Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

As Demandas Matemáticas da Indústria Petrolífera do Norte Fluminense

DOI: http://dx.doi.org/10.19180/1809-2667.v18n216-06

http://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/vertices 

downloadpdf

Ana P. R. de Andrade1, Rosélia da S. Piquet2 & Elis de A. Miranda3

 

Resumo: A região Norte Fluminense tem, na indústria petrolífera, um forte empregador de mão de obra técnica de nível médio. A Matemática é fundamental a esses profissionais por trabalhar competências relacionadas ao raciocínio lógico, ao poder de argumentação, à resolução de problemas, dentre outras. O artigo apresenta os resultados de uma pesquisa de caráter qualitativo que determinou, segundo quatro grupos de entrevistados, as demandas matemáticas necessárias aos técnicos de nível médio que atuam no setor upstream da indústria petrolífera da Bacia de Campos. Os resultados mostram conteúdos, metodologias e competências que interseccionam a Matemática no trabalho em diversos setores dessa indústria.

Palavras-chave: Região Norte Fluminense. Indústria petrolífera. Matemática.

 

Abstract: In the northern region of the Rio de Janeiro State, the oil industry is a strong employer of skilled technicians at HIgh School level. Mathematics is crucial for these professionals because they work with skills including logical thinking, the power of reasoning and problem solving, among others. The article presents the results of a qualitative research survey that determined, according to four surveyed groups, which mathematical demands are necessary for the High School technicians that work in the upstream area of the oil industry in the Campos Basin. The results show that content, methodologies and skills intersect Mathematics and this type of work in various sectors of the industry.

Key words: Northern Region of Rio de Janeiro. Oil industry. Mathematics.

 

1 Mestre em Planejamento Regional e Gestão de Cidades (UCAM). Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFFluminense) - Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. Email: anapaularangeldeandrade@gmail.com
2 Doutora em Teoria Econômica (UFRJ). Coordenadora do Mestrado em Planejamento Regional e Gestão de Cidades da Universidade Cândido Mendes (UCAM) - Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. Email: ropiquet@terra.com.br
3 Doutora em Planejamento Regional e Urbano (UFRJ). Professora da Universidade Federal Fluminense (UFF) - Campos dos Goytacazes/RJ - Brasil. Professora colaboradora do Mestrado em Planejamento Regional e Gestão de Cidades da Universidade Cândido Mendes (UCAM) - Campos dos Goytacazes/RJ – Brasil. Email: elismiranda10@gmail.com

 

Literatura Citada

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer nº. 16, de 5 de outubro de 1999. Trata das diretrizes curriculares nacionais para a educação profissional de nível técnico. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 26 nov. 1999a. Disponível em: <http://por tal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf_legislacao/tecnico/legisla_tecnico_parecer1699.pdf >. Acesso em: 10 jul. 2014.

Resolução nº. 4, de 8 de novembro de 1999. Institui as diretrizes curriculares nacionais para a educação profissional de nível técnico. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 22 dez. 1999b. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf_legislacao/tecnico/legisla_tecnico_resol0499.pdf>. Acessoem: 20 jun. 2014.

Ministério da Educação. Ideb. Brasília: Inep/MEC, 2014. Disponível em: <http://ideb.inep.gov.br/>. Acesso em: 10 set. 2014.

Lei de Diretrizes e Bases nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Fixa as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm >. Acesso em: 25 jul. 2013.

Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares para o ensino médio: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/ SEB, 2006.

Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Brasília: MEC/SEB, 2000.

Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1998.

Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais + Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEMTEC, 2002.

Ministério do Trabalho e Emprego. Classificação Brasileira de Ocupações. 3.ed. Brasília: MTE/SPPE, 2010. v. 3

BUREAU INTERNATIONAL DES POIDS ET MESURES (BIPM). NIST Guide to the SI. 2014. Disponível em: < http://physics.nist.gov/Pubs/SP811/appenB9.html >. Acesso em: 20 maio 2014.

CAETANO FILHO, Elisio. O papel da pesquisa nacional na exploração e explotação petrolífera da margem continental na Bacia de Campos. In: PIQUET, Rosélia (Org.). Petróleo, royalties e região. Rio de Janeiro: Garamond, 2010. p. 39-94.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Educação Matemática: da teoria à prática. Campinas: Papirus, 1996. (Coleção Perspectivas em Educação Matemática).

FERNÁNDEZ Y FERNÁNDEZ, Eloi; MUSSO, Bruno. Oportunidades e Desafios da Agenda de Competitividade para Construção de uma Política Industrial na Área de Petróleo: Propostas para um Novo Ciclo de Desenvolvimento Industrial. In: FÓRUM NACIONAL, 23., 2011, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: INAE, 2011. p. 1-37.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar: como fazer uma pesquisa qualitativa em ciências sociais. Rio de Janeiro: Record, 2009.

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA (INMETRO). Sistema Internacional de Unidades SI. Duque de Caxias, RJ: INMETRO: CICMA: SEPIN, 2012.

INSTITUTO PAULO MONTENEGRO. Inaf Brasil 2011. São Paulo: Instituto Paulo Montenegro e Ação Educativa, 2012.

LIMA, Elon Lages. Exame de Textos: Análise de livros de Matemática para o Ensino Médio. Rio de Janeiro: VITAE: IMPA: SBM, 2001.

Matemática e Ensino. Rio de Janeiro: SBM, 2002. (Coleção do Professor de Matemática).

MIRANDA, Cleiton Geraldo Mendes. Competências e habilidades matemáticas no trabalho de técnicos de nível médio e de engenheiros do setor industrial. 2012. 132 f. Dissertação (Mestrado em Educação Tecnológica) – Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

MOREIRA, Herivelto; CALEFFE, Luiz Gonzaga. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. 2.ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.

ONUCHIC, Lourdes de la Rosa. Ensino-aprendizagem de Matemática através da resolução de problemas. In: BICUDO, Maria Aparecida Viggiani (Org.). Pesquisa em Educação Matemática: concepções e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 1999. p.199-218. (Seminários e Debates).

PASTORE, José. As mudanças no mundo do trabalho: leituras de sociologia do trabalho. São Paulo: LTr, 2006.

PEREIRA, Erotide Rodrigues. A Matemática utilizada pelos técnicos em eletroeletrônica na indústria automobilística. 2013. 105 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Matemática) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

PERRENOUD, Philippe. Desenvolver Competências ou Ensinar Saberes? A escola que prepara para a vida. Tradução de Laura Solange Pereira. Porto Alegre: Penso, 2013.

PETROBRAS. Glossário. 2014. Disponível em: < http://www.investidorpetrobras.com.br/pt/glossario/>. Acesso em: 29 maio 2014.

POTTER, Merle; SCOTT, Elaine. Termodinâmica. Tradução de Alexandre Arcanjo, Helena Bononi e Suely Cuccio. São Paulo: Thomson Learning, 2006.

ROCHA, Luiz Alberto Santos et al. Perfuração Direcional. Rio de Janeiro: Interciência: Petrobras: IBP, 2011.