Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Qualidade da Colheita e Atributos Físicos do Solo: Implicações no Planejamento da Reforma de Povoamentos Florestais

DOI: http://dx.doi.org/10.13083/1414-3984.v21n03a01

http://www.seer.ufv.br/seer/index.php/reveng/index 

downloadpdf

Reginaldo S. Pereira1, Raul Silvestre2, Mauro E. Nappo3, Éder P. Miguel4 & Fabiano Emmert5

 

Resumo: O objetivo foi avaliar os reflexos da colheita de madeira com o uso da motosserra e das propriedades físicas do solo em duas áreas destinadas à reforma de povoamentos de eucalipto. O estudo foi conduzido na Fazenda Água Limpa (FAL), pertence à Universidade de Brasília (UnB). Foram escolhidas duas áreas a serem submetidas ao processo de reforma. A área 1 (AR1) foi colhida em 2010 e a área 2 (AR2) foi colhida em 2004 e abandonada para regeneração. Na AR2 a altura dos tocos estava fora dos padrões técnicos recomendados (< 5 cm), o que impossibilita a entrada dos implementos florestais para o preparo do solo. Foi realizado um inventário e determinado o rendimento e os custos operacionais de rebaixamento desses tocos. Tanto na AR1 quanto na AR2 os parâmetros resistência à penetração, densidade e umidade higroscópica do solo foram determinados. As amostras de solo foram caracterizadas como altamente plásticas, com comportamento argiloso laterítico. Os valores máximos de RP concentraram-se nas profundidades de solo de 25 até 35 cm e houve pouca variação na densidade do solo entre as duas áreas, com valores próximos a 1000 kg m-3. Na AR2 o volume de madeira desperdiçado na forma de tocos foi de aproximadamente 13,70 m³/ha, sendo necessárias 16,7 horas para rebaixar um hectare, a um custo de R$ 492,48 ha-1.

Palavras-chave: custos, eucalipto, produtividade, reforma

 

Abstract: The objective of this study was to evaluate the consequences of timber harvesting with the use of chainsaws and the physical properties of soil in two regrowth eucalyptus stands. The study was conducted at the Água Limpa Farm, belonging to the University of Brasília (UnB). Two areas were chosen to undergo the regrowth process. Area 1 (AR1) was harvested in 2010 and area 2 (AR2) was harvested in 2004 and abandoned for regeneration. In AR2 the height of the stumps was outside the recommended technical standards (<5 cm), which prevents the entry of forest implements for soil preparation. An inventory was performed and the yield and operating costs of lowering these stumps was determined. In both the AR1 and AR2, the parameters of penetration resistance, density and hygroscopic moisture of the soil were determined. Soil samples were characterized as highly plastic with lateric clay properties. The maximum values of RP were concentrated in soil depths of 25 to 35 cm and there was little variation in soil density between the two areas, with values close to 1.0 kg m-3. In AR2 the amount of wood wasted in the form of stumps was approximately 13.70 m³ ha-1, requiring 16.7 hours to lower the stumps of one hectare at a cost of R$ 492.48 ha-1 (one dollar equals R$ 1.70).

Key words: costs, eucalyptus, productivity, regrowth

 

1 Eng. Florestal, Prof. Adjunto, Departamento de Engenharia Florestal, UnB/Brasília-DF, reginaldosp@unb.br
2 Eng. Florestal, Doutorando em Ciências Florestais, UnB/Brasília-DF, silvestrefl oresta@yahoo.com.br
3 Eng. Florestal, Prof. Adjunto, Departamento de Engenharia Florestal, UnB/Brasília-DF, mauronappo@yahoo.com.br
4 Eng. Florestal, Doutorando em Ciências Florestais, UnB/Brasília-DF, edermiguel@unb.br
5 Eng. Florestal, Doutorando em Ciências Florestais, UnB/Brasília-DF, fabianoemmert@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7181/84 : Solo: Análise Granulométrica: Procedimento. Rio de Janeiro, 1984a. 13p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6459/84: Solo: Determinação do Limite de Liquidez. Rio de Janeiro, 1984b. 6p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7180/84: Solo: Determinação do Limite de Plasticidade. Rio de Janeiro, ABNT, 1984c. 3p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6508/84: Solo: Determinação da massa específica dos grãos. Rio de Janeiro, 1984d. 6p.

BALASTREIRE, L.A. Máquinas Agrícolas. São Paulo, Ed. Manole, 1987. 310p.

BRADY, N.C. The nature and properties of soils. 11. ed. Upper Saddle River: Prentice Hall, 1996. 225p.

CAPUTO, H.P. Mecânica dos solos e suas aplicações fundamentais. 6. ed. Rio de Janeiro: livros técnicos e científicos, 1988, v.1. 498p.

COSTA, J.B. Caracterização e constituição do solo. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. 7 ed., 527p., 2004.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Manual de métodos de análises de solos. 2.ed. Rio de Janeiro, 1997. 412p.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Sistema brasileiro de classificação de solos. 2. ed. Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2006. 306p.

DUBÉ, F. Estudos técnicos e econômicos de sistemas agrofl orestais com Eucalyptus sp. no noroeste do Estado de Minas Gerais: O caso da Companhia Mineira de Metais. 1999. 146f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal). Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1999.

FORSYTHE, W.M. Lãs propriedades físicas, los factores físicos de crescimento y la productividad del suelo. Fitotecnia Latino Americana, v.4, p.165-176, 1967.

GATTO, A.; BARROS, N.F.; NOVAIS, R.F.; COSTA, L.M.; NEVES, J.C.L. Efeito do método de preparo do solo, em áreas de reforma, nas suas características, na composição mineral e na produtividade de plantações de Eucalyptus gradis. Revista Árvore, Viçosa, MG, v.27, p.635-645, 2003.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Manual técnico de pedologia. 2. ed. Rio de Janeiro, 2005.

GONÇALVES, J. L. M.; STAPE, J. L. Conservação e cultivo de solos para plantações florestais. Piracicaba: IPEF, 2002. 498p.

JACOVINE, L.A.G.; MACHADO, C.C.; SOUZA, A.P.; LEITE, H.G.; MINETTI, L.J.; Avaliação de qualidade operacional em cinco subsistemas de colheita fl orestal. Revista Árvore, Viçosa, MG, v.29, no.3, p.391-400, Viçosa, 2005.

KIEHL, E.J. Manual de edafologia: relações solo planta. São Paulo: CERES, 262p, 1979.

KONDO, M.K.; DIAS JUNIOR, M.S. Compressibilidade de três Latossolos em função da umidade e uso. Revista Brasileira de Ciência do Solo, n.23, p.211-218, 1999.

LEMOS, A.V. Suzano: técnicas de plantio e manejo do Eucalyptus. Palestra... In: I SIMPÓSIO DE TÉCNICAS DE PLANTIO E MANEJO DE EUCALYPTUS PARA USO MÚLTIPLO. ESALQ, São Paulo, 25 a 27 de outubro de 2006.

LEMOS, R.C.; SANTOS, R.D. Manual de descrição e coleta de solo no campo. Campinas, SP: SBCS, 83p, 1996.

MACHADO, A.M. & FILHO, A.F. Dendrometria. Curitiba: A Figueiredo Filho, 2003. 309p.

MIYATA, O.P. Custo operacional de máquinas utilizadas na exploração e transporte da cultura do eucalipto. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, n.141, p.24-30, 1980.

MORAIS, F. M. Análise de atributos da vegetação e do solo em cerrado sensu stricto, 20 anos após distúrbios antrópicos. Brasília, DF, 2009. 99f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Universidade de Brasília, 2009.

MORO, L. et al. Rebaixamento de tocos de eucaliptos. Circular técnica. IPEF, Piracicaba, (165). dez.1988.

NEVES JÚNIOR, A.F. Avaliação da qualidade física de solos em pastagens degradadas na Amazônia. Piracicaba, SP, 2005. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – ESALQ, 2005.

NOGAMI, J.S.; VILLIBOR, D.F. Identificação expedita dos grupos da classificação MCT para solos tropicais. In: X Congresso Brasileiro de Mecânica dos Solos e Engenharia de Fundações. Anais... Foz do Iguaçu, Paraná, v.r, p.1293-1300, 1994.

PAGOTTO, L.O.; STAPE, J.L.; MENEGOL, O.; ROCHA, J.C. Avaliação do desempenho operacional e da logística das atividades silviculturais da Aracruz Celulose S.A. 2007. 85f. Estágio Profissionalizante em Engenharia Florestal. Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”.

PINHEIRO, C.Q. Avaliação da recuperação da cascalheira do Aeroporto Internacional de Brasília: fatores edáficos, florísticos e ecológicos. Brasília, DF, 2008. 84f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Universidade de Brasília, 2008.

PREVEDELLO, J. Preparo do solo e crescimento inicial de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden. Em argissolo. Santa Maria – Brasil, UFSM, Centro de ciências rurais, 2008.

PRITCHETT, W.L. Properties and management of forest soils. New York: J. Wiley, 1979. 500p.

REICHERT, J.M.; REINERT, D.J.; BRAIDA, J.A. Qualidade dos solos e sustentabilidade de sistemas agrícolas. Revista Ciência & Ambiente, v.27, n.2, p.29-48, jul./dez. 2003.

RESCK, B.S. Efeito dos sistemas de manejo na dinâmica de água e no grau de compactação do solo na Bacia Hidrográfica do Córrego Taguara - DF. Brasília, DF, 2005. 121f. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias) – Universidade de Brasília.

RÍPOLI, T.C.; MIALHE, L.G. & NAKAMURA, R.T. Subsolagem e Subsoladores. Piracicaba: Centro Acadêmico Luiz de Queiroz – Departamento Editorial, 1985. 34p.

SANCHES, O.A.; YONEZAWA, J.T. & ZEN, S. Evolução do cultivo mínimo em reflorestamento na Cia. Suzano de Papel e Celulose. In: Seminário sobre cultivo mínimo em florestas, 1, Curitiba - Brasil, 1995. Anais... Curituba – Brasil, CNP Floresta/IPEF/UNESP/SIF/FUPEF, 1995. p.140 – 147.

SANT’ANNA, C.M. Corte florestal. In: MACHADO, C.C. Colheita florestal. 2.ed. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 2008. p.55-88.

SASAKI, C.M.; BENTIVENHA, S.R.P. & GOLÇALVES, J.L.M. & Stape, J.L. Eds. Conservação e cultivo de solos para plantações florestais. Piracicaba, IPEF, 2002. p.393 – 407.

SEIXAS, F. Implicações da colheita mecanizada sobre o preparo do solo em áreas de reforma florestal. In: Seminário sobre métodos e equipamentos de preparo do solo para plantio de florestas, 2000, Piracicaba. Anais... Piracicaba: IPEF, 2000. p.35-49.

SEIXAS, F. et al. Teste de implemento para rebaixamento de tocos em áreas de reforma de povoamentos de eucalipto. Circular técnica. IPEF, Piracicaba, (173). jun.1990.

STOLF, R. Teoria e teste experimental de fórmulas de transformação dos dados de penetrômetro de impacto em resistência do solo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.15, n.3, p.229-235, 1991.

SUITER, W.; REZENDE, G.C.; MENDES, C.J.; CASTRO, P.F. Efeitos de diferentes métodos de preparo de solo sobre o desenvolvimento de Eucalyptus grandis plantado em solos com camadas de impedimento. Circular Técnica IPEF, n.90, p.1-9, fev, 1980.

ZOU, C.; SANDS, R.; BUCHAN, G.; HUDSON, I. Least limiting water range: a potencial indicator of physical quality of forest soils. Australian Journal of Soil Research, v.38, p.947-958, 2000. doi