods & Services. Global Journal of Flexible Systems Management , 5 Issue 1, pp. 5-23.

Giglio, E. M. (2003). Comportamento do Consumidor 2 ed. Revista e Ampliada. Sao Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Giglio, E. (1996). O comportamento do consumidor e a gerencia de marketing. São Paulo: Pioneira administração e negócios.

Gloor, P. (2001). Transformando a Empresa em E-Business: como ter sucesso na economia digital. São Paulo: Atlas.

Henry, C., & Junior, L. (2006). Tecnologia da Informação:Tomada de Decisão Estratégia para Administradores. Rio de Jnaeiro : LTC.

Huang, S.-M., Hua, J.-S., Will, H., & Wu, J.-W. (2012). Metamodeling to Control and Audit ECommerce Web Applications. . International Journal of Electronic Commerce , 17 Issue 1, pp. 83- 118.

Junior, C. F. (2005). E-Business: Internet Tecnologia e Sistemas de Informação na Administração de Empresas 3 ed. São Paulo: Atlas.

Karsaklian, E. (1999). Comportamento do Consumidor. São Paulo: Atlas.

Karsaklian, E. (2004). Comportamento do consumidor. (2 ed ed.). São Paulo: Atlas.

Kim, D. J. (2014). A Study of the Multilevel and Dynamic Nature of Trust in E-Commerce from a Cross-Stage Perspective. International Journal of Electronic Commerce. , 19 Issue 1, pp. p11-64.

Kotler, P. (2006). Administração de Marketig. São Paulo: Prentice Hall.

Kotler, P., & Keller, K. L. (2006). Administração de Marketing 12a Ed. São Paulo: Prearson Prentice Hall.

Las Casas, A. L. (2001). Plano de Marketing para micro e pequena empresa 2a ed. São Paulo: Atlas.

Laudon, K. C., & Laudon, J. P. (1999). Sistemas de Informação 4 ed. Rio de Janeiro: LTC Editora Ltda.

Limeira, T. M. (2008). Comportamento do Consumidor Brasileiro. São Paulo: Saraiva.

llman, M., & Gross, M. (2003). Welcome to your Experience: where you can chack out anytime you´d like, but you can never leave. Journal of Business and Management , 9, 3, pp. 215-232.

Moreira, D. A. (2002). O Método Fenomenológico na Pesquisa. São Paulo: Pioneira Thomson.

Peter, J., & Olson, J. (2009). Comportamento e Estratégia de Marketing. São Paulo: McGraw-Hill.

Pinto, M. d., & Lara, J. E. (2011). As experiencias de consumo na perspectiva da teoria da cultura do consumo: identificando possíveis interlocuções e propondo uma agenda de pesquisa. Caderno EBAPE , 9, 1.

Popescu, G. H. (March de 2015). E-COMMERCE EFFECTS ON SOCIAL SUSTAINABILITY. Economics, Management & Financial Markets. , 10 Issue 1, pp. 80-85.

Reedy, J., Schullo, S., & Zimermann, K. (2001). Marketing Eletrônico: a integração de recursos eletrônicos ao processo de marketing. Porto Alegre: Bookman.

Reis, M. A. (2011). O Comércio Eletrônico No Negócio De Turismo. Tecnologia da inteligência e design digital. São Paulo: Pontífica Universidade Católica De São Paulo.

SEBRAE. (2014). Vantagens e Desvantagens do Com´rrcio Eletrônico. Fonte: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos

Semenisk, R., & Bamossy, G. J. (1995). Princípios de marketing: Uma perspective Global. MAKRON Books,. São Paulo: MAKRON Books.

Senarathna, I., Warren, M., Yeoh, W., & Salzman, S. (2014). The Influence of Organisation Culture on E-commerce Adoption. Industrial Management & Data Systems. , 114 Issue 7, pp. p1007-1021.

Shet, J. N., Mittal, B., & Newman, B. I. (2008). Comportamento do cliente indo além co Comportamento do Consumidor. São Paulo: Atlas.

Solomon, M. R. (2008). O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 7. Ed. . Porto Alegre: Bookman.

Stefani, G., Cavicchi, A., & Romano, D. (2014). Blissed ignorance?The role of process information on consumer evaluation of a typical Italian salami. Nutrition & Food Science , 72, pp. 345-362.

Tan, F. T., Pan, S. L., & Zuo, M. (2014). The Role of Organisational Interdependencies and Asset Orchestration in Business Integration: A case study of M.com. International Journal of Information Management , 34 Issue 6, pp. 780-784.

Torres, C. (2009). A Biblia do Marketing Digital: Tudo o que voce queria saber sobre marketing e publicidade na internet e não tinha a quem perguntar. São Paulo: Novatec Editora.

Trepper, C. (2001). Estratégias De E-Commerce. São Paulo: Campus.

Trepper, C. (2000). Estratégias de E-Commerce:mapeando o sucesso da sua empresa no mercado altamente competitivo dos dias de hoje. São Paulo: Campus.

Tripodi, T., & al, e. (1981). Análise da pesquisa social. 2. ed. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro:.

Vergara, S. C. (2007). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 8. ed. . São Paulo:: Atlas.

Wyllie, E. (2000). Economia da internet: Um Manual para Administradores, Economistas e Empresários do século XXI. Rio de Janeiro: Axcel.