Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A questão da segurança e defesa do espaço cibernético brasileiro, e o esforço político-administrativo do estado

DOI: http://dx.doi.org/10.21544/1809-3191/regn.v22n2p381-410

https://www.egn.mar.mil.br/arquivos/revistaEgn/index.html 

downloadpdf

Eduardo A. A. de Souza1 & Nival N. de Almeida2

 

Resumo: O presente trabalho tem por objetivo estudar a Questão de Segurança e Defesa do Espaço Cibernético, seu meio regulatório, político e administrativo no que tange ao Estado Brasileiro. Abordam-se os esforços: a elaboração de políticas públicas, a reestruturação de órgãos governamentais e suas atualizações, e, são apontados desafios para o país como destacado pela Estratégia Nacional de Defesa. Adota-se como base teórica a linha de pensamento construtivista das Relações Internacionais sob a ótica dos ensaios da Escola de Copenhagen e sua Teoria da Securitização. Considera-se ainda ao final, a corroboração da ideia de grande agilidade na politização e crescente securitização do Espaço Cibernético por parte do Estado Brasileiro suplantando o desafio histórico da baixa percepção do conceito de defesa.

Palavras-chave: Ciberespaço. defesa, segurança, políticas públicas.

 

Abstract: The present work mains to study Cyberspace´ Security and Defense issues, its regulatory aspects, political and administrative sets to the Brazilian State. Focusing the efforts made as: public policies development; government agencies restructuring and updating, and the challenges for the country are pointed out on the National Defense Strategy. International Relations´ foundation on constructivism is adopted as an academic basis from Copenhagen School perspective essays and its Theory of Securitization as a support for analysis and research. It is also considered at the end, corroborating the idea of great agility in the politicization and growing securitization of the Cybernetic Space by the Brazilian State supplanting the historical challenge of the low perception of Defense´s concept.

Key words: Cyberspace, defense, Security, public policies.

 

1 Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Marítimos (PPGEM) da Escola de Guerra Naval (EGN), Rio de Janeiro, RJ, Brasil. E-mail: eduardoandre@yahoo.com.br
2 Doutor em Engenharia Elétrica. Professor do PPGEM-EGN, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. E-mail: nivalnunes@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

AMORIM, Celso. Discurso de abertura. In: SEMINÁRIO DE DEFESA CIBERNÉTICA, 3., 2012, Brasília: MD. Disponível em: <https://www.youtube. com/watch?v=dkUcymtvcUk>. Acesso em: 20 set. 2015.

______. Segurança Internacional: novos desafios para o Brasil. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, v. 35, n.1, p.287-311, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cint/v35n1/a10v35n1.pdf>. Acesso em: 26 set. 2015.

JORGE, Bernardo Wahl Gonçalves Araújo. Estados Unidos, poder cibernético e a “guerra cibernética: do Worn Stuxnet ao Malware Flame/ Skywiper-e além. Boletim Meridiano 47, v.13, n. 131, 2012. Disponível em: <http://seer.bce.unb.br/index.php/MED/article/view/7051/5623>. Acesso em: 25 set. 2015.

AZAMBUJA, Darcy. Teoria geral do estado. São Paulo: Globo, 1957. p. 17- 53. Disponível em: <http://www.faroldoconhecimento.com.br/livros/ Pol%C3%ADtica/AZAMBUJA,%20Darcy.%20Teoria%20geral%20do%20 Estado.pdf>. Acesso em: 20 set. 2015.

BARROS, Otávio Santana de Rêgo; GOMES, Ulisses de Mesquita (Org.). Desafios Estratégicos para a Segurança e Defesa Cibernética. Secretaria de Assuntos Estratégicos, 2011. Disponível em: <http://www.sae.gov.br/site/ wpcontent/uploads/Seguranca_Cibernetica_web.pdf>. Acesso em: 16 dez. 2014.

BRASIL. Decreto nº 5.484, de 30 de junho de 2005. Aprova a Política de Defesa Nacional, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 30 jun. 2005. Disponível em: <http:// www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5484.htm>. Acesso em: 10 jun. 2015.

BRASIL. Decreto nº 6.703, de 18 de dezembro de 2008. Aprova a Estratégia Nacional de Defesa, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18 dez. 2008. Disponível em: <http:// www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/Decreto/D6703.htm>. Acesso em: 12 dez. 2015.

BRASIL. Ministério da Defesa. Portaria nº 3.389/MD, de 21 de dezembro de 2012. Política Cibernética de Defesa. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 21 dez.2012b. Disponível em: <http://www. jusbrasil.com.br/diarios/44578940/dou-secao-1-27-12-2012-pg-11>. Acesso em: 10 mai. 2015.

BRASIL. Ministério da Defesa. Portaria normativa nº 9/GAP/MD, de 13 de Janeiro de 2016, MD35-G-01. Aprova o Glossário das Forças Armadas. 5 ed. 2015. Disponível em: <http://www.defesa.gov.br/arquivos/legislacao/ emcfa/publicacoes/doutrina/md35_g_01_glossario_ffaa_5_ed_2015. pdf>. Acesso em: 16 ago. 2016.

BRASIL. Ministério da Defesa. Portaria normativa nº 196/GAP/MD, de 22 de fevereiro de 2007, MD-MD35-G-01. Aprova o Glossário das Forças Armadas.

BRASIL. Ministério da Defesa. Livro Branco de Defesa Nacional. Brasília: MD, 2012a. Disponível em: <http://www.defesa.gov.br/arquivos/2012/ mes07/lbdn.pdf>. Acesso em: 20 jan. 2015.

BRASIL. Ministério da Defesa. Estratégia Nacional de Defesa. Brasília: MD, 2012c. Disponível em: <http://www.defesa.gov.br/arquivos/2012/mes07/ end.pdf>. Acesso em: 11 jan. 2015.

BAGHERY, E. et al. The State of the Art in Critical Infraestructure Protection: a framework for convergence. Faculty of Computer Science, University of New Brunswick, Fredericton, N.B. Canada, 2007. Disponível em: <http:// glass.cs.unb.ca/~ebrahim/papers/CIPFramework.pdf>. Acesso em: 11 jan. 2016.

BUZAN, Barry. People, States and Fear: an Agenda for the International Security Studies in the Post-Cold War Era. Boulder, Colorado: Lynne Rienner, 1991.

BUZAN, Barry; HANSEN, Lene. A evolução dos estudos de segurança internacional. São Paulo: Editora Unesp, 2012. 576p.

BUZAN, Barry; WAEVER, Ole; WILDE, Jaap de. Security: a new framework for analysis. Londres: Lynne Rienner Publishers, 1998.

CANONGIA, Claudia; MANDARINO, Raphael (Org.). Livro Verde: segurança cibernética no Brasil. Brasília: GSIPR/SE/DSIC. 2010. Disponível em: <http://dsic.planalto.gov.br/documentos/publicacoes/1_Livro_Verde_ SEG_CIBER.pdf>. Acesso em: 02 dez. 2014.

CANONGIA, Claudia; GONÇALVES JÚNIOR, Admilson; MANDARINO JUNIOR, Raphael. (Org.). Guia de Referência para a Segurança das Infraestruturas Críticas da Informação. Brasília: Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, nov. 2010. Disponível em: <http:// dsic.planalto.gov.br/documentos/publicacoes/2_Guia_SICI.pdf>. Acesso em: 13 jan. 2015.

CANONGIA, Claudia; MANDARINO, Raphael. Segurança Cibernética: o desafio da nova sociedade da informação. Revista Parcerias Estratégicas do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos; v.14; n.29; p. 21-46, 2009. Disponível em: <http://dsic.planalto.gov.br/artigos/101-artigo-sobre-seguranca-cibernetica- revista-parceriasestrategicas-cgee>. Acesso em: 16 abr. 2015.

CARREIRO, Marcelo. A guerra cibernética: ciberwarfare e a securitização da internet. Revista Cantareira, ed. 17, 2012. Dossiê guerras, conflitos e tensões, p. 123-137. Disponível em: <http://www.historia.uff.br/cantareira/ v3/wp-content/uploads/2013/05/e17a9.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2014.

CARVALHO, Paulo Sérgio Melo de. Conferência de Abertura: o Setor Cibernético nas Forças Armadas Brasileiras. In: BRASIL. Desafios Estratégicos para a Segurança e Defesa Cibernética. Brasília, Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, 2011.

CAVALCANTI, Elmano Pontes. Revolução da informação: algumas reflexões. Caderno de Pesquisa em Administração, São Paulo, v.1, n.1, 1995. Disponível em: <http://www.ancibe.com.br/artigos%20 de%20si/artigo%20-%20Revolu%C3%A7%C3%A3o%20da%20 informa%C3%A7%C3%A3o%20-%20algumas%20reflex%C3%B5es.pdf>. Acesso em: 28 mar. 2015.

CLARKE, Richard; KNAKE, Robert. Cyber War: the next threat to National Security and what to do about it. New York: Harper Collins, 2010.

CLAUSEWITZ, Carl Von. Da Guerra. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010, p.30.

CRUVINEL, Tereza; CAVALCANTI, Leonardo. Celso Amorim diz que Brasil é vulnerável contra ataques cibernético: as ações de espionagem da agência americana de segurança revelaram a fragilidade do Brasil na proteção a dados e informações. Correio Braziliense, Brasília, 22 set. 2013 Disponível em: <http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/ 2013/09/22/internas_polbraeco,389429/celso-amorim-diz-que-brasil-e- -vulneravel-contra-ataques-cibernetico.shtml>. Acesso em: 11 jun. 2015.

DUNN, Myriam. Cyberwar: concepts, status quo, and limitations. CSS Analysis in Security Police, ETH Zurich, n. 71, p. 1-3, April 2010. Disponivel em: <http://www.css.ethz.ch/publications/pdfs/CSS-Analyses-71.pdf>. Acesso em: 11 jan. 2015.

FERREIRA NETO, Walfredo Bento. Por uma geopolítica cibernética: apontamentos da grande estratégia brasileira para uma nova dimensão da guerra. 2013. 178 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Estratégicos da Defesa e da Segurança) - Programa de Pós-Graduação em Estudos Estratégicos Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2013.

HANSEN, Lene; NISSENBAUM, Helen. Digital Disaster, Cyber Security and the Copenhagen School. International Studies Quarterly, n.53, p. 1155- 1175, 2009. Disponível em: <http://www.nyu.edu/projects/nissenbaum/ papers/digital%20disaster.pdf>. Acesso em: 15 jan. 2015.

KALDOR, Mary. New and Old Wars: organized violence in a Global Era. Polity Press, 1998. p.1-216.
______. Old Wars, Cold Wars, New Wars, and the War on Terror. Cold War Studies Center, School of Economics, London. p.1-10. Feb. 2005. Disponível em: <http://dspace.cigilibrary.org/jspui/bitstream/123456789/8613/1/ Old%20Wars%20Cold%20Wars%20New%20Wars%20and%20the%20 War%20on%20Terror.pdf?1>. Acesso em: 11 fev. 2015.

MANDARINO JR, Raphael. Um Estudo sobre a Segurança e a Defesa do Espaço Cibernético. 2009. Monografia (Especialização em Ciência da Computação: gestão da segurança da informação e comunicações) - Universidade de Brasília, Brasília, 2009. Disponível em: <http://dsic.planalto.gov. br/documentos/cegsic/monografias_1_turma/raphael_mandarino.pdf>. Acesso em: 03 mai. 2015.

______. Reflexões sobre Segurança e Defesa Cibernética. In: BARROS, Otávio Santana de Rêgo; GOMES, Ulisses de Mesquita (Org.). Desafios Estratégicos para a Segurança e Defesa Cibernética. Secretaria de Assuntos Estratégicos. 2011. Disponível em: <http://www.sae.gov.br/site/wp-content/ uploads/Seguranca_Cibernetica_web.pdf>. Acesso em: 16 jun. 2015.

MUGGAH, Robert; GLENN, Misha; DINIZ, Gustavo. Securitização da Cibersegurança no Brasil. Instituto Igarapé. Disponível em: <http://igarape. org.br/desconstruindo-a-seguranca-cibernetica-no-brasilameacas-e-respostas>. Acesso em: 12 jul. 2016.

PERES, João Roberto. A vez da governança corporativa. Revista Abinee. Numero 43, pagina 25, Outubro 2007. Disponível em: http://www.abinee. org.br/informac/revista/43j.pdf. Acessado em: 16 ago. 2016.

ROUSSEFF, Dilma. Discurso da Presidente. In: Debate Geral da 68ª AGNU. Nova Iorque/EUA. 2013. Disponível em: <http://www2.planalto.gov.br/ acompanhe-oplanalto/discursos/discursos-da-presidenta/discurso-da- -presidenta-da-republica-dilma-rousseff-naabertura-do-debate-geral- -da-68a-assembleia-geral-das-nacoes-unidas-nova-iorque-eua>. Acesso em: 15 jan. 2015.

SANTOS, José Carlos dos. Podemos recrutar “hackers”. Revista Época. 2011. Disponível em: <http://revistaepoca.globo.com/Revista/ Epoca/0,,EMI249428-15223,00-GENERAL+JOSE+CARLOS+DOS+SANTOS+PODEMOS+RECRUTAR+HACKERS.<html>. Acesso em: 03 mai. 2015.

SENIWATI. The Securitization Theory and Counter Terrorism in Indonesia. Academic Research International, Hasanuddin University, v. 5, n.3, p.231 - 238, 2014. Disponível em: <www.savap.org.pk/journals/ARInt./ Vol.5(3)/2014(5.3-26).pdf>. Acesso em: 14 jul. 2016.

TAKAHASHI, Tadao (Org.). Sociedade da Informação no Brasil: Livro Verde. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2000. Disponível em: <http:// livroaberto.ibict.br/bitstream/1/434/1/Livro%20Verde.pdf>. Acesso em: 03 mai. 2015.

WENDT, Alexander. Anarchy is what States Make of it: the social constructionof power politics. International Organization, v.46, n.2, p.391-425. 1992. Disponível em: <http://ic.ucsc.edu/~rlipsch/Pol272/Wendt.Anarch. pdf>. Acesso em: 20 out. 2016.