Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

As Diversas Faces da Crise do Mundo do Trabalho

DOI: http://dx.doi.org/10.15601/2237-955X/dih.v15n15p10-21

http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/dih/index 

downloadpdf

Débora C. P. Chaves1 & Carla C. Ferreira2

 

Resumo: Por todos os lados vemos trabalhadores insatisfeitos com seu trabalho, mas atados, sem muito resistir, a ele. E esse descontentamento quase que generalizado possui inúmeras causas que merecem reflexão. Com diagnóstico nada positivo, o mundo do trabalho passa por uma supercrise, estrutural e conjuntural, cujo prognóstico, se nada for feito agora, também será negativo. O presente artigo, portanto, possui como objetivo principal fazer análises das causas da referida crise para, na medida do possível, propor soluções que sejam capazes de diminuir os impactos do diagnóstico feito no presente e contribuir para um futuro menos trágico para o trabalhador, para o trabalho e para o Direito do Trabalho como ciência cujo escopo primevo deve ser o de proteger a pessoa que trabalha.

Palavras-chave: Mundo do trabalho em crise; Capitalismo e globalização; Flexibilização e desregulamentação do Direito do Trabalho.

 

Abstract: Everywhere we see workers dissatisfied with their work, but tied without resist him. And this dissatisfaction almost general has numerous causes that deserve reflection. Diagnosed with anything positive, the world of work undergoes a crisis, structural and cyclical, whose prognosis if nothing is done now, will also be negative. This article, therefore, has as main objective to make analysis of the causes of that crisis to the extent possible, propose solutions that are able to mitigate the impact of the diagnosis made in the present and contribute to a less tragic future for workers to work and labor law as a science whose primal scope should be to protect the working person.

Key words: Job in the world in crisis; Capitalism and globalization; Flexibility and desregulation of labor law.

 

1 Mestranda em Direito Privado, ênfase em Direito e Processo do Trabalho, no Programa de Pós-Graduação stricto sensu da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Graduada em Direito pelo Centro Universitário Newton Paiva (Newton). Pós-graduanda em Advocacia Trabalhista na ESA/MG. Pesquisadora e autora de artigos e livros jurídicos. Professora do Ensino Superior. Advogada com atuação prioritária em Direito Médico e Direito do Trabalho. Pesquisadora CAPES. deborac_pereira@ymail.com
2 Mestranda em Direito Privado - linha de pesquisa Direito do Trabalho, Modernidade e Democracia, no Programa de Pós-Graduação em Direito da PUC Minas. Especialista em Direito do Trabalho pela PUC Minas. Professora do Ensino Superior. Advogada. carlaqif@hotmail.com

 

Literatura Citada

ALVARENGA, Rúbia Zanotelli de; MARCHIORI, Fávia Moreira. Saúde mental e qualidade de vida no trabalho. In: ALVARENGA, Rúbia Zanotelli de; TEIXEIRA, Érica Fernandes (Org.). Novidades em Direito e Processo do Trabalho: homenagem aos 70 anos da CLT. São Paulo: LTr, 2013, p. 169-178.

ALVES, Giovanni. Dimensões da globalização: o capital e suas contradições. Londrina: GAP Alves, 2001.

ANTUNES, Ricardo; BRAGA, Ruy (orgs.). Infoproletários: degradação real do trabalho virtual. São Paulo: Boitempo, 2009.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

CHAVES, Luiz. O velho novo mundo do trabalho: concepção e abordagem em Ullrick Beck e Zygmunt Bauman. In: Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC. Vol. 2, n. 02 (04), agosto-dezembro/2006, p. 127-141. Disponível em <https://periodicos.ufsc.br/index.php/emtese/article/view/13545> Acesso em: 05 Mai. 2015.

DELGADO, Mauricio Godinho. DELGADO. Gabriela Neves. Constituição da República e Direitos Fundamentais. Dingnidade da pessoa humana, justiça social e Direito do Trabalho. São Paulo: Ltr, 2013.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese de Indicadores 2009. IBGE, 2009. p.19. Disponível em <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2009/comentarios2009.pdf>. Acesso em: 25 Jul. 2015.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. São Paulo: Boitempo, 2002.

NOGUEIRA, Cláudia Mazzei. As trabalhadoras do telemarketing: uma nova divisão sexual do trabalho? In: ANTUNES, Ricardo; BRAGA, Ruy (orgs.). Infoproletários: degradação real do trabalho virtual. São Paulo: Boitempo, 2009, p.187-212.

OLIVEIRA, Sirlei Márcia de. Os trabalhadores das Centrais de Teleatividades no Brasil: da ilusão àexploração. In: ANTUNES, Ricardo; BRAGA, Ruy (orgs.). Infoproletários: degradação real do trabalho virtual. São Paulo: Boitempo, 2009, p. 113-136.

ROSENFIELD, Cinara Lerrer. A identidade no trabalho de call centers: a identidade provisória. In: ANTUNES, Ricardo; BRAGA, Ruy (orgs.). Infoproletários: degradação real do trabalho virtual. São Paulo: Boitempo, 2009, p.173-186.

SUPIOT, Alain. L’espirit de Philadelphie: la justice sociale face au marche total. Paris: Seuil, 2010, p. 118-119.

TEODORO, Maria Cecília Máximo. Capitalismo, trabalho e educação: diagnóstico e críticas. 1. ed. Florianópolis: Conpedi, 2012. v. 1. 20p.

VIANNA, Márcio Túlio. A proteção social do trabalhador no mundo globalizado - O direito do trabalho no XXI. Revista LTR, 1999.

VIANA, Márcio Túlio. A terceirização revisitada: algumas críticas e sugestões para um novo tratamento da matéria. p. 202. In: Revista do TST, Brasília, vol. 78, no 4, out/dez 2012. Disponível em <http://aplicacao.tst.jus.br/dspace/handle/1939/35819> Acesso em: 25 Jul. 2015.

VIANNA, Márcio Túlio. Direito Civil e o Direito do Trabalho: caminhos que se cruzam. 2014.

VIEIRA, Regina Corrêa. O trabalho da mulher e a crise do sindicalismo: análise da subrepresentação das mulheres trabalhadoras em âmbito sindical. Disponível em <http://congressoalast.com/wp-content/uploads/2013/08/358.pdf> Acesso em: 25 Jul. 2015.

Citado por

Sem citações recebidas.