Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Microgeração Fotovoltaica Conectada à Rede Elétrica: Considerações Acerca de Sua Difusão e Implantação no Brasil

DOI: http://dx.doi.org/10.19180/1809-2667.v18n216-03

http://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/vertices 

downloadpdf

Luiz M. L. de Andrade Júnior1 & Luiz F. R. Mendes2

 

Resumo: Os sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica aparecem como uma opção tecnológica para o atendimento à crescente demanda por energia. Este trabalho visa discutir as barreiras econômicas e técnicas e as potencialidades existentes na implantação desses sistemas no Brasil a partir da Resolução Normativa da ANEEL nº 482/2012. O trabalho consiste em uma pesquisa exploratória para a descrição e a identificação das oportunidades e dos benefícios, bem como das dificuldades e barreiras na difusão desse tipo de sistema de geração. Assim, para a difusão da geração, faz-se necessário um esforço mútuo entre os segmentos que permeiam a geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia.

Palavras-chave: Geração distribuída. Oportunidades. Desafios.

 

Abstract: Grid-connected photovoltaic power systems appear as a technological option to meet thegrowing demand for energy. The article discusses the economic and technical barriers and the potential for deployment of these systems in Brazil from the rules of ANEEL Resolution No. 482/2012. The work consists of a survey for the description and identification of the opportunities and benefits as well as the difficulties and barriers in the dissemination of this type of generation system. Thus, for the diffusion of the generation, there must be mutual effort between segments that permeate the generation, transmission, distribution and commercialization of energy.

Key words: Distributed generation. Opportunities. Challenges.

 

1 Tecnólogo em Sistemas Elétricas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) e Professor do IFFluminense campus Campos Centro, Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: lmauricio.lopes@gmail.com.
2 Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Candido Mendes (UCAM-Campos). Pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Gestão Ambiental e Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) campus Campos Centro e Guarus, Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. E-mail: lfmendes@iff.edu.br.

 

Literatura Citada

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. Bandeiras tarifárias. Disponível em: < http://www.aneel.gov.br/area.cfm?idArea=758&idPerfil=2&idiomaAtual=0>. Acesso em: 25 maio 2015.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. Banco de informações de geração. Disponível em: <http://www.aneel.gov.br/aplicacoes/capacidadebrasil/capacidadebrasil.cfm>. Acesso em: 25 maio 2015.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. Resolução Normativa 482, de 17 de abril de 2012. Disponível em: < http://www.aneel.gov.br/cedoc/ren2012482.pdf>. Acesso em: 26 fev. 2015.

ANDERLE, D. F.; FREITAS JÚNIOR, V. A utilização da tecnologia da informação nas “Smart Cities”: um estudo bibliométrico. Disponível em: <http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/artigo_-_a_utilizacao_da_tecnologia_da_informacao_nas_smart_cities_-_um_estudo_bibliometrico.pdf>. Acesso em: 26 fev. 2015.

ANEEL propõe restabelecer regras de rateio do custo das térmicas. Valor econômico. Disponível em: <http://www.valor.com.br/empresas/3880672/aneel-propoerestabelecer-regra-de-rateio-do-custo-de-termicas>. Acesso em: 25 maio 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA ELÉTRICA ELETRÔNICA. Propostas para Inserção da Energia Solar Fotovoltaica na Matriz Elétrica Brasileira. Disponível em: <http://www.abinee.org.br/noticias/com133.htm>. Acesso em: 3 set. 2014.

BAIRD, C.; CANN, M. Química Ambiental. 4. ed. São Paulo: Bookman, 2011.

CARTA CAMPINAS. Valinhos inaugura este mês a primeira montadora de painel solar fotovoltaico. Disponível em: <http://cartacampinas.com.br/2015/02/valinhos-inauguraeste-mes-a-primeira-montadora-de-painel-solar-fotovoltaico/>. Acesso em: 9 jun. 2015.

CICLO VIVO. Bairro solar na Alemanha produz quatro vezes mais energia do que consome. Disponível em: <http://ciclovivo.com.br/noticia/bairro_solar_na_alemanha_produz_quatro_vezes_mais_energia_do_que_consome>. Acesso: 9 jun. 2015.

COGEN.ASSOCIAÇÃO DA INDÚSTRIA DE COGERAÇÃO DE ENERGIA. GT COGEN Solar: inserção da energia solar no Brasil. Disponível em: <http://www.cogen.com.br/info_doc_solar.asp>. Acesso em: 5 maio 2014.

COLETIVO VERDE. Ota a Cidade Solar: Cidade Japonesa já tem mais de 1000 casas utilizando energia solar. Disponível em: <http://www.coletivoverde.com.br/otaa-cidade-solar/>. Acesso em: 9 jun. 2015.

COPPE debate crise hídrica e de energia elétrica. Disponível em: <http://www.planeta.coppe.ufrj.br/artigo.php?artigo=1923>. Acesso em: 8 fev. 2015.

DIAS, M.V.X.; BORTONI, E.C.; HADDAD, J. Geração Distribuída no Brasil: Oportunidades e barreiras. Revista Brasileira de Energia, v.11, n. 2, p.1-11, 2005. Disponível em: <http://www.sbpe.org.br/rbe/revista/21/>. Acesso em: 15 jun. 2015.

DIDONÉ, E. L.; WAGNER, A.; PEREIRA, F. O. R. Estratégias para edifícios de escritórios energia zero no Brasil com ênfase em BIPV. Revista Ambiente Construído [online], v. 14, n.3, p.27-42, 2014. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1678-86212014000300003>. Acesso em: 15 jun. 2015.

EMBAIXADA ITALIANA. Projeto embaixada verde: rumo à Rio +20. Disponível em: <http://www.ambbrasilia.esteri.it/NR/rdonlyres/D935BC43-2BD7-4A3C-9661-A8CED7EA6F3C/57978/ProjetoEmbaixadaVerde_PT_1.pdf>. Acesso em: 25 maio 2015.

EMPRESA DE PESQUISAS ENERGÉTICAS. Análise de inserção da geração solar na matriz elétrica brasileira. Disponível em: <http://www.epe.gov.br/geracao/Paginas/NotatécnicaAnálisedaInserçãodaGeraçãoSolarnaMatrizElétricaBrasileira.aspx>. Acesso em: 9 mar. 2015.

EMPRESA DE PESQUISAS ENERGÉTICAS. Balanço Energético Nacional. Disponível em: < https://ben.epe.gov.br/>. Acesso em: 9 mar. 2015.

ENERGIA PURA. Site. Disponível em: <https://www.energiapura.com/>. Acesso em: 19 jun. 2014.

EPE. EMPRESA DE PESQUISAS ENERGÉTICAS. Plano Nacional de Energia 2030: PNE 2030. Rio de Janeiro: EPE/MME, 2007. Disponível em: <http://www.epe.gov.br/PNE/Forms/Empreendimento.aspx>. Acesso em: 1 set. 2014.

EXAME. Conheça Fujisawa, a cidade verde e inteligente do Japão. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/conheca-fujisawa-a-cidade-verde-einteligente-do-japao#1>. Acesso em: 9 jun. 2015.

FOREGON. O que é o leasing. Disponível em: <http://www.foregon.com/dicas/7/oque-e-leasing.aspx>. Acesso em: 25 jun. 2015.

G1. Pequenos produtores de energia do RN terão isenção no ICMS. Disponível em: <http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2015/06/pequenos-produtoresde-energia-do-rn-terao-isencao-no-icms.html>. Acesso em: 5 jun. 2015.

GOLDEMBERG, J.; LUCON, O. Energia, Meio Ambiente e Desenvolvimento. 3. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

JANNUZZI, G.; VARELLA, F.; GOMES, R. Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede Elétrica no Brasil: panorama da atual legislação. Campinas: Pro-Cobre, 2009.

LEONELLI, P. A. (Coord.). Estudo e propostas de utilização de geração fotovoltaica conectada à rede, em particular em edificações urbanas. Disponível em: <http://www.abinee.org.br/informac/arquivos/mmegtsf.pdf>. Acesso em: 22 fev. 2015.

MARTINS, F.R.; PEREIRA, E.B.; ECHER, M. P. S. O aproveitamento dos recursos de energia solar no Brasil com o emprego de satélite geoestacionário: o projeto

SWERA. Revista Brasileira de Ensino de Física [online], v.26, n.2, p. 145-159, 2004. Disponível em: <http://www.scielo.org>. Acesso em: 25 maio 2015.

MENDES, L. F. R. Considerações acerca da geração hidroelétrica fluminense a partir da crise hídrica do estado de São Paulo. Boletim do Observatório Alberto Lamego, v.8, n.1, p. 35-49, 2014.

MORANTE, F. T et al. Panorama da geração distribuída no Brasil utilizando a tecnologia solar fotovoltaica. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENERGIA SOLAR, CBENS, 2., 2008, Florianópolis. Anais...NÓS pesquisamos para produzir energia elétrica limpa e sustentável. PUC, RS. Disponível em: <http://www3.pucrs.br/portal/page/portal/pesquisa/Capa/EnergiaSolar>. Acesso em: 8 jun. 2015.

OLIVEIRA, S. H. F. Geração Distribuída de eletricidade: Inserção de edificações fotovoltaicas conectadas à rede no Estado de São Paulo. São Paulo, 2002. 198p. Tese (Doutorado em Energia) – Universidade de São Paulo, 2002.

PALZ, W. Energia Solar e Fontes Alternativas. São Paulo: Hemus, 2002.

PINHO, J. T.; GALDINO, M. A. (Org.). Manual de Engenharia para Sistemas Fotovoltaicos. Rio de Janeiro: CEPEL-CRESESB, 2014.

QUAGLIA, R. B. Incentivo à Geração Distribuída com Sistemas Fotovoltaicos: cenários para o setor elétrico brasileiro. 2010. 114 f. Dissertação (Mestrado em Energia) - Universidade Federal do ABC. Santo André.

RIFKIN, J. A Terceira Revolução Industrial. São Paulo: M. Books, 2012.

RITTL, C. Brasil, entre o berço esplêndido e caos climático. Disponível em: <http://www.seeg.eco.br/carlos-rittl-brasil-entre-o-berco-esplendido-e-caos-climatico/>. Acesso em: 3 fev. 2015.

RODRIGUES, D.; MATAJS, R. Um banho de sol para o Brasil: o que os aquecedores podem fazer pelo meio ambiente e sociedade. São Lourenço da Serra: Vitae Civilis, 2004.

RODRÍGUEZ, C. R. C. Mecanismos Regulatórios, Tarifários e Econômicos na Geração Distribuída: o caso dos Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede. 2002. 104p. Dissertação (Mestrado em Planejamento de Sistemas Energéticos) – Universidade Estadual de Campinas, 2002.

RUBIM, B.; LEITÃO, S. Falta seriedade. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/opiniao/falta-seriedade-12752966#ixzz34LF1ZL20>. Acesso em: 12 jun. 2014.

RUTHER, R. Edifícios Solares Fotovoltaicos: o potencial da geração de energia fotovoltaica integrada a edificações urbanas e interligada à rede elétrica. 1. ed. Florianópolis: UFCS/LABSOLAR, 2004.

SANTOS, J. B.; JABBOUR, C. J. C. Adoção da energia solar fotovoltaica em hospitais: revisando a literatura e algumas experiências internacionais. Revista Saúde e Sociedade [online], v. 22, n.3, p. 972-977, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.org>. Acesso em: 22 fev. 2015.

SANTOS, M. A. (Org.). Fontes de energia nova e renovável. Rio de Janeiro: LTC, 2013.

TIAGO FILHO, G. L. et al. A viabilidade de aplicação da resolução 482 na implantação de sistemas de geração fotovoltaica nas atuais condições de mercado. Disponível em: < http://www.cerpch.unifei.edu.br/noticias/a-viabilidade-de-aplicacaoda-resolucao-482-na-implantacao-de-sistemas-de-geracao-fotovoltaica-nas-atuaiscondicoes-de-mercado.html>. Acesso em: 22 fev. 2015.

VILLALVA, M.; GAZOLI, J. Energia Solar Fotovoltaica: Conceitos e Aplicações: Sistemas Isolados e Conectados à Rede. São Paulo: Érica, 2012.