Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Avaliando Algumas Metateses Acerca do Neoateísmo

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1078/er.v30n3p89-110

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/ER/index 

downloadpdf

Adilson Koslowski1 & Valmor Santos1

 

Resumo: Neste artigo, buscamos analisar algumas metateses a respeito do Neoateísmo (NAT). Analisamos a metatese (MT1) do sociólogo alemão Zenk: “Será que existe algo como ‘neoateísmo’ ou é apenas uma construção da mídia?” A MT2 é sustentada pelo sociólogo LeDrew: É o NAT um movimento social? Pensamos que Zenk tem razão em alegar que a mídia teve um papel fundamental em aglutinar o NAT em um grupo, porém discordamos que essa junção seja apenas arbitrária e sem fundamento. Em relação a LeDrew, concordamos que o NAT é um movimento. A última é de Paine e Nall. Alegam que o NAT é um tipo de fundamentalismo. Achamos que as duas caracterizações não são bem sucedidas.

Palavras-chave: Neoateísmo. Zenk. LeDrew.

 

Abstract: In this paper, we analyze two metathasis about New Atheism (NAT). We have analyzed the metahesis (MT1) German sociologist Zenk: Is there something like ‘New Atheism’ o ris it just a media construction? The MT2 is supported by sociologist LeDrew: Is the NAT a social movement? Zenk think is right to claim that the media played a key role in agglomerate the NAT in a group, but we disagree that this junction is only arbitrary and unfounded. Regarding LeDrew, we agreed that NAT is a movement. The later is Paine e Nall. They claim that the NAT is a type of fundamentalism. We think that the two characterizations are not successful.

Key words: New Atheism. Zenk. LeDrew.

 

1 UFS

 

Literatura Citada

DAWKINS, Richard. Deus: um delírio. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

DENNETT, Daniel. Quebrando o encanto: a religião como fenômeno natural. São Paulo: Globo, 2006. Gould , S. J. Pilares do tempo: ciência e religião na plenitude da vida. Rio de Janeiro: Rocco, 2002.

HARRIS, Sam. A morte da fé: religião, terror e o futuro da razão. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

HEYWOOD, Andrew. Politics. 3 ed. New York: Palgrave, 2007.

HITCHENS, Christopher. Dios no es bueno: alegato contra la religión. Barcelona: Random House Mondadori, 2008.

LEDREW, Stephen. Scientism, humanism, and religion: the new atheism and the rise of the secular movement. A dissertation submitted to the Faculty of Graduate Studies. Dec., 2013.

NALL, Jeff. Fundamentalist atheism and its intellectual failures. Humanity & Society, Sage Journals, v. 32, p. 263-280, aug. 2008.

PAINE, Scott Randall. Fundamentalismo ateu contra fundamentalismo religioso. Horizonte, Belo Horizonte, v. 8, n. 18, p. 9-26. 18, jul./set., 2010.

KOSLOWSKI, A.; SANTOS, V. Comparando os escritos do Neoateísmo (NAT): em busca de uma definição. In Sapere aude – Belo Horizonte, v. 7 – n. 12, p. 433-461, Jan./Jun. 2016.

ZENK, Thomas. “Neuer Atheismus”: “New Atheism” in Germany. Approaching Religion, v. 2, n. 1, p. 36-51, 2012.

ZENK, Thomas. New Atheism. Handbook Oxford of Atheism. New York: Oxford University Press, 2013.