Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Um Caminho de Superação Pedagógica: Os Naipes da Comunicação como Dispositivos de Atenção

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v38n3p271-298

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO 

downloadpdf

Fábio Hansen1 & Rodrigo P. V. da Silva2

 

Resumo: Este artigo apresenta o jogo Naipes da Comunicação como dispositivo de atenção em uma realidade globalizada e permeada por uma intensa rede comunicacional. Possibilidade didática criada a partir da teoria dos jogos, é investigada como estratégia de ensino e experiência de aprendizagem. Para compreender como os jogos podem auxiliar no processo de ensino-aprendizagem numa economia de atenção mobilizamos ainda as noções de globalização, comunicação e criatividade, todas condizentes ao nosso objeto de estudo e vitais na tentativa de propor alternativas para o surgimento de novas propostas pedagógicas. Ao nos apropriarmos daquilo que “rouba” a atenção do estudante e transformarmos em ferramenta para capturar a sua atenção, possibilitamos refletir sobre a necessidade de: recorrer a narrativas não necessariamente escolares; criar espaços recheados de ludicidade; desafiar os estudantes com atividades instigantes e envolventes; desenvolver nos estudantes competências formativas, como autonomia, criatividade e interação social.

Palavras-chave: Teoria dos Jogos. Economia de atenção. Ensino-aprendizagem. Naipes da Comunicação. Criatividade.

 

Abstract: This paper presents the Communication Naipes Game as an attention device in a reality which is as globalized as permeated by an intense communicative web. It is about a didactic possibility developed from Game Theory which is investigated as a teaching strategy as well as a learning experience. In order to understand just how games can help the teaching-learning process as a tool for economy attention, we have also seized upon notions like globalization, communication and creativity, all of them consistent with our object of study and vital to the attempt of suggesting alternatives to new pedagogic proposals. As we take over what diverts our students’ interest and transform it into a tool to get their attention, we develop considerations about the need of: appealing to narratives which are not necessarily formally thought; creating recreational spaces; challenging students using provoking and engrossing activities; developing student’ competences such as autonomy, creativity and social interaction.

Key words: Game Theory. Economy attention. Teaching-learning process. Communication Naipes. Creativity.

 

1 Professor no departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Paraná, e docente no Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM UFPR) na linha de pesquisa Comunicação, Educação e Formações Socioculturais.
2 Mestre em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Docente na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-Sul).

 

Literatura Citada

BACCEGA, Maria Aparecida (Org.). Gestão de processos comunicacionais. São Paulo: Atlas, 2002.

CITELLI, Adilson. Comunicação e Educação: aproximações. In: BACCEGA, Maria Aparecida (Org.). Gestão de processos comunicacionais. São Paulo: Atlas, 2002, p. 101-112.

COSTA, Belarmino César G. da. Comunicação e educação na era digital: reflexões sobre estética e virtualização. Comunicação, Mídia e Consumo – Revista do Programa de Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo, v. 7, n. 19, jul. 2010, p. 87-103.

DAHMER; Alessandro Zago; FLEURY, André Leme. A formação adequada, em tempo real. T&D: inteligência corporativa, São Paulo, n. 173, p.32-39, abr./mai. 2012.

DEMO, Pedro. Outro professor: alunos podem aprender bem com professores que aprendem bem. Jundiaí: Paco Editorial, 2011.

FINKEL, Don. Dar clase de boca cerrada. Valencia: Publicaciones de la Universitat València, 2008.

GRACIOSO, Alexandre. Visão Institucional ESPM. Informativo n. 66, São Paulo, ago. 2011.

HUIZINGA, Johan. Homo ludens. São Paulo: Perspectiva, 2000.

KOTLER, Philip. Administração de marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

LIMA, Manolita Correia. A (In)Competência Diplomada. In: CASAQUI, Vander; LIMA, Manolita Correia; RIEGEL, Viviane (Orgs.). Trabalho em publicidade e propaganda: história, formação profissional, comunicação e imaginário. São Paulo: Atlas, 2011.

LOPES, Patrícia. Projetos pedagógicos dinâmicos: a paixão de educar e o desafio de inovar. Rio de Janeiro: Editora WAK, 2011.

MCLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensões do homem. São Paulo: Editora Cultrix, 1964.

MOREIRA, M. A.; MASINI, Elcie F. Salzano Masini. Aprendizagem significativa – a teoria de David Ausubel. 2° ed. São Paulo: Centauro, 2001.

MORIN, Edgar. As duas globalizações: complexidade e comunicação, uma pedagogia do presente. 3° ed. Porto Alegre: Sulina, EDIPUCRS, 2007.

ROBINSON, Ken. A escola mata a criatividade. Revista Istoé, sl., 23 jun. 2010. Disponível em: <http://istoe.com.br/81169_A+ESCOLA+MATA+A+CRIATIVIDADE+/>. Acesso em: 26 de julho de 2016.

SANTAELLA, Lucia. A ecologia pluralista da comunicação: conectividade, mobilidade, ubiquidade. São Paulo: Paulus, 2010.

SARTORI, Ademilde Silveira. Educomunicação e sua relação com a escola: a promoção de ecossistemas comunicativos e a aprendizagem distraída. Comunicação, Mídia e Consumo – Revista do Programa de Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing. São Paulo, v. 7, n. 19, jul. 2010, p. 33-48.

VITALI, Tereza Cristina. O desafio do ensino superior de Publicidade para o século XXI. In: PEREZ, Clotilde; BARBOSA, Ivan Santo (Orgs.). Hiperpublicidade: fundamentos e interfaces. São Paulo: Thomson Learning, 2007, p. 14-31.

WINNICOT, Donald Woods. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1975.

YANAZE, Leandro. Tecno-pedagogia: os games na formação dos nativos digitais. São Paulo: Annablume, FAPESP, 2012.

YANAZE, Mituru Higuchi. Gestão de Marketing e Comunicação: avanços e aplicações. São Paulo: Saraiva, 2011.