Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Educação para Inteireza: Um Caminho para a Reforma da Educação e do Pensamento

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v26n65p43-49

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Marina P. Arruda1, Izabel C. F. Andrade2 & Leda L. F. Portal3

 

Resumo: Teorias contemporâneas da educação passaram a destacar a necessidade de uma prática educativa voltada à formação integral e ao desenvolvimento das diferentes dimensões – social, emocional, espiritual e racional – do ser humano. Este artigo teve como propósito ampliar a compreensão a respeito da Educação para Inteireza articulando os conceitos de Educação Permanente (EP) e Educação Continuada (EC), por considerarmos que essas noções possuem elementos entrosáveis e importantes para a reforma da Educação e do pensamento. Educar para inteireza é avaliar a articulação de processos de formação pessoal e profissional de maneira permanente, distinta e complementar. Podemos considerar, de forma provisória, que a Educação para Inteireza indica a necessidade de interatividade e a interdependência das estratégias de Educação Permanente e Educação Continuada. Para educar o homem por inteiro, é necessário considerar os processos de produção da vida que dizem respeito à subjetividade, à identidade, à sensibilidade para ouvir o outro e à amorosidade, que são potencialidades adormecidas no educador e que carecem ser recuperadas.

Palavras-chave: Educação Permanente; Educação Continuada; Educação para Inteireza; Reforma do pensamento do educador.

 

Abstract: Contemporary educational theories began to highlight the need for an educational practice focused on the integral formation and development of the different dimensions – social, emotional, spiritual and rational – the Human Being. This article aimed to broaden the understanding of Education for Wholeness articulating the concepts of Permanent Education (PE) and Continuing Education (CE) because we consider that these notions have agreement and important elements of the reform of education and thought. Educating for wholeness is to consider the articulation of personal and professional training processes permanently, distinct and complementary. We consider provisionally, that Education for Wholeness indicates the need for interaction and interdependence of the strategies of Continuing Education and Continuing Education. To educate the whole man is necessary to consider the life of the production processes that relate to subjectivity, identity, sensitivity to listen to the other and loveliness, which are dormant potentialities educator and need to be recovered.

Key words: Permanent Education; Continuing Education; Education for Wholeness; Thought reform educator.

 

1 Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC), Lages/SC – Brasil
2 Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC), Lages/SC – Brasil
3 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre/RS – Brasil

 

Literatura Citada

ARRUDA et al., Educação Permanente: uma estratégia metodológica para os professores da saúde. Revista Brasileira de Educação Médica, v.32 n.4. p.518 – 524 ; 2008. Acesso em: 11 out. 2015.

ARRUDA et al.; ARRUDA, L. P. O profissional da saúde como um mediador de emoções. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2010; 12(4):770-4. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n4/v12n4a25.htm. doi: 10.5216/ree.v12i4.12261. Acessado em: 22 de março de 2016. https://doi.org/10.5216/ree.v12i4.12261

ARRUDA et al.; GHIGGI,G. Conversações sobre educação popular e educação permanente – propostas concorrentes e complementares? REP - Revista Espaço Pedagógico, v. 19, n. 1, Passo Fundo, p. 135-150, jan./jun. 2012. Acesso em 5/6/2016.

AUSUBEL, D.P Psicología Educativa. Una perspectiva cognitiva. Ed. Trillas. México, 1976.

CECCIM, R. B.; FEUERWERKER, L. C. M. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.14, n.1, p.41-65, 2004.

CATANANTE, Bene. A gestão do ser integral: como integrar alma, coração e razão no trabalho e na vida. São Paulo: Infinito, 2000.

MOROSINI, Marília Costa. Enciclopédia de Pedagogia Universitária. Glossário. Vol. 2. Brasília‐ DF, Brasil: INEP/MEC, 2006, p. 354.

GALVANI, P. A autoeducação, uma perspectiva transpessoal, transdisciplinar e transcultural. In Educação e Transdisciplinaridade, II/coordenação executiva do CETRANS, São Paulo: TRIOM, 2002.

MATURANA, H. De Máquinas a seres vivos, autopoiese: a organização do vivo. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya. 8. ed. São Paulo: Cortez;Brasília: Unesco, 2003.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução de Eloá Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

MOREIRA, M. A. A teoria da aprendizagem significativa e sua implementação em sala de aula. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2006.

PORTAL, L. L. In MOROSINI, M. C. Enciclopédia de Pedagogia Universitária Glossário. Volume 2. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2006. p.77.

PORTAL, L. L. F. Educação para inteireza: um (re)descobrir-se. Porto Alegre/RS, ano XXX, n. especial, p. 285-296, out. 2007.

WILBER, Ken. Uma teoria de tudo. São Paulo: Cultrix, 2003.