Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Ponto de Murcha Permanente em Solos Arenoso e Argiloso Utilizando o Tomateiro como Cultura Indicadora

DOI: http://dx.doi.org/10.14688/1984-3801.v06n01a15

http://rioverde.ifgoiano.edu.br/periodicos/index.php/gst/index 

downloadpdf

Ederlon F. V. Moline1, Eliza Barboza2, Lindomar P. Simões2, Geraldo S. Ferreira Filho2, Fausto L. F. Souza2 & Jairo A. Schlindwein2

 

Resumo: A água é um dos fatores que afetam a produtividade e a qualidade das culturas, pois o déficit hídrico compromete o desenvolvimento de fases fenológicas resultando em perdas de produção. Objetivou-se neste trabalho, avaliar o ponto de murcha permanente em solos de textura arenosa e argilosa, utilizando o tomateiro como cultura indicadora. O experimento foi conduzido na casa de vegetação da estação experimental do Departamento de Agronomia da Universidade Federal de Rondônia, no período de abril a junho de 2008. Utilizou-se delineamento experimental inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x10+2 com três repetições, sendo os tratamentos compostos por solos de textura arenosa e argilosa em intervalos de um a dez dias de indução ao estresse hídrico e mais duas testemunhas sem planta que receberam água somente no dia anterior aos tratamentos. Os vasos continham 1,5 kg de solo, coletados à profundidade de 0 a 20 cm. A umidade dos solos foi estimada ao final dos tratamentos (10 dias), sendo determinada pelo método gravimétrico. Após a retirada das amostras de solo as plantas voltaram a receber água para uma possível recuperação da turgidez. O ponto de murcha permanente foi de quatro dias para o solo arenoso e cinco dias para o solo argiloso, onde o solo arenoso apresentou menor capacidade de retenção de umidade. Após os tratamentos o tomate foi capaz de retomar o desenvolvimento, mesmo após dez dias sem irrigação.

Palavras-chave: textura do solo, teor de umidade e estresse hídrico

 

Abstract: The water is one of the most important factors that affect plant’s productivity and quality, therefore, water deficit periods compromises plant development stages resulting in production decreases and losses. This work aimed to evaluate the permanent wilting point of both sandy and clayey soils often used to tomato production. A pot experiment was carried out in greenhouse condition at the experimental station of Agronomy Department at Federal University of Rondônia, from April to June of 2008. The experimental design was entirely randomized, in a factorial with 2x10+2 with three replications. The treatments were arranged with sandy and clayey soils in an interval of ten days of induction of permanent wilting point and two controls without plant that only received water in the previous day of the treatments application. Tomato plants were used as plant test. The pots contained 1.5 kg of soil, collected from the 0 - 20 cm soil depth of both sandy and clayey soils were weighed using a precision scale, and then placed into the pots. The soil moisture was measured after 10 days by the gravimetric method. After the soil sampling the water was added to the plants aiming the recovery of water plant content to adequate level. The permanent wilting point was observed after four and five days of the treatment application for the sandy and clayey soils respectively; where the sandy soil showed reduced capacity of moisture retention. Tomato plants were able to recover the development even after ten days without irrigation.

Key words: soil texture, soil moisture and plant water stress

 

1 Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA, Coordenação de Pesquisas em Ciências Agronômicas. Av. Efigênio Sales, 2239, Aleixo, Manaus (AM). CEP: 69060-020. E-mail: ederlon_flavio@hotmail.com. Autor para correspondência
2 Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Av. Norte Sul, n° 7300 – Centro, Rolim de Moura (RO). CEP: 78987-000.

 

Literatura Citada

ARRUDA, F. B.; ZULLO, J. J.; OLIVEIRA, J. B. Parâmetros de solo para cálculo da água disponível com base na textura do solo. Revista Brasileira de Ciência de Solo, v.11, p.11 - 15, 1987.

BARZEGAR, A. R.; YOUSEFI, A.; DARYASHENAS, A. The effect of addition of different amounts and types of organic materials on soil physical properties and yield of wheat. Plant and Soil, v.247, p.295 - 301, 2002. doi

BELL, M. A.; Van KEULEN, A. Soil pedotransfer functions for four Mexican soils. Soil Science Society of American Journal, v.59, p.865 - 871, 1995. doi

BERNARDO, S. Manua1 de irrigação. Viçosa: Imprensa Universitária, 1982.

BRADY, N. C. Natureza e propriedades dos solos. Rio de janeiro: Freita Bastos, 1989.

CENTURION, J. F.; ANDRIOLI, I. Regime hídrico de alguns solos de Jaboticabal. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 24, n. 4, p.701 - 709, 2000. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832000000400002

EMERSON, W. W.; McGARRY, D. Organic carbon and soil porosity. Australian Journal of Soil Research, Melbourne, v.41, p.107 - 118, 2003. doi

FAGERIA, N. K.; STONE, L. F. ; SANTOS, A. B. Maximização da eficiência de produção das culturas. Brasília: Embrapa Arroz e Feijão, 1999.

FILGUEIRA, F. A. R. Manual de olericultura: Cultura e Comercialização de hortaliças. São Paulo: Agronômica Ceres, 1982.

KLEIN, V. A.; BASEGGIO, M.; MADALOSSO, T.; MARCOLIN, C. D. Textura do solo e a estimativa do teor de água no ponto de murcha permanente com psicrômetro. Ciência Rural, v. 40, n. 7, p.1550 - 1556, 2010. doi

KLEIN, V. A.; LIBARDI, P. L. A faixa de umidade menos limitante ao crescimento vegetal e a sua relação com a densidade do solo ao longo de um perfil de um Latossolo roxo. Ciência Rural, v.30, p.959 - 964, 2000. doi

LOOMIS, W. E.; SANTAMARIA, P. R.; GAGE, R. S. Cohesion of water in plants. Plant Physioloy, v.35, p.300 - 306, 1960. doi

MAIA, C. E.; MOIRAS, E. R. C.; MEDEIROS, J.F. Capacidade de campo, ponto de murcha permanente e água disponível para as plantas em função de doses de vermicomposto. Revista Caatinga, v. 18, n. 3, p.195 - 199, 2005.

MOTA, F. S. Meteorologia agrícola. São Paulo: Nobel, 1929.

PERAZA, J. E. S. Retenção de água e pedofunções para solos do Rio Grande do Sul. 2003. 117f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2003.

PROCÓPIO, S. O.; SANTOS, J. B.; SILVA, A. A.; DONAGEMMA, G. K.; MENDONÇA, E. S. Ponto de murcha permanente de soja, feijão e plantas daninhas. Planta Daninha, v.22, p.35 -41, 2004. doi

REICHARDT, K. A água em sistemas agrícolas. São Paulo: Manole, 1987.

SLATYER, R. O. The significance of the permanent wilting percentage in studies of plant and soil water relations. Botanical Review, v.23, p.585 - 636, 1957. doi

SYKES, D. J. Reconsideração do conceito da umidade de murchamento permanente. Turrialba, v.19, p.525 - 530, 1969.

URACH, F. L. Estimativa da retenção de água em solos para fins de irrigação. 2007. 78 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de água e solo) – Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria. 2007.