Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Determinismo e Liberdade no Pensamento: Do Caos Mítico à Razão Computacional

DOI: http://dx.doi.org/10.15600/2236-9767/impulso.v26n66p121-133

https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/index 

downloadpdf

Luis F. A. A. Campos1 & Luiz A. C. N. Lastória2

 

Resumo: Este artigo exibe uma discussão a respeito de elementos históricos e conceituais que auxiliam a compreensão acerca da atividade do pensamento, para além de suas determinações causais e mecânicas. Para tanto, retoma a discussão entre determinismo e acaso através de um percurso que se estende das narrativas míticas gregas a respeito da passagem do caos à ordem até o mundo atual dominado por programas codificados. Tal exposição objetiva avaliar em que medida a liberdade ainda representa uma noção plausível para nos referirmos ao pensamento humano, ao tomarmos como referência as tentativas de reduzi-lo aos seus aspectos lógicos e matemáticos. Exame que aponta para algumas das possíveis implicações presentes na formação de experiências intelectivas singulares quando programas computacionais substituem o homem na execução de atividades cognitivas. No final do texto, são resgatadas reflexões críticas do filósofo Theodor Adorno sobre o potencial do pensamento, que, pensando a sua própria falta de liberdade, resiste a sua redução a métodos matemáticos reproduzíveis em máquinas.

Palavras-chave: Pensamento; Liberdade; Determinismo; Inteligência Artificial.

 

Abstract: This article presents a discussion of historical and conceptual elements that helps the understanding of the activity of thought, beyond its causal and mechanical determinations. Therefore resumes debate between determinism and chance through a route extending from the Greek mythical narratives about the passage from chaos to order up to the current world dominated by encrypted programs. This objective exposure assess the extent to which freedom is still a plausible notion to refer to human thought, when making reference to the attempts to reduce it to its logical and mathematical aspects. Examination that points to some of the possible implications present in the formation of singular intellective experiences when computer programs replace the man in the performance of cognitive activities. At the end of text are redeemed critical reflections of the philosopher Theodor Adorno about the potential of thought, thinking their own lack of freedom, resists its reduction to mathematical methods playable on machines.

Key words: Thought; Freedom; Determinism; Artificial intelligence.

 

1 Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara/SP – Brasil
2 Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara/SP – Brasil

 

Literatura Citada

ADORNO, T. W. Dialética Negativa. Tradução de Marco Antônio Casanova, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

ADORNO, T. W. Para a Metacrítica da Teoria do Conhecimento. Tradução Marco Antônio dos Santos Casanova, Rio de Janeiro: Editora da Unesp, 2007.

ADORNO, T. W. Observações sobre o pensamento filosófico. In: ADORNO, T. W. Palavras e Sinais: modelos críticos 2. Tradução de Maria Helena Ruschel, Petrópolis: Vozes, 1995.

ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. A Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Tradução Guido Antônio de Almeida, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

ARISTÓTELES, Física. Tradução Guillermo R. de Echandía. Madrid, Libera los Libros, 1995.

BRANDÃO, J. Mitologia Grega, Petrópolis: Vozes, 1987, v. I.

CHAUÍ, M. Introdução a História da Filosofia: dos pré-socráticos à Aristóteles, São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

DELEUZE, G. A Lógica do Sentido. Tradução de Luiz Roberto Salinas Fortes, São Paulo: Perspectiva, 1975.

DUPUY, J. Nas Origens das Ciências Cognitivas. Tradução de Roberto Leal Ferreira, São Paulo: Editora Unesp, 1996.

FLUSSER, V. Caos e Ordem. Texto apresentado em Simpósio. Graz, 1989. Disponível em <https://issuu.com/ericoalima/docs/caos_e_ordem > Acesso em 8 out., 2016.

FLUSSER, V. O Mundo Codificado: por uma filosofia do design e da comunicação. Tradução de Raquel Abi-Sâmara, São Paulo: Cosacnaify, 2007.

FLUSSER, V. Pós-História: vinte instantâneos e um modo de usar, São Paulo: Annablume, 2011.

FLUSSER, V. A Escrita: Há futuro para a escrita? Tradução de Murilo Jardelino da Costa, São Paulo: Annablume, 2010.

GARCIA-ROZA, L. O Mal Radical em Freud, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

GARCIA-ROZA, L. Acaso e Repetição na Psicanálise: uma introdução a teoria das pulsões em Freud, Rio de Janeiro, 2003.

PEIRCE, C. Semiótica. Tradução de José Teixeira Coelho Neto, São Paulo: Perspectiva S.A., 2005.

PESSANHA J. Vida e obra. In: Aristóteles, São Paulo: Nova Cultural, 1999 (Os Pensadores).

ROSSET, C. Lógica do Pior. Traduzido por Fernando J. Fagundes Ribeiro e Ivana Bentes, Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, 1989.

SALATIEL, J. R. Sobre o Conceito de Acaso em Charles S. Peirce, 2008, 176s. Tese (Doutorado em Filosofia) – Departamento de Filosofia, PUC-SP, São Paulo, 2008.

TORRANO, J. Teogonia Hesíodo: a origem dos deuses, São Paulo: Iluminuras, 1995.