Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Curioso Percurso do General Abreu e Lima. De Personagem Histórico a Ícone das Relações entre a Venezuela de Chaves e o Brasil de Lula

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v25n64p125-131

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Claudia Poncioni1

 

Resumo: No Brasil, a construção simbólica das grandes figuras nacionais teve lugar durante o império, sob a égide do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, instituição criada em 1838 no âmbito do projeto de construção de uma identidade nacional. No panteão nacional, o lugar ocupado pelo general Abreu e Lima (1794-1869) é proporcionalmente inverso ao papel histórico do personagem. Herói da guerra da independência da Gran Colômbia, companheiro de armas do general Simón Bolívar, até muito recentemente o nome de Abreu e Lima não constava de nenhum livro escolar brasileiro. O movimento de recuperação do personagem histórico que foi Abreu e Lima teve lugar no início dos anos 1980 com a publicação de uma biografia. Porém, a partir de 2005, com Lula e Chavez no poder, teve início outro processo mediante o qual Abreu e Lima foi promovido a ícone das relações entre o Brasil e a Venezuela. Este artigo propõe explorar o processo dessa construção simbólica bolivariana encetado nos dois países, com evidente finalidade política.

Palavras-chave: bolivarianismo; General Abreu e Lima; relações Brasil- Venezuela; narrativas identitárias.

 

Abstract: In Brazil, the symbolic construction of the big national figures took place during the empire under the aegis of the Brazilian Historical and Geographical Institute, which was founded in 1838 within the ambit of a national identity construction project. The place occupied by the General Abreu e Lima (1794-1869) in the national pantheon is inversely proportional to the character’s historical role. Hero of the Gran Colombia independence war and General Simón Bolivar’s weapon fellow, the name of Abreu e Lima could not be found in any Brazilian school book until fairly recent times. A recovery movement of the historical character took place in the early 1980s with the publication of Abreu e Lima’s biography. Nevertheless, from 2005 onwards, with the power in the hands of Lula and Chavez, another process has initiated, which raised Abreu e Lima to an icon of the relations between Brazil and Venezuela. This article aims to explain the process of this symbolic Bolivarian construction launched in both countries, with evident political purpose.

Key words:  Bolivarianism; General Abreu e Lima; Brazil-Venezuela relations; identity narratives.

 

1 Pós-Doutora/Université de la Sorbonne Nouvelle – Paris 3

 

Literatura Citada

ABREU E LIMA, J. I. O Socialismo, São Paulo: Paz e Terra, 1979.

ANDRADE, Manuel Correia de. Pernambuco imortal: evolução histórica e social de Pernambuco, Recife: CEPE, 1997.

CHACON, Valmireh. Abreu e Lima. General de Bolívar, São Paulo: Paz e Terra, 1983.

ENDERS, A. “Le Plutarque brésilien, l’empire du Brésil et ses grands hommes.” Nuevos mundos. Disponível em: <http://nuevomundo.revues.og/index611.html>. Acesso em: 25 abril 2010.

GARCIA MÁRQUEZ, G. Cien años de soledad, 7. ed. Barcelona: Plaza & Janés Editores, 1999 (1. ed. Buenos Aires: Editorial Sudamericana, 1967).

GRANDE ENCICLOPÉDIA BARSA, 3. ed. São Paulo: Barsa Planeta, 2005.

LIMA FILHO, Andrade; PEREIRA, Nilo. O Bispo e o General. Polêmica amena sobre uma questão antiga: a negativa de sepultura ao General Abreu e Lima pelo Bispo Cardoso Ayres, Recife, Separata da Revista do Dep. Estadual de Cultura, Ano III – nº. 8 – dezembro de 1973.

MOURA, Luís Cláudio Rocha Henriques de. Abreu e Lima, uma leitura sobre o Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidade de Brasília, 2006.

OLIVEIRA, Paulo Santos de. “A trajetória do general das massas.” Diário de Pernambuco, Recife, 16 dez. 2005.