Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Descrição e Ciclo de Vida da Implantação de um Complexo/Empreendimento Multiesportivo Denominado “VELÓDROMO"

DOI: http://dx.doi.org/10.19180/1809-2667.v18n116-13

http://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/vertices 

downloadpdf

Wellington S. Gomes1 & Orlando C. Longo2

 

Resumo: A proposta deste artigo é implantar um Complexo Multiesportivo, conforme os estágios básicos da vida de um projeto, com suas infraestruturas definidas a partir das ideias basilares que darão origem a um estudo preliminar, considerando um breve panorama histórico do ambiente local e o universo sistêmico do ambiente organizacional em todos os seus níveis. Esses fatores serão determinantes para a criação dos espaços do Complexo, voltados não só para o esporte, mas também para a cultura e o lazer; tornando-se necessário buscar a identificação das necessidades norteadoras à sua implantação, a fim de detectar possíveis desvios, em determinadas fases das etapas de materialização do projeto. Desta forma, segundo um estudo do ciclo de vida do Empreendimento, poder definir a adequada retroalimentação do sistema, objetivando corrigir falhas e fazer ajustes necessários em todo o processo, visando obter as competentes Certidões, Certificações e Autorizações. Assim, conseguir dos clientes internos e externos a devida aprovação, durante o processo construtivo e na fase de utilização.

Palavras-chave: Ideia. Complexo. Projeto. Ciclo de vida. Infraestrutura.

 

Abstract: The purpose of this article is to present a the project of a Multi-Purpose Sport Complex with its outlined infrastructure based on essential ideas that will lead to preliminary studies. The paper presents a brief historical overview of the local environment and of the systemic universe of the organization at all levels. These factors are decisive for the creation of the spaces in the Complex, directed not only to sports, but also to culture and leisure; ; making it necessary to seek identification of guiding requirements for its implementation in order to detect possible deviations in certain phases of the project implementation stages. Thus, according to a study of the development life cycle, the intention is to define the appropriate feedback system, aiming to correct deficiencies and making adjustments throughout the process in order to obtain the relevant certificates, certifications and authorizations, thus obtaining from internal and external customers proper approval during the construction process and the use phase.

Key words: Idea. Complex. Project. Life cycle. Infrastructure.

 

1 Mestre em Engenharia Civil pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) campus Campos Centro - Campos dos Goytacazes/RJ - Brasil. E-mail: lingtonsg@yahoo.com.br.
2 Doutor em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE/UFRJ). Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal Fluminense (UFF) - Niterói/RJ - Brasil. E-mail: longo@poscivil.uff.br.

 

Literatura Citada

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnica. Fórum Nacional de Normalização. NBR 9050: 1994: Acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências, espaço, mobiliário e equipamento urbano. Rio de Janeiro: ABNT, 1997. 56p.

ANP. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Disponível em: <https://www.anp.gov.br>. Acesso em: 25 ago. 2015.

ARAÚJO, C. A. Projeto de implantação de um centro de atividades físicas: estudo de caso. Niterói, 1998. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – UFF, 1998.

DNER.Departamento Nacional de Estrada de Rodagem. Projeto de restauração da Rodovia BR-101-RJ, trecho: Fazenda dos 40 – divisa RJ/ES, lote: 228-02. Rio de Janeiro, v. 3, out. 1974.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Tabela 2: Domicílios particulares ocupados em aglomerados subnormais, 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/aglomerados_subnormais/tabelas_pdf/tab2>. Acesso em: 8 dez. 2015.

LIMMER, C. V. Planejamento, orçamentação e controle de Projetos e Obras. Rio de Janeiro: LTC, 1997.

LINDENBERG, N. Os esportes traçado e técnica construtiva dos campos esportivos. São Paulo: Cultrix, 1977.

MAPAS das Regiões do Brasil. Disponível em: <https://www.google.com.br/search?q=mapas&biw>. Acesso em: 12 jun. 2015.

MONZO, B. T. et. al. Painel regional: Norte Fluminense / Observatório Sebrae/RJ. In: FERREIRA, Kathia. Rio de Janeiro: SEBRAE/RJ, 2015. p. 5-8. Disponível em: <http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/UFs/RJ/Anexos/Sebrae_INFREG_2014_Norte.pdf>. Acesso em: 5 dez. 2015.

. Ministério do Trabalho e Emprego. Número de Empregos Formais em 31 de Dezembro de 2014. UF: Rio de Janeiro – Município: 330100: Campos dos Goytacazes. Disponível em: <http://bi.mte.gov.br/bgcaged/caged_isper/index.php#>. Acesso em: 3 dez. 2015.

NEUFERT, Ernest. A arte de projetar em arquitetura. 2. ed. São Paulo: Gustavo Gili do Brasil, 1987.

OAKLAND, J. S. Gerenciamento da qualidade total TQM:caminho para aperfeiçoar o desempenho. Tradução de Alberto Guedes Pereira. São Paulo: Nobel, 1989.

OMPETRO.Organização dos Municípios Produtores de Petróleo. Balanço Arrecadação de Royalties. Disponível em: <http://www.ompetro.org.br/index.php>.Acesso em: 14 dez. 2015.

PESSANHA, R. M.; SOUZA NETO, R. (Org.).Economia e desenvolvimento no Norte Fluminense: da cana de açúcar ao royalties do petróleo. Campos dos Goytacazes, RJ: WTC Editora, 2004.

PINTO, J. R. P. Um pedaço de terra chamado Campos. Campos, RJ: Almeida Artes Gráficas, 1987.

PINTO, J. R. P. Ciclo do açúcar em Campos. Campos dos Goytacazes, RJ: ERCA Editora e Gráfica LTDA, 1995.

PLANO Diretor do Município de Campos dos Goytacazes, 2007.

PNUD.Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Ranking IDHM Municípios 2010. Disponível em: <http://www.pnud.org.br/atlas/ranking/Ranking-IDHM-Municipios-2010.aspx>. Acesso em: 3 dez. 2015.

PORTER, M. E. Vantagem Competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

SEBRAE.Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas. Informações Socioeconômicas do Município de Campos dos Goytacazes Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: SEBRAE/RJ, 2010. p.11. Disponível em: <http://docslide.com.br/documents/camposdos-goytacazes-informacoes-socio-economicas.html>. Acesso em: 27 nov. 2015.

SILVA, R. C. R. S.; CARVALHO, A. M. Formação econômica da Região Norte Fluminense: Estrutura, Dinâmica Espacial e Qualidade de Vida da Rede Urbana das Regiões Norte e Noroeste Fluminense. Campos dos Goytacazes, RJ: LEE-CCHUENF, 2000.

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da produção. Traduzido por Maria Tereza de Oliveira e Fábio Alher. Revisão técnica de Henrique Luiz Corrêa. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2002. Cap. 8: p. 256-270.

SOUZA NETO, R. ; PIZZOLATO, N. D. Uma metodologia para a análise da competitividade sistêmica empresarial. Rio de Janeiro: PUC-Rio / DEI, 2000.

VALERIANO, D. L. Gerenciamento estratégico e administração por projetos. São Paulo: Makron Books, 2002.