Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Determinantes para Obtenção de Estágio Curricular em Cursos de Engenharia de Produção

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/2359-5302/ptr.v2n1p141-152

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/ptr/index 

downloadpdf

Ana P. do C. Teixeira1, Josianne do C. Cardoso2 & Alexandre de C. Rodrigues3

 

Resumo: A realização de estágio curricular é uma obrigatoriedade para a conclusão de cursos superiores. Tendo isso como motivação, este trabalho analisa os fatores que determinam obtenção de estágios em cursos de engenharia. Para tanto, é realizada uma pesquisa quantitativa e descritiva, que tem como amostra alunos do oitavo e nono períodos do curso de Engenharia de Produção do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix. Os resultados, obtidos por meio de modelo de regressão logística, revelam que alunos do nono período ou bolsistas têm maiores chances de obter estágio que aqueles que não o são. Apurou-se ainda que, para a amostra, as variáveis sexo, idade, experiência profissional, vivência internacional, domínio de línguas ou informática, percepção da qualidade do serviço de divulgação de vagas de estágio, não interferem significativamente na obtenção de estágio curricular.

Palavras-chave: Estágio curricular; Engenharia de Produção; Fatores determinantes.

 

Abstract: The completion of internship is a requirement for completion of courses. With that as motivation, this paper analyzes the factors that determine the achievement of placements in engineering courses. To this end, quantitative research and descriptive, which is eight and ninth graders sample period of production engineering of the Methodist University Center Izabela Hendrix. The results, obtained by means of logistic regression model, show that students in ninth or scholars are more likely to get training course than those that are not. It was found that, for the sample under, variables sex, age, professional experience, international experience, language or computer domain, perception of service quality of dissemination of curricular internship openings, not interfere significantly in achieving the same.

Key words: Curricular trainee; Production Engineering; Determining Factors.

 

1 Graduando em Engenharia de Produção pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix (CEUNIH), anapaulacteixeira@oi.com.br
2 Graduando em Engenharia de Produção pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix (CEUNIH), josicarmocardoso@hotmail.com
3 Mestre em Engenharia de Produção (UFMG), docente do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix (CEUNIH), alexandre.rodrigues@izabelahendrix.edu.br

 

Literatura Citada

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTÁGIOS. Estatísticas. 2012. Disponível em: <http://www.abres.org.br/v01/dados-estagiarios-estudantes-no-brasil>. Acesso em: 3 maio 2015.

BAHIA, M., LAUDARES J. B.. A participação da mulher em áreas específicas da engenharia. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA, 39., 2011, Blumenal/SC. Anais eletrônicos... Brasilia: ABENGE, 2011. Disponível em: <http://www.abenge.org.br/CobengeAnteriores/2011/sessoestec/art1619.pdf>. Acesso em: 14 maio 2015.

BARBIERI, J; AZEVEDO, E. A responsabilidade do jovem brasileiro como elemento de desenvolvimento intercultural na globalização. 2008. Disponível em: <http://www.ontopsicologia.org.br/_arquivos/1272108789.pdf>. Acesso em: 10 maio 2015.

BOTELHO, J. O mercado prefere quem fala inglês. Disponível em: <http://www2.uol.com.br/aprendiz/guiadeempregos/palavra/jbotelho/ge080402.htm>. Acesso em: 9 maio 2015.

BRASIL. Lei nº. 11.788, de 25 de setembro de 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996; revoga as Leis nºs 6.494, de 7 de dezembro de 1977, e 8.859, de 23 de março de 1994, o parágrafo único do art. 82 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e o art. 6º da Medida Provisória nº 2.164-41, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 set. 2008.

BRASIL. Ministério Da Educação. Resolução CNE/CES 11, de 11 de março de 2002. Diretrizes Curriculares para os cursos de Engenharia. Diário Oficial da União, Brasília, 9 abr 2002. Seção 1, p. 32.

GANGA, G. M. D. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na Engenharia de Produção. São Paulo: Atlas, 2012.

NASCIMENTO, Roberta Fernandes Lopes do; ARGIMON, Irani I. de Lima; LOPES, Regina Maria Fernandes. Atualidades sobre o idoso no mercado de trabalho. 2006. 7 p. Disponível em: <http://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0300.pdf>. Acesso em: 23 maio 2015.

PEREIRA, T. R. D. S.; GUIMARÃES FILHO, A. B. O curso de engenharia de Produção Civil da UNEB: etapas do processo de reconhecimento. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO EM ENGENHARIA, 33., 2005, Campina Grande/PB. Anais eletrônicos... Brasilia: ABENGE, 2005. Disponível em: <http://www.abenge.org.br/CobengeAnteriores/2005/artigos/BA-6-19568797572-1117833785732.pdf>. Acesso em: 23 maio 2015.

SALERNO, M.; TOLEDO D.; GOMES L.; LINS L. Tendências e Perspectivas da Engenharia no Brasil. Relatório Engenharia Data 2013. Formação e Mercado de Trabalho em Engenharia no Brasil. Instituto de Estudos Avançados, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: <http://www.iea.usp.br/pesquisa/grupos/observatorio-inovacao-competitividade/publicacoes/online/engenhariadata-tendencias-e-perspectivas-da-engenharia-no-brasil-relatorio-2013/view>. Acesso em: 12 jun. 2015.

SCHWARTZMAN, S. Brasil: oportunidade e crise no ensino superior. 1988. Disponível em: <http://www.schwartzman.org.br/simon/pdf/oportun.pdf>. Acesso em: 23 maio 2015.