Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O exército brasileiro e a emulação dos modelos francês e estadunidense no século XX

DOI: http://dx.doi.org/10.21544/1809-3191/regn.v22n2p361-380

https://www.egn.mar.mil.br/arquivos/revistaEgn/index.html 

downloadpdf

Eduardo M. Svartman1

 

Resumo: Na primeira metade do século XX o Exército Brasileiro empreendeu reformas para modernizar-se e reequipar-se com armas e doutrinas atualizadas. Este processo, apesar de conduzido pelas autoridades brasileiras, dependeu do estabelecimento de convênios com duas grandes potências, a França e os Estados Unidos. Em função disso, texto investiga, numa perspectiva comparada, os processos de emulação decorridos da vigência da Missão Militar Francesa (1919-39) e dos acordos militares firmados pelo Brasil com os Estados Unidos em 1942 e 1952. A análise privilegia os aspectos relativos às negociações e interesses envolvidos nos dois convênios; alcance da cooperação; adoção de armas, equipamentos e doutrinas; resistências e adaptações; bem como as implicações políticas, internas e externas, da adoção dos dois modelos.

Palavras-chave: Emulação militar; modernização; relações Brasil-França; relações Brasil-Estados Unidos.

 

Abstract: In the first half of the twentieth century the Brazilian Army undertook reforms to modernize and retool with up-to-date weapons and doctrines. This process, although controlled by the Brazilian authorities, depended on the establishment of agreements with two major powers, France and the United States. This paper discusses, in a comparative perspective, the two processes of military emulation that came about as a result of the French Military Mission (1919-39) and the military agreements signed by Brazil with the United States in 1942 and 1952. The analysis focuses on the negotiation aspects and interests involved in the two agreements; the scope of the cooperation; weaponry and doctrines adopted; Institutional resistances and adaptations; as well as the domestic and foreign political implications of adopting both models.

Key words: military emulation; modernization; Brazil- France relations, Brazil-US relations

 

1 Doutor em Ciência Política, professor dos programas de pós-graduação em Ciência Política (PPG-Pol) e em Estudos Estratégicos Internacionais (PPG-EEI) da UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: eduardosvartman@gmail.com.

 

Literatura Citada

ARAÚJO, Rodrigo. A influência francesa dentro do Exército brasileiro (1930 – 1964): declínio ou permanência? Revista Esboços, v. 15, n. 20, 2008.

BANHA, Paulo. História do Estado-maior do Exército. Rio de Janeiro: Bibliex, 1984.

CARVALHO, Estevão Leitão de. A serviço da Brasil na segunda Guerra Mundial. Rio de Janeiro: A Noite, 1952.

DAVIS, Sonny. A brotherhood of arms: Brazil and United States military relations, 1945-1977. Niwot: University Press of Colorado, 1996.

DOMINGOS NETO, Manuel. Influência estrangeira e luta interna no Exército. (1889-1930) In: ROUQUIÉ, Alain (Org.) Os partidos militares no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 1980.

DOMINGOS NETO, Manuel. Gamelin, o modernizador do Exército. Tensões Mundiais, v. 3, n. 4, jan./jun., 2007.

HILTON, Stanley. O Brasil e as grandes potências: 1930-1939, aspectos políticos da rivalidade comercial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.

HILTON, Stanley. The United States, Brazil and the Cold War, 1945-1960: end of a special relationship. The journal of American history, v. 68, n. 3, dez, 1981.

MAGALHÃES, JB. A evolução militar do Brasil. Rio de Janeiro: Bibliex, 2001.

MARTINS FILHO, João Roberto. A influência doutrinária francesa sobre os militares brasileiros nos anos de 1960. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 23, p. 39-50, 2008.

MAXIMIANO, Cesar. Barbudos, sujos e fatigados: soldados brasileiros na II Guerra Mundial. São Paulo: Grua, 2010.

McCANN, Frank. A influência estrangeira e o Exército brasileiro 1905-1945. In: A Revolução de 30. Seminário Internacional CPDOC/FAV. Brasília: Editora da UnB, 1983.

______. Soldados da Pátria: história do Exército Brasileiro (1888-1937). São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

MOURA, Gerson. Autonomia na Dependência: a política externa brasileira de 1935 a 1942. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

______. Sucessos e ilusões: relações internacionais do Brasil durante e após a II Guerra Mundial. Rio de Janeiro: FGV, 1991.
NUNN, Frederick. Yesterday soldiers: European military professionalism in South America, 1890-1940. Lincoln, University of Nebraska Press, 1983.

PEIXOTO, Antônio. O clube militar e os confrontos no seio das Forças Armadas (1945-1964). In: ROUQUIÉ, Alain (Org.) Os partidos militares no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 1980.

POSEN, Barry. The sources of military doctrine: France, Britan, and Germany between the world wars. Ithaca: Cornell University Press, 1984.

RESENDE-SANTOS, João. Neorealism, states, and the modern mass army. Cambridge University Press, 2007.

SCHOULTZ, Lars. Estados Unidos: poder e submissão: uma história da política norte-americana em relação à América Latina. Bauru: EDUSC, 2000.

SMALLMANN, Shawn. A profissionalização da violência extralegal das Forças Armadas no Brasil (1945-64) In: CASTRO C., IZECKSOHN, V., KRAAY, H. (Orgs.) Nova história militar brasileira. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2004.

SVARTMAN, Eduardo. Brazil-United States Military Relations during the Cold War: Political Dynamic and Arms Transfers. Brazilian political science review, v. 5, p. 96-122, 2011.

SVARTMAN, Eduardo. Da II Guerra Mundial à Guerra Fria: Conexões entre os exércitos do Brasil e dos Estados Unidos. Latin American Research Review, v. 49, p. 83-103., 2014.

TOTA, Antônio. O imperialismo sedutor: a americanização do Brasil na época da Segunda Guerra. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

WALTZ, Keneth. Teoria das relações internacionais. Lisboa, Gradiva, 2002.

WEIGLEY, Russell. The American way of war: A history of United States military strategy and policy. Bloomington: Indiana University Press, 1973.