Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Metodologia para Qualificação das Decisões Produtivas em Reforma Agrária do Assentamento Celso Furtado

DOI: http://dx.doi.org/10.12722/0101-756X.v28n01a01

http://www.abeas.com.br/wt/revista.php 

downloadpdf

Paulo R. M. Francisco1, José V. do N. Silva2 & José V. do N. Silva3

 

Resumo: Os levantamentos dos recursos naturais têm se constituído em trabalhos de grande importância na orientação direta da utilização de um determinado recurso, como também para subsidiar os estudos direcionados para o mapeamento e gerenciamento ambiental. Os estudos de zoneamento agrícola constituem instrumentos valiosos para os gestores dos setores públicos e privados, envolvidos com o complexo agrícola, melhorando a produção e contribuindo com a redução dos riscos de degradação. Objetivou-se o mapeamento do risco climático das terras para fins agrícolas visando oferecer meios para o planejamento econômico dos assentamentos rurais. Os resultados demonstraram que as culturas zoneadas do Abacaxi, Algodão Herbáceo, Amendoim, Banana, Coco, Girassol, Mandioca. As culturas do Arroz, Feijão Caupi, Mamona, Mamão, Maracujá, Milho e Sorgo podem ser cultivadas preferencialmente nas áreas de Tipo 1 e 2.

Palavras-chave: agricultura familiar, sistema de informação geográfica, aptidão agrícola

 

Abstract: The surveys of natural resources are major works of great importance in the direct guidance of the use of a particular resource, but also to subsidize the studies directed at mapping and environmental management. Studies of agricultural zoning are valuable tools for managers of public and private sectors, involved with the agricultural complex, improving production and contributing to the reduction of risk of degradation. The objective of mapping climate risk for agricultural land in order to provide means for the economic planning of rural settlements. The results showed that cultures zoned Pineapple, Herbaceous Cotton, Peanut, Banana, Coconut, Sunflower, Cassava. The crops of Rice, Beans Cowpea, Castor, Papaya, Passion Fruit, Corn and Sorghum can be grown preferably in the areas of type 1 and 2.

Key words: family farming, geographic information systems, agriculture aptitude

 

1 Tecnólogo Agrícola, Doutor em Engenharia Agrícola, Consultor do Instituto Penha e Margarida de Desenvolvimento Socioeconômico e Cultural, IPEMA, Alagoa Grande-PB. E-mail: paulomegna@ig.com.br
2 Engenheiro Agrônomo, Técnico do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, SR-18, INCRA. E-mail: j.vandilson.silva@gmail.com
3 Economista, Consultor do Instituto Penha e Margarida de Desenvolvimento Socioeconômico e Cultural, IPEMA, Alagoa Grande-PB. E-mail: j.vanildo@gmail.com

 

Literatura Citada

AGUIAR, M. de J. N.; S. NETO, N. C. de; BRAGA, C. C.; BRITO, J. I. B.; SILVA, E. D. V.; SILVA, M. A. V.; COSTA, C. A. R.; LIMA, J. B. de. Zoneamento pedoclimático para a cultura do cajueiro (Anacardium occidentale L.) na Região Nordeste do Brasil e no norte de Minas. Revista Brasileira de Agrometeorologia, Passo Fundo, v.9, n.3, (Nº Especial: Zoneamento Agrícola), p.557-563, 2001.

AMORIM NETO, M. da S.; BELTRÃO, N. E. de M.; MEDEIROS, J. da C. Indicadores edafoclimáticos para o zoneamento do algodoeiro arbóreo. In: Congresso Brasileiro de Agrometeorologia, 10, 199, Piracicaba. Agrometeorologia, monitoramento ambiental e agricultura sustentável. Anais da Sociedade Brasileira de Agrometeorologia, Piracicaba, 1997. p.369-371.

AMORIM NETO, M. da S.; ARAÚJO, A. E. de; CARAMORI, P. H.; GONÇALVES, S. L.; WREGE, M. S.; LAZZAROTTO, C.; LAMAS, F. M.; SANS, L. M. A. Zoneamento agroecológico e definição da época de semeadura do algodoeiro no Brasil. Revista Brasileira de Agrometeorologia, Passo Fundo, v.9, n.3, p.422-428, 2001.

BATISTELLA, M; MORAN, E. F. Geoinformação e monitoramento ambiental na América Latina. Editora SENAC. São Paulo, 2008.

BRASIL. Ministério da Agricultura. Levantamento Exploratório e de Reconhecimento dos Solos do Estado da Paraíba. Rio de Janeiro. Convênio MA/CONTA/USAID/BRASIL, 1972 (Boletins DPFS-EPE-MA, 15 - Pedologia, 8).

CÂMARA, G.; MEDEIROS, J. S. de. Geoprocessamento para projetos ambientais. INPE. São José dos Campos, 1996. 39p.

CAMPOS, M. C. C & QUEIROZ, S. B. Reclassificação dos perfis descritos no Levantamento Exploratório - Reconhecimento de solos do estado da Paraíba. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v.6 n.1, ISNN -1519-5228, UEPB, 2006.

CARVALHO, C. C. N; ROCHA, W. F; UCHA, J. M. Mapa digital de solos: Uma proposta metodológica usando inferência fuzzy. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.13, n.1, p.46–55, 2009.

CAVALCANTE, F. de S; DANTAS, J. S; SANTOS, D; CAMPOS, M. C. C. Considerações sobre a utilização dos principais solos no estado da Paraíba. Revista Científica Eletrônica de Agronomia, ano 4, n.8, 2005.

CPRM. Serviço Geológico do Brasil. Projeto de cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, diagnóstico do município de Pombal. Outubro de 2005.

EMBRAPA-CNPS. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília: Embrapa - SPI, 1999. 412p.

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília, Embrapa Produção de Informação; Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2006. 306p.

EMBRAPA. Zoneamento agroecológico da cana-de-açúcar. Org. Celso Vainer Manzatto et al. Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2009. 55 p.: il.

FERNANDES, M. F; BARBOSA, M. P; SILVA, M. J. da. O uso de um sistema de informações geográficas na determinação da aptidão agrícola das terras de parte do setor leste da bacia do Rio Seridó, PB. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.2, n.2, p.195-198, 1998.

FRANCISCO, P. R. M. Classificação e mapeamento das terras para mecanização do Estado da Paraíba utilizando sistemas de informações geográficas. Dissertação (Mestrado em Manejo de Solo e Água). Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Paraíba, Areia, 2010.

INCRA. Aptidão Agrícola do Projeto de Assentamento Celso Furtado - Areia. João Pessoa, dezembro de 2012.

MAPA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Zoneamento Agrícola de Risco Climático. Instrução Normativa Nº 2, de 9 de outubro de 2008.

MAPA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Zoneamento Agrícola de Risco Climático. Anexos, 9 de outubro de 2008a.

OLIVEIRA, J. B. Pedologia aplicada. Piracicaba: FEALQ, 2005. 574p.

PARAÍBA. Governo do Estado da Paraíba - Secretaria de Agricultura e Abastecimento – CEPA – PB. Zoneamento Agropecuário do Estado da Paraíba. Relatório. UFPB-ELC. Dez, 1978. 448p.

PARAÍBA. Governo do Estado da Paraíba. Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente. Agência Executiva de Gestão de Águas do Estado da Paraíba, AESA. PERH-PB: Plano Estadual de Recursos Hídricos: Resumo Executivo & Atlas. Brasília, DF, 2006. 112p.

RIBEIRO, G. do N.; MARACAJÁ, V. P. B.; BARROS, D. F. Utilização de técnicas de sensoriamento remoto e geoprocessamento no estudo dos recursos naturais. Revista Verde (Mossoró – RN – Brasil) v.3, n.1, p.2241, 2008.

SOUSA, R. F. de; MOTTA, J. D.; GONZAGA, E. da N.; FERNANDES, M. de F.; SANTOS, M. J. dos. Aptidão agrícola do assentamento Venâncio Tomé de Araújo para a cultura da Mamona (Ricinus communis – L.). Revista de Biologia e Ciências da Terra, v.4, n.1, 2003.

VARELLA, C. A. A. Geoprocessamento na Agricultura de Precisão. Apostila. 1a Semana Acadêmica de Engenharia de Agrimensura. UFRRJ, 2004.