Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Eficiência no Processo de Impressão em Uma Indústria de Embalagens Plásticas da Região Metropolitana de Belo Horizonte

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/2359-5302/ptr.v2n1p108-125

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/ptr/index 

downloadpdf

Geraldo Duarte Filho1, Regiane de Souza2 & Tiago S. Gontijo3

 

Resumo: A eficiência de um processo é fundamental para toda organização que almeja não somente a sobrevivência no mercado, mas, também, a expansão do seu ofício. O seu controle contínuo requer metodologia apurada para verificar, medir e aperfeiçoar suas operações elementares. Baseado nessa premissa, e considerando o pressuposto de que todo processo pode e deve ser melhorado, foi realizado um estudo da eficiência produtiva em uma impressora flexográfica de embalagens flexíveis instalada em um fabricante de embalagens plásticas que utiliza a flexografia como técnica de impressão. Mediante análise de documentos, coleta de dados, mapeamento das atividades e averiguação por meio de ferramentas administrativas adequadas foi possível examinar o caso de forma detalhada e constatar uma baixa eficiência nesse processo. Dentre as causas encontradas para essa ocorrência ressalta-se, como a principal, o dilatado tempo de setup da impressora. O setup é a troca de ferramentas da produção atual para a produção posterior de um maquinário e pode ser dividido em dois modos: setup interno – executado somente com máquina parada e setup externo - que por não exercer influência sobre a máquina, deve ser realizado com a mesma em funcionamento. Utilizando a filosofia do SMED (Single Minute Exchange of Die), método específico para o estudo e a aplicação da Troca Rápida de Ferramentas (TRF), foi feita a diferenciação e a separação entre os tipos de setup. A contar dessa divisão foi possível calcular a redução do tempo de troca de ferramentas do maquinário e projetar um aumento significativo da eficiência em questão.

Palavras-chave: Processo; Qualidade; Setup; SMED.

 

Abstract: The efficiency of a process is critical to every organization that aims not only to survive in the market, but also the expansion of their trade. Your continued control requires accurate methodology to verify, measure and improve their basic operations. Based on this premise, and considering the assumption that the whole process can and should be improved, a study was conducted of production efficiency in a flexographic printer of flexible packaging installed in a plastic packaging manufacturer using flexography and printing technique. By document analysis, data collection, mapping and investigation activities through appropriate administrative tools it was possible to examine the case in detail and find a low efficiency in the process. Among the causes found for this occurrence it is noteworthy, as the main, the expanded printer setup time. The setup is the exchange of current production tools for the subsequent production of machinery and can be divided into two modes: internal setup - run only with stop and external setup machine - that by not influence the machine must be carried out the same operation. Using the philosophy of SMED (Single Minute Exchange of Die), a specific method for the study and application tools Quick Change (TRF) was made differentiation and separation between the types of setup. The date of that division was possible to calculate the reduction in the machinery of the tool change time and project a significant increase in efficiency in question.

Key words: Process; Quality; Setup; SMED.

 

1 Graduando em Engenharia de Produção, Centro Universitário Izabela Hendrix (CEUNIH), gdfilho9@gmail.com.
2 Graduanda em Engenharia de Produção, Centro Universitário Izabela Hendrix (CEUNIH), souza_regiane@hotmail.com
3 Mestre em Engenharia de Produção (UFMG), Docente do curso de Engenharia de Produção do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix (CEUNIH), tiago.gontijo@izabelahendrix.edu.br

 

Literatura Citada

ABIPLAST – Associação brasileira da indústria do plástico – Perfil 2012: Indústria Brasileira de Transformação De Material Plástico. Revista. São Paulo: [s. n.], 2012. 48 p. Disponível em: <http://file.abiplast.org.br/download/estatistica/perfil2012_versao_eletronica.pdf>. Acesso em: 1 maio 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 9000: Sistemas de gestão da qualidade: fundamentos e vocabulário. Rio de Janeiro, 2000. 29 p. Disponível em: <https://qualidadeuniso.files.wordpress.com/2012/09/nbr-iso-9000-2005.pdf>. Acesso em: 2 maio 2015.

BACCI, M. D. N.; SUGAI, M.; NOVASKI, O. Proposta de modelo de tomada de decisão para aplicação da metodologia SMED. In: SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 12., 2005, Bauru. Anais eletrônicos... São Paulo: UNESPE, 2005. p. 1-12. Disponível em: <http://www.simpep.feb.unesp.br/anais/anais_12/copiar.php?arquivo=Bacci_M_Propostade Modelo.pdf>. Acesso em: 2 set. 2015.

CAMPOS, V. F. Gerenciamento da rotina do trabalho do dia a dia. 9. ed. Nova Lima: Falconi, 2013. 266 p.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P.A. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006. 242 p.

DELLARETTI FILHO, O.D.; DRUMOND, F.B. Itens de controle e avaliação de processos. 2. ed. Belo Horizonte: Fundação Christiano Ottoni, 1994. 151 p.

FOGLIATO, F. S.; FAGUNDES, P. R. M. Troca rápida de ferramentas: proposta metodológica e estudo de caso. Porto Alegre. Revista Gestão & Produção, v. 10, n. 2, p. 163-181, ago. 2003. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0104-530X2003000200004>. Acesso em: 22 abr. 2015.

GONÇALVES, J. E. L. As empresas são grandes coleções de processos. RAE - Revista de administração de empresas, v. 40, n. 1, jan./mar. 2000. 19 p. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75902000000100002>. Acesso em: 29 mar. 2015.

HOOPER, J. H. A abordagem de processo na nova ISO 9001. São Paulo, maio. 2002. Disponível em: <http://www.qsp.org.br/abordagem_processo.shtml>. Acesso em: 6 mar. 2015.

HUNT, V. D. Process mapping: how to reengeneer your business processes. New York: John Wiley & Sons, Inc., 1996. 288 p. Disponível em: <http://www.wiley.com/WileyCDA/WileyTitle/productCd-0471132810.html>. Acesso em: 1 set. 2015.

JURAN, J. M.; GRYNA, F. M. Controle de qualidade: conceitos, políticas e filosofia da qualidade. vol. 1. São Paulo: Makron, McGraw-Hill, 1991. 377 p.

MOURA, R. A.; BANZATO, E. Redução do tempo de setup: troca rápida de ferramentas e ajustes de máquinas. São Paulo: IMAM, 1996. 112 p.

REVISTA PLÁSTICO MODERNO. São Paulo: QD Editora, n. 479, set. 2014, 48 p. Disponível em: <http://www.plastico.com.br/revistas/pm479/index.html#/8>. Acesso em: 1 maio 2015.

RODRIGUES, I. A. Implementação de técnicas da produção enxuta numa empresa de manufatura contratada do setor eletroeletrônico. 2006. 96 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/NVEA-5Y4NAE/iana_ara_jo_rodriguesdissertacao.pdf?sequence=1>. Acesso em: 16 abr.2015.

SANTOS, R.S. Gestão de processos e estratégias para as MPE’s. 29 dez. 2015. Disponível em: <http://www.taperatv.com.br/destaque/gestao-de-processos-e-estrategias-para-as-mpes-santos-r-s>. Acesso em: 3 out. 2015.

SATOLO, E. G.; CALARGE, S. A. Troca rápida de ferramentas: estudo de casos em diferentes segmentos industriais. São Paulo. Revista Exata, v. 6, n. 2, p. 283-296, jul./dez. 2008. Disponível em: <http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=81011748011>. Acesso em: 26 mar. 2015.

SCARTEZINI, L.M.B. Análise e melhoria de processos. Apostila. Goiânia, 2009. 54 p. Disponível em: <htttp://www.aprendersempre.org.br/arqs/GE%20B%20-%20An%E1lise-e-Melhoria-de-Processos.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2015.

SILVA, E.; MENEZES, E.M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4 ed. Florianópolis, UFSC, 2005. 138 p. Disponível em: <http://tccbiblio.paginas.ufsc.br/files/2010/09/024_Metodologia_de_pesquisa_e_elaboracao_de_teses_e_dissertacoes1.pdf>. Acesso em: 25 ago. 2011.

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da produção. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009. 706 p.

WERKEMA, M. C. Criando a cultura lean seis sigma. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 259 p.

XENOS, H.G.P. Gerenciando a manutenção produtiva. Nova Lima: Falconi, 2004. 302 p.