Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Qualidade de Frutos da Goiabeira cv. Paluma Submetida a Podas de Frutificação em Diferentes Épocas no Município de Mossoró - RN

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/2318-7670.v05n01a01

http://www.ufmt.br/nativa 

downloadpdf

Wagner C. Farias1*, Francisco M. M. Câmara1, Francisco S. O. Silva1, Vander Mendonça1, Gustavo A. Pereira3 & Grazianny A. Leite2

 

Resumo: A poda de frutificação permite a colheita de frutos de qualidade nas épocas desejadas pelo produtor e é economicamente viável, porque pode possibilitar a colheita justamente nos períodos de menor oferta no mercado. A sua execução também pode ser programada, no intuito de se distribuírem melhor os tratos culturais do pomar e de se conferir maior flexibilidade à comercialização. O objetivo desse trabalho foi a caracterização da qualidade de frutos da goiabeira “Paluma” submetida a três tipos de poda de frutificação em diferentes épocas no município de Mossoró, RN. Os atributos de qualidade avaliados nesse trabalho apresentam variações conforme as épocas de podas avaliadas exceto para firmeza da polpa. O experimento foi realizado no pomar didático da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), no período de abril de 2013 a dezembro de 2014, no município de Mossoró, RN, disposto no delineamento em blocos casualizados, sendo os tratamentos distribuídos em esquema de parcelas subdivididas, as quais foram compostas pelas épocas de poda, realizadas nos meses de abril (2013), novembro (2013) e julho (2014); e as subparcelas pelas diferentes podas de frutificação (curta, média e longa); com quatro repetições, onde a unidade experimental foi composta por duas plantas que foram podadas e tiveram 8 ramos marcados com fitas coloridas. Após a colheita, foram avaliados os seguintes atributos: firmeza, sólidos solveis (SS), acidez titulável (AT) e pH. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância, e as médias, comparadas pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade. As análises foram realizadas com o programa estatístico SISVAR. Os atributos de qualidade avaliados nesse trabalho como teor de sólidos solúveis, pH, acidez titulável, apresentam variações conforme as épocas de podas avaliadas exceto para firmeza da polpa. A melhor poda foi à longa, sendo a melhor época de realização das podas foram os meses de novembro e julho.

Palavras-chave : Psidium guajava L., fruticultura, pós-colheita.

 

Abstract : The winter pruning allows the harvest of fruit quality in times desired by the producer and is economically viable, because it can allow the harvest precisely in periods of reduced supply in the market. Its implementation can also be programmed in order to better distribute the cultivation of the orchard and to bringing more flexibility in marketing. The experiment was conducted in the didactic orchard of the Federal Rural University of the Semi-Arid (UFERSA), from April 2013 to December 2014, in the municipality of Mossoró, RN, Brazil, arranged in randomized blocks, with treatments distributed in split plots , which were composed by pruning times, conducted in April (2013), November (2013) and July (2014); and subplots by different pruning fruit (short, medium and long); with four replications, where the experimental unit consisted of two plants that were pruned and had 8 branches marked with colored ribbons. The aim of this study was to characterize the quality of the fruits of guava “Paluma” subjected to different times and pruning intensities in Mossoró, RN. Evaluated: firmness, soluble solids (SS), titratable acidity (TA) and pH. The quality attributes evaluated in this work present variations according to the pruning times found, except for firmness. The quality attributes evaluated in this work as soluble solids, pH, titratable acidity, present variations as the pruning times evaluated except for firmness. The best pruning was the long, being the best time of realization of prunings were the months of November and July.

Key words : Psidium guajava L., fruticulture, post-harvest.

 

1 Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia, Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, Rio Grande do Norte, Brasil.
2 Departamento de Ciências Exatas, Universidade Federal Rural do Pernambuco, Cabo de Santo Agostinho, Pernambuco, Brasil.
3 Campus Profa. Cinobelina Elvas, Universidade Federal do Piauí, Bom Jesus, Piauí, Brasil.
* E-mail: cesareaj@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

AGRIANUAL. Anuário estatístico da Agricultura Brasileira. São Paulo, FNP Consultoria & Comércio. p. 325-328, 2009.

AULAR, J.; NATALE, W. Nutrição mineral e qualidade dos frutos de algumas frutíferas tropicais: goiabeira, mangueira, bananeira e mamoeiro. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 35, n. 4, p. 1214-1231, 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452013000400033

CARMO FILHO, F. O. Mossoró: um município do semiárido: caracterização climática e aspecto florístico. Mossoró: UFERSA, 1989. 62p. (Coleção Mossoroense, 672, série B).

CAVALANI, F. C. Fisiologia do amadurecimento, senescencia e comportamento respiratório de goiabas “Kumagai” e “Pedro Sato”. 2008. T89 f. Tese (Doutorado em Fisiologia e Bioquímica de Plantas), Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2008.

DENEGA, S.; BIASI, L. A.; ZANETTE, F. Comportamento fenológico de cultivares de Vitis rotundifolia em Pinhais - PR. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 31, n. 1, p. 101-108, 2010. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2010v31n1p101

FERREIRA, D. F. SISVAR: um programa para análises e ensino de estatística. Revista Symposium, v. 6, p. 36-41, 2008. FIORAVANÇO, J. C.; PAIVA, M. C.; MANICA, I. Goiaba: aspectos qualitativos. Cadernos de Horticultura, Porto Alegre, v. 3, n. 3, p. 12, 1995.

HOJO, R. H.; CHALFUN, N. N. J.; DOLL HOJO, E. T.; VEIGA, R. D.; PAGILS, C. M.; LIMA, L. C. O. Produção e qualidade dos frutos da goiabeira “Pedro Sato” submetida a diferentes épocas de poda. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 42, n. 3, p. 357-362, 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2007000300008

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção Agrícola Municipal Culturas temporárias e permanentes. v. 39, 2012. Brasil.

MALAVOLTA, E. Manual de nutrição mineral de plantas. Piracicaba: Ceres, 2006. 638p.

MANICA, I.; KIST, H.; MICHELETTO, E. L.; KRAUSE, C. A. Competição entre quatro cultivares e duas seleções de goiabeira. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 33, n. 8, p. 1305-1313, 1998.

MEDEIROS, P.V.Q. Épocas e intensidades de poda na produção e qualidade de frutos de goiabeira em Quixeré – CE. 87p. Tese (Doutorado em Fitotecnia), Universidade Federal Rural do SemiÁrido, Mossoró, 2012.

NATALE, W.; ROZANE, D. E.; PARENT, L. E.; PARENT, S. E. Acidez do solo e calagem em pomares de frutíferas tropicais. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 34, p. 1294-1306, 2012. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452012000400041

PEREIRA, F. M.; NACHTIGAL, J. C. Melhoramento Genético da Goiabeira. In: Natale, W. (Ed.). Cultura da Goiaba do plantio à comercialização. São Paulo: Editora Unesp, 2009. p. 371-394.

RAMOS, D. P., LEONEL, S., SILVA, A. C., SOUZA, M. E., SOUZA, A. P., FRAGOSO, A. M. Épocas de poda na sazonalidade, produção e qualidade dos frutos da goiabeira ‘Paluma’. Revista Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 32, n. 3, p. 909-918, 2011. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2011v32n3p909

SERRANO, L. A. L.; MARINHO, C. S.; SILVA, M. G.; TARDIM, F. D. Características fenológicas e produtivas da goiabeira ‘paluma’ podada em diferentes épocas e intensidades no norte fluminense. Revista Ceres, Viçosa, v. 55, n. 5, p. 416-424, 2008.

SILVA, J. E. B.; NETO, J. D.; GOMES, J. D.; MACIEL, J. L.; SILVA, M. M.; LACERDA, R. D. Avaliação do ºBrix e pH de frutos da goiabeira em função de lâminas de água e adubação nitrogenada. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v. 10, n. 1, p. 43-52, 2008. http://dx.doi.org/10.15871/1517-8595/rbpa.v10n1p43-52