Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Estimativas dos Componentes de Variância Genética entre e Dentro de Progênies de Pitanga-Vermelha

DOI: http://dx.doi.org/10.14688/1984-3801/gst.v8n3p78-86

http://rioverde.ifgoiano.edu.br/periodicos/index.php/gst/index 

downloadpdf

Marcos B. F. de Freitas1 & Raoni R. G. F. Costa2*

 

Resumo: A fragmentação florestal tem reduzido o tamanho das populações naturais, fazendo com que a maior parte dos cruzamentos entre estes indivíduos ocorra de forma endogâmica, acarretando em uma baixa variabilidade genética. Os testes de progênies são usados para avaliar a variabilidade genética entre e dentro de populações e, deste modo, fornecer informações sobre o potencial evolutivo destas espécies. Objetivou-se com este trabalho obter componentes de variância genética em progênies de Eugenia calycina, visando obter informações que contribuam na escolha de estratégias de melhoramento desta espécie. O experimento foi conduzido em teste de progênies, avaliadas em delineamento de blocos ao acaso com sete tratamentos três repetições e cinco plantas por parcela. Os dados de altura (cm) e diâmetro do colo (mm) foram submetidos à análise de variância e estimados os componentes de variância genética entre e dentro de progênies. Conclui-se que é possível selecionar genótipos superiores para as características avaliadas, considerando as altas estimativas de herdabilidade no sentido restrito, acurácia na seleção das progênies e ganhos com a seleção. O coeficiente de variação genética individual observada indica que a seleção pode ser realizada em nível de indivíduos dentro das progênies.

Palavras-chave: Eugenia calycina, herdabilidade, ganhos genéticos, variação fenotípica

 

Abstract: Forest fragmentation has reduced the size of the natural populations, making the most crosses between inbred these individuals occurs in a manner resulting in a low genetic variability. Progeny tests are used to evaluate the genetic variability among and within populations and thus provide information on the evolutionary potential of these species. The objective of this work was to obtain genetic variance components in in progenies of Eugenia calycina to obtain information that contribute to the choice of breeding strategies for this species. The experiment was conducted in progeny test evaluated in a randomized block design with seven treatments three replicates and five plants per plot. Data height (cm) and stem diameter (mm) were subjected to analysis of variance and the estimated genetic variance components between and within progenies. We conclude that it is possible to select superior genotypes for the evaluated characteristics, considering the high estimates of heritability in the narrow sense, accuracy in selection of progeny and gains with the selection. The individual genetic variation coefficient observed indicates that the selection may be performed at the level of individuals within progeny.

Key words: Eugenia calycina, heritability, genetic gains, phenotypic variation.

 

1 Universidade Federal de Goiás – Campus Quirinópolis – Quirinópolis – GO.
2 Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde - GO. Rio Verde- GO *E-mail: raoniueg@hotmail.com. Autor para correspondência.

 

Literatura Citada

BARREIRA, S. Devido a isto é importante realizar estudos genéticos nas populações que compõem estes ecossistemas. Tese apresentada a Escola Superior de Agricultura `Luiz de Queiroz` Universidade de São Paulo. Piracicaba, 2005.

CARDOSO, G. L.; LOMÔNACO, C. Variações fenotípicas e potencial plástico de Eugenia calycina Camb. (Myrtaceae) em uma área de transição cerrado-vereda. Revista Brasileira de Botânica, 26: 131-140, 2003.

CARRIJO, P. R. M.; BOTREL, M. C. G.; FAGUNDES, R. S. Avaliação da distribuição da normalidade dos dados do diâmetro à altura do peito em florestas de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden na região de Cascavel – PR. Cultivando o Saber Cascavel, v.1, n.1, p.95-106, 2008.

CARVALHO, F. I. F; SILVA, S. A.; KUREK, A. J. et al. Estimativas e implicações da herdabilidade como estratégia de seleção. Pelotas: Editora e Gráfica da UFPel, 2001.

COSTA, R. B.; ROA, R. A. R.; XAVIER, T. M.; FLORES, H. C. G. Desenvolvimento inicial de progênies de ipê amarelo (Tabebuia chrysotricha (Mart. Ex A. DC.) Standl) no município de Campo Grande, MS, Brasil. Ensaios e Ciências:Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, vol.11, n. 2, 2007.

GRIBEL, R. Biologia reprodutiva de plantas amazônicas: importância para o uso, manejo e conservação dos recursos naturais. Humanidades, Brasília, n.48, p.110-114, 2001.

KLEIN, J.; ZUCARELI, V.; KESTRING, D.; CAMILLI, L.; RODRIGUES, D. Influência da massa das sementes na emergência e desenvolvimento inicial de mudas de pitangueira. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, supl. 2, p. 837-839, 2007.

KRAS. S. M.; COSTA, R. B.; RESENDE, M. D. V.; ROA, R. A. R. Vigor Juvenil em Progênies de Erva-Mate (Ilex paraguarienses A. St.-Hil.) Nativas do estado de Mato Grosso do Sul. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 17, n. 1, p. 33-41, 2007.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: Manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 3 ed. São Paulo: Nova Odessa, 2006.

PAULA, M. M.; CABRAL, J. B. P. Quirinópolis mãos e olhares diferentes II. In: Análise do uso da Terra na bacia Hidrográfica do Ribeirão das Pedras Quirinópolis/GO, Goiânia: Kelpes, 2012.

PIRES, I. E. Eficiência da seleção combinada no melhoramento genético de Eucalyp-tus spp. 16f. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento) - Universidade Federal de Viçosa. Viçosa, 1996.

RESENDE, M. D. V. Genética biométrica e estatística no melhoramento de plantas perenes. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2002. 975 p

RESENDE, M. D. V. O software selegen-Reml/Blup. Campo Grande: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2006.

RESENDE, M. D. V.; DUARTE, J. B. Precisão e controle de qualidade em experimentos de avaliação de cultivares. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 37, n. 3, p. 182-194, 2007.

ROSSMAN, H. Estimativas de parâmetros genéticos e fenotípicos de uma população de soja avaliada em quatro anos. 80 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia, área de concentração: genética e melhoramento de plantas) – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, Piracicaba – SP, 2001.

SANTANA, P. J. A. Maturação, secagem e armazenamento de espécies de Eugenia (Myrtaceae). 80 p. Dissertação de (Mestrado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente) – Instituto de Botânica da Secretária de Estado e Meio Ambiente, São Paulo, 2008.

SIVA, R.; KRISHNAMURTHY, K. V. Isozyme diversity in Cassia auriculata L, African J of Biotechnology 4: 772-775, 2005.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 4. ed. (Trad.). SANTARÉM, E. R. Porto Alegre: Artmed, 2009.

VENCOVSKY, R. Herança quantitativa. In: PATERNIANI, E. (ed.). Melhoramento e produção de milho no Brasil. Campinas: Fundação Cargill, 1987.

VENCOVSKY, R.; BARRIGA, P. Genética biométrica no fitomelhoramento. Ribeirão Preto: Sociedade Brasileira de Genética, 1992.

YOUNG, A. G.; BOYLE, T. J. Forest fragmentation. In: YOUNG, A. G.; BOSHIER, D.; BOYLE, T. J. Forest conservation genetics: principles and practice. Canberra: Csiro Publishing, 2000.