Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Políticas Públicas de Economia Solidária: Trajetória e Perspectivas no Brasil

DOI: http://dx.doi.org/10.20872/2447-8407/regmpe.v1n3p131-145

http://www.regmpe.com.br/ 

downloadpdf

Camila S. de Lima1

 

Resumo: A economia solidária é uma forma de organização autogestionária, legalizada ou não, que tem por finalidade a geração de trabalho e renda para seus associados ou cooperados. O objetivo geral do presente artigo é analisar as políticas públicas de economia solidária, os desafios e perspectivas no Brasil. Os objetivos específicos são: conceituar economia solidária, discutir o desenvolvimento da economia solidária no Brasil e suas perspectivas, e analisar as políticas públicas brasileiras de economia solidária. Para tanto, utilizou-se as modalidades de pesquisa bibliográfica e documental, através de uma revisão teórica da análise dos programas e ações que promovem e apoiam a economia solidária. O artigo visa contribuir com os gestores públicos e acadêmicos.

Palavras-chave: Políticas públicas, economia solidária, cooperativismo.

 

Abstract: The solidarity economy is a form of self-managed organization, legalized or not, that is intended to generate jobs and income for their members or associates. The objective of this artical is to analyze public policies of solidary economy, the challenges and prospects in Brazil. The specific objectives are to conceptualize solidary economy, discuss the development of the solidary economy in Brazil and its prospects, and analyze the Brazilian public policies in solidary economy. Therefore, was used the methods of documentary and bibliographical research, through a theoretical review of the analysis of programs and actions that provide and support the social economy. This article aims to contribute to the public and academic managers.

Key words: Public policies, solidary economy, cooperativism.

 

1 camilaslima88@gmail.com – Pós-graduanda em Gestão Pública Municipal na Universidade Federal Fluminense e Mestranda em Economia e Gestão Empresarial na Universidade Candido Mendes.

 

Literatura Citada

BRASIL. Lei 12.690, de 19 de julho de 2012. Dispõe sobre a organização e o funcionamento das Cooperativas de Trabalho; institui o Programa Nacional de Fomento às Cooperativas de Trabalho - PRONACOOP; e revoga o parágrafo único do art. 442 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1º de maio de 1943. Brasília, D.O.U. de 20.7.2012.

BRASIL. Decreto nº 5.811, de 21 de junho de 2006. Dispõe sobre a composição, estruturação, competência e funcionamento do Conselho Nacional de Economia Solidária – CNES. Brasília, D.O.U. de 22.6.2006.

BRASIL. Decreto Nº 8.163, de 20 de Dezembro de 2013. Institui o Programa Nacional de Apoio ao Associativismo e Cooperativismo Social - Pronacoop Social, e dá outras providências. Brasília, D.O.U. de 20.12.2013.

BRASIL. Decreto 7.357, de 17 de novembro de 2010. Dispõe sobre o Programa Nacional de Incubadoras de Cooperativas Populares - PRONINC, e dá outras providências. Brasília, D.O.U. de 18.11.2010.

BRASIL. Portaria Interministerial nº 353, de 7 de março de 2005. Institui o Grupo de Trabalho de Saúde Mental e Economia Solidária e dá outras providências. Brasília, 2005.

CHAVES, Daniela Freitas; PINTO, Iléia Maria de Jesus. A Economia Solidária como Alternativa de Desenvolvimento Regional. T&C Amazônia, Ano V, Número 10, Fevereiro de 2007

INSTITUTO DE ASSESSORIA PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO – IADH. Avaliação do Programa Nacional de Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas e Empreendimentos Solidários –PRONINC. Recife. 2011.

MANCE, Euclides André. A Revolução das Redes de Colaboração Solidária. 2005. Disponível em: http://www.solidarius.com.br/mance/. Acesso em: 30 de abril de 2015.

MANCE, Euclides André. Economia Solidária, Revolução Global e Sociedades Pós- Capitalistas. IFIL, Curitiba, 2007. Disponível em: http://www.solidarius.com.br/mance/. Acesso em: 30 de abril de 2015.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO – MTE E MINISTÉRIO DA SAÚDE – MS. Relatório Final do Grupo de Trabalho Saúde Mental e Economia Solidária. Brasília. 2006.

SINGER, Paul. Introdução à Economia Solidária. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2002.

VERGARA, Sylvia Constant. Métodos de coleta de dados no campo. 2009. São Paulo: Atlas.

Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 2004. 5. Ed. São Paulo: Atlas.

Ministério do Trabalho e Emprego – MTE. II CONFERÊNCIA NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA – CONAES, 2010, Brasília. Disponível em http://portal.mte.gov.br/data/files/8A7C812D36A28000013731C8C25D7CEE/II_coanes_documento_final.pdf. Acesso em: 30/04/2015.

Ministério do Trabalho e Emprego – MTE. III CONFERÊNCIA NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA – CONAES, 2010, Brasília. Disponível em - http://portal.mte.gov.br/data/files/FF8080814373793B0143BB08893640E8/Texto%20de%20Refer%C3%AAncia%20-%20gr%C3%A1fica.pdf. Acesso em: 30/04/2015.

Ministério do Trabalho e Emprego – MTE. Disponível em http://portal.mte.gov.br/ecosolidaria/programa-economia-solidaria-em-desenvolvimento. Acesso em: 30/04/ 2015.