Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Batismo, Homo Contemplativus e Homo Faber: Uma Perspectiva Wesleyana a Favor da Superação de Interpretações Basicamente Teocêntricas ou Antropocêntricas do Batismo

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-3828/caminhando.v21n1p183-193

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CA 

downloadpdf

Helmut Renders1

 

Resumo: Neste artigo partimos da observação que as interpretações teocêntrica e antropocêntrica do batismo correspondem das necessidades distintas do homo faber e do homo contemplativus e que o retorno do homo contemplativus no fim do século 20 representa um desafio interessante para a teologia e em geral ainda respondida pela teologia batismal. Depois desenvolvemos uma proposta mais complementar das duas linhas interpretativas: valorizamos as intuições da intepretação teocêntrica como ênfase consensual de todas as igrejas na primazia da graça e as intuições da interpretação antropocêntrica como o alvo da graça incondicional e universal, o ser humano responsável. Finalizamos que a dupla ênfase na primazia da graça que antecede qualquer ação humana e na responsabilidade humana que corresponde a iniciativa divina deve transparecer em todas as formas de batismo, seja de crianças ou confessantes e que o homo faber e ou homo contemplativus, podem ganhar uma compreensão mais profunda de sim integrando as intuições do outro.

Palavras-chave: Homo faber, homo contemplativus; batismo de crianças; batismo de adultos; primazia da graça; responsabilidade humana.

 

Abstract: In this article we left note that the theocentric and anthropo-centric interpretations of Baptism corresponds to needs other than homo faber and homo contemplativus and the return of homo contemplativus at the end of the 20 century represents an interesting challenge for Theology and in general still answered by baptismal theology. After we develop a proposal more complementary to the two lines of interpretation: we value the intuitions of the theocentric interpretation as consensual emphasis of all the Churches on the primacy of grace and the intuitions of anthropocentric interpretation as the target of unconditional and universal grace, the human being responsible. We concluded that the double emphasis on the primacy of grace which precedes any human action and human responsibility that corresponds to the divine initiative should be evident in all forms of Baptism, whether children or confessantes and homo faber and homo contemplativus, can gain a deeper understanding of Yes integrating the intuitions of another.

Key words: Homo faber, homo contemplativus; Baptism of children; Baptism of adults; primacy of Grace; human responsibility.

 

1 Doutor em Ciências da Religião - Umesp (BRA, 2006). Pós-doutorado em Ciência da Religião - Universidade Federal de Juiz de Fora [UFJF] (BRA, 2012). É professor associado da Universidade Metodista de São Paulo, do Programa da Pós-graduação em Ciências da Religão e da Faculudade de Teologia (Graduação), Lattes: http://www.lattes.cnpq.br/9348720483251408. helmut.renders@metodista.br

 

Literatura Citada

ANDIÑACH, Pablo R. Ser Iglesia. Buenos Aires: Lumen, 2007.

CODINA, Victor; IRARRAZAVAL, Diego. Sacramentos de iniciação: água e espírito da liberdade. Petrópolis: Vozes, 1988 (Coleção Teologia da libertação – Série IV: A igreja, sacramento da libertação).

IGREJA METODISTA. Cânones da Igreja Metodista do Brasil. São Paulo: Imprensa Metodista, 1934.

STAPLES, Rob L. Outward sign and inward grace: the place of sacraments in Wesleyan spirituality. Kansas City: Beacon Hill Press of Kansas City, 1991.

STOOKEY, Laurence Hull. Baptism: Christ´s act in the church. Nashville: Abingdon Press, 1982.

TABORDA, Francisco. Sacramentos, práxis e festa: para uma teologia latino-americana dos sacramentos. Petrópolis: Vozes, 1987 {Coleção Teologia da libertação – Série IV: A igreja, sacramento da libertação).

WHITE, James F. The sacraments in Protestant practice and faith. Nashville: Abingdon Press, 1999.