Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Modelos Devocionais e Agenciamentos na Festa e Romaria a N. Sra. de Caravaggio (Farroupilha-RS)

DOI: http://dx.doi.org/10.18328/2179-0019/plura.v7n2p174-200

http://www.abhr.org.br/plura/ojs/index.php/plura/index 

downloadpdf

Adimilson R. da Silva1

 

Resumo: Através de pesquisas etnográficas realizadas no contexto da festa e romaria de N. Sra. de Caravaggio, na cidade de Farroupilha-RS, buscou-se na relação construída com os agentes implicados nesta realidade compor algumas linhas da ação significativa para a manutenção e mudança dos arranjos devocionais expostos como modelos. Investimos em compreender como os agenciamentos de diferentes atores influenciam os modelos devocionais. Para tanto, compomos percepções de observações e descrições das ações presentes na produção e promoção da romaria e de outras atividades, como caminhadas, revitalização de espaços sagrados e divulgação da devoção. Tais pistas nos levaram a perceber que a elaboração de um Projeto de Igreja, com base nesta devoção mariana, encontra-se cada vez mais direcionada a dialogar com as diferentes formações culturais que interpelam as iniciativas efervescentes nesta manifestação religiosa, sejam estas provenientes de repertórios memorialista, tradicional e modernizante.

Palavras-chaves: Modelos Devocionais. Agenciamentos. Devoção Mariana.

 

Abstract: Through ethnographic research carried out in the context of the Feast and Pilgrimage of Nossa Senhora de Caravaggio, in the city of Farroupilha-RS, we have sought in the relationship built with the agents involved in this reality to compose some lines of significant action for the maintenance and change of devotional arrangements exposed as models. We have aimed at understanding how the agencies of different actors influence the devotionals models. Therefore, we have composed perceptions from observations and descriptions of actions present in the production and promotion of the festival and other activities such as walks, the revitalization of sacred spaces and disseminations of devotion. These insights lead us to realize that the development of a church project, based on this Marian devotion, is increasingly directed to dialogue with different cultural backgrounds that challenge the effervescent initiatives in this religious manifestation, either from memoirist, traditional or modernizing repertoires.

Key-words: Devotional models. Agencies. Marian devotion.

 

1 Doutorando no Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais-UNISINOS (Universidade do Vale do Rio dos Sinos). Bolsista Capes-PROSUP. E-mail: arenatos2@gmail.com

 

Literatura Citada

ALMEIDA, Ronaldo de. Religião em trânsito. In: MARTINS, Carlos B.; DUARTE, Luiz F. D. (Coord.). Horizonte das ciências sociais no Brasil: antropologia. São Paulo: ANPOCS, 2010, p. 367-405.

AUGRAS, Monique. Socorro urgente: o “show” de Santo Expedito. In: SILVA, André Luiz; SOUZA, Régis de Toledo (Org.). Religião e imagética: caminhos da devoção popular no Brasil e no México. Porto Alegre: Armazém Digital, 2008, p. 53-68.

BOURDIEU, Pierre. Gênese e estrutura do campo religioso. In: ______. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2009, p. 27-78.

CARNEIRO, Sandra de Sá. A pé e com fé: brasileiros no Caminho de Santiago. São Paulo: Attar, 2007.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura; STEIL, Carlos Alberto. A sacralização da natureza e a “naturalização” do sagrado: aportes teóricos para a compreensão dos entrecruzamentos entre saúde, ecologia e espiritualidade. Revista Ambiente & Sociedade, Campinas, v. XI, n. 2, p. 289-305, jul./dez. 2008.

CLIFFORD, James. A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. 4. ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2011.

CSORDAS, Thomas. Corpo/Significado/Cura. Porto Alegre: UFRGS, 2008.

EADE, John; SALLNOW, Michael. Contesting the sacred: the anthropology of Christian pilgrimage. London: Routledge, 1991.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano: a essência das religiões. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1998.

GIDDENS, Antony. A constituição da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

GOLDMAN, Márcio. Alguma antropologia. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 2006.

HEALY, Jessica De Largy. Do trabalho de campo ao arquivo digital: performance, interação, e Terra de Arnhem, Austrália. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 10, n. 21, p. 67-95, jan./jun. 2004.

HERVIEU-LÉGER, Danièle. O peregrino e o convertido: a religião em movimento. Petrópolis: Vozes, 2008.

HOBSBAWM, E. J.; RANGER, Terence. A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: Editora 34, 1994.

LOPES, José Rogério. Festas e religiosidade popular: estudos antropológicos sobre agenciamentos, reflexividade e fluxos identitários. Porto Alegre: Cirkula, 2014.

LOPES, José Rogério; SILVA, André Luiz. Cultura Erudita e cultura popular: entre dissonâncias e correspondências. In: MEIRELLES, Mauro (Org.). Sociologia: trabalho-ciência-cultura-diversidade. Porto Alegre: Cirkula, 2013, p. 283-298.

LOPES, José Rogério. Imagens e figurações religiosas no catolicismo popular: perspectivas de investigação da imagética devocional. In: SILVA, André Luiz; SOUZA, Régis de Toledo (Org.). Religião e imagética: caminhos da devoção popular no Brasil e no México. Porto Alegre: Armazén Digital, 2008, p. 103-135.

MAUSS, Marcel. Sociologia e antropologia. São Paulo: Editora Cosac Naify, 2003.

MEAD, George Herbert. Espiritú, persona e sociedad: desde el punto de vista del conductismo social. Buenos Aires: Paidós, 1982.

OLIVEIRA, Rosana Medeiros. Tecnologia e subjetivação: a questão da agência. Psicologia & Sociedade, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 17-28, jan./abr. 2005.

PASA, G. Padre Theodoro Portolan: Santuário de Caravaggio. Caxias do Sul: Editora Maneco, 2013.

ROSENDAHL, Zeny. Espaço e religião: uma abordagem geográfica. Rio de Janeiro: UERJ, 1996.

SALLNOW, Michael. Pilgrims of the Andes: Regional Cults in Cusco. Washington, Smithsonian Institution, 1987.

SCHUTZ, Alfred. El problema de la realidad social. Buenos Aires: Amorrortu Editores, 1974.

STEIL, Carlos Alberto. O Sertão das romarias: um estudo antropológico do Santuário de Bom Jesus da Lapa. Petrópolis: Vozes, 1996.

STEIL, Carlos Alberto. Pluralismo, modernidade e tradição: transformações do campo religioso. Ciencias Sociales y Religión/ Ciências Sociais e Religião, Porto Alegre, ano 3, n. 3, p. 115-129, 2001.

STEIL, Carlos Alberto. Catolicismo e memória no Rio Grande do Sul. Debates NER, Porto Alegre, ano 5, n. 5, p. 9-30, jun. 2004.

STEIL, Carlos Alberto. CARNEIRO, Sandra de Sá. Peregrinação, turismo e nova era: caminhos de Santiago de Compostela no Brasil. Religião e Sociedade, v. 28, n.1, p. 108-124, 2008.

TEIXEIRA, Alfredo. Matrizes das crenças em Portugal. In: Portugal, percursos de interculturalidade, III. Matrizes e configurações. LAGES, Mário Ferreira; MATOS, Artur Teodoro de (Coord.). Lisboa: Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, 2008, p. 299-378.

TONIOL, Rodrigo. No rastro das caminhadas: etnografia de uma política de turismo rural no Vale do Ivaí, SC. (Dissertação de Mestrado em Antropologia Social). Porto Alegre: PPGAS/UFRGS, 2012.

TURNER, Victor W. O processo ritual: estrutura e antiestrutura. Petrópolis: Vozes, 1974.

VAN VELSEN, J. A análise situacional e o método de estudo de caso detalhado. In: FELDMAN-BIANCO, Bela (Org.) Antropologia das sociedades contemporâneas: métodos. São Paulo: Global, 1987. p. 345-372.

YÚDICE, George. A conveniência da cultura: usos da cultura na era global. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

ZORZI, B. Nossa Senhora de Caravaggio no Brasil. Caxias do Sul: Paulinas, 1986.