Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Relação Entre o Acúmulo de Serapilheira Sobre o Solo e Variáveis Dendrométricas em Povoamento Híbrido de Eucalyptus urophylla x E. globulus maidenii, em Eldorado do Sul/RS1

DOI: http://dx.doi.org/10.13086/2316-980x.v01n01a03

http://www.enflo.com.br 

downloadpdf

Eleandro J. Brun2, Monique de O. Ferraz3 & Elias F. de Araújo4

 

Resumo: Em um povoamento de Eucalyptus urophylla x E. globulus maidenii, com 5,5 anos, no município de Eldorado do Sul, Rio Grande do Sul/Brasil, estudou-se o acúmulo de serapilheira e sua relação com parâmetros dendrométricos. Na área de estudo foram alocadas 4 (quatro) parcelas de 20 m x 20 m e dentro destas 3 (três) sub-parcelas de 3 m x 2 m cada, coletando-se todos os galhos (diâmetro > 1 cm) e a serapilheira fina (folhas, galhos com diâmetro ≤ 1 cm, cascas, frutos, sementes, etc.) em 04 amostras/parcela. As variáveis dendrométricas foram medidas (Diâmetro a Altura do Peito (DAP) e a altura total (Ht)) em 03 parcelas de 20 m x 30 m. A serapilheira acumulada alcançou 18,4 Mg ha-1 (CV% 29,6%). O acúmulo de galhos grossos foi de 1,06 Mg ha-1 (CV% 49,5%), totalizando 19,5 Mg ha-1 de material orgânico acumulado. O DAP médio foi de 17,0 cm, a altura total média 21,6 m e a área basal de 22,7 m2 ha-1. A correlação entre acúmulo de serapilheira, galhos grossos e material orgânico total foi positiva quanto ao número de árvores/ha, negativa em relação ao DAP e Ht e inexistente para área basal. Isso demonstra maior acúmulo de serapilheira em locais com mais árvores, porém menores, o que pode estar relacionado a uma maior produção de serapilheira nestes locais e uma menor velocidade de decomposição, geralmente associada a sítios de menor produtividade.

Palavras-chave: eucalipto, ciclagem de nutrientes, crescimento florestal

 

Abstract: In a 5.5 years old Eucalyptus urophylla x E. globulus maidenii stand with 5.5 years old, in Eldorado do Sul, Rio Grande do Sul/Brazil, the litter accumulation and its relation with dendrometric variables were studied. In 4 (four) plots (20 m x 20 m each), 3 (three) sub-plots (3 m x 2 m each) were installed for branches (diameter > 1 cm) and the fine litter (leaves, branches with diameter ≤ 1 cm, barks, fruits, seeds, etc.) collection. The dendrometric variables were obtained (Diameter at breast height-DBH, and the total height-TH 3 (three) plots (20 m x 30 m each). Fine litter accumulated was 18.4 Mg ha-1 (CV% 29.6%). Coarse branches accumulation was 1.06 Mg ha-1 (CV% 49.5%), totalizing 19.5 Mg ha-1 of organic material accumulated. The average DBH was 17 cm and the TH 21.6 m, with basal area of 22.7 m2 ha-1. The correlation between litter accumulation, coarse branches and total organic matter was positive to the number of trees and negative to DBH and Ht and out to the basal area. It demonstrates the higher litter accumulation in areas with more trees (even smaller ones), which can be related to higher litter production in these areas and to low decomposition rate, in general associated to low productivity sites.

Key words: eucalypt, nutrient cycling, forest growth

 

1 Recebido em 05.10.2012 e aceito para publicação em 26.11.2012
2 Eng. Florestal, Dr. Prof., Tutor Grupo PET Engenharia Florestal, Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Câmpus Dois Vizinhos. Estrada p/ Boa Esperança, km 4 – CEP: 85660-000. E-mail: eleandrobrun@utfpr.edu.br
3 Eng. Florestal, analista técnico da empresa Seta S.A.
4 Eng. Florestal, pesquisador da CMPC – Celulose Riograndense S.A. Guaíba, RS, Brasil

 

Literatura Citada

BAUERMANN, G. C. et al. Fracionamento da serapilheira em três espécies de eucalipto no município de Santa Maria, RS: Eucalyptus urophylla, E. cloesiana e E. grandis. CICLO DE ATUALIZAÇÃO FLORESTAL DO CONESUL, 2, Anais... Santa Maria, RS. 2002, p. 173-180.

COSTA, G.S.; GAMA-RODRIGUES, A.C.; CUNHA, G.M. Decomposição e liberação de nutrientes da serapilheira foliar em Eucalyptus grandis no norte fluminense. Revista Árvore, v.29, n.4, p.563-570, 2005. doi

GAMA-RODRIGUES, A.C.; BARROS, N.F. Ciclagem de nutrientes em floresta natural e em plantios de eucalipto e de dandá no sudeste da Bahia, Brasil. Revista Árvore, Viçosa, v.26, n.2, p.193-207, 2002.

KLEINPAUL, I. S. et al. Suficiência amostral para coleta de serapilheira acumulada sobre o solo em Pinus elliottii Engelm, Eucalyptus sp. e Floresta Nativa. Revista Árvore, v. 29, n. 6, 965-972, 2005. doi

KOLM, L. Ciclagem de nutrientes e variação do microclima em plantações de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden manejadas através de desbastes progressivos. 2001. 88 f. Dissertação (Mestrado em Recursos Florestais). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/USP. 2001.

MORENO, J. A. Clima do Rio Grande do Sul., Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961, 73 p.

POGGIANI, F. Nutrient cycling in Eucalyptus and Pinus plantations ecosystems: silvicultural implications. IPEF, Piracicaba, v. 31, p. 33-40. 1985.

SCHUMACHER, M. V.; BRUN, E. J. Decomposição dos resíduos da madeira de Pinus taeda proveniente de serraria. Santa Maria: Laboratório de Ecologia Florestal/FATEC. 2005. (Relatório de Pesquisa).

SCHUMACHER, M. V. et al. Retorno de nutrientes via deposição de serapilheira em um povoamento de acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild.) no estado do Rio Grande do Sul. Revista Árvore, Viçosa, v. 27, n. 6, p. 791-798, 2003.

STRECK, E. V. et al. Solos do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2002. 107 p.

TREVISAN, E.; REISSMANN, C. B.; KOEHLER, C. W. Classificação e caracterização de horizontes orgânicos sob povoamento de Pinus taeda L. na região de Ponta Grossa, PR. In: CONGRESSO FLORESTAL PAN-AMERICANO, I e CONGRESSO FLORESTAL BRASILEIRO, VII. Curitiba, PR, 1993. Anais... Curitiba, SBS, 1993, p. 732.

WISNIEWSKI, C.; REISSMANN, C. B. Deposição de serapilheira e nutrientes em povoamentos de Pinus taeda L. na região de Ponta Grossa, PR. Arquivos de Biologia e Tecnologia, v, 39, n. 2, p. 435-442, 1996.