Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Comportamento ingestivo e respostas fisiológicas de ovinos em pastejo no semiárido

DOI: http://dx.doi.org/10.14269/2318-1265.v02n01a05

http://www.jabbnet.com/ 

downloadpdf

Carolyny B. Lima1, Tharantine G. P. Costa1, Thalisson L. Nascimento1, Dorgival M. Lima Júnior1, Maria J. M. S. Silva1 & Tobyas M. A. Mariz1

 

Resumo: A criação de ovinos representa importante suporte social e econômico para as populações instaladas em zonas semiáridas do globo. A condição climática presente nessas regiões – elevada carga térmica radiante, principalmente – pode exigir ajustes profundos na fisiologia e no comportamento do animal a fim de possibilitar sua sobrevivência. O aumento da frequência respiratória e da temperatura retal, somado a padrões de comportamento buscando redução do tempo de pastejo e elevações do tempo de ócio são recorrentes na literatura como principais respostas fisiológicas e comportamentais dos ovinos pastejando em ambientes de elevada carga térmica radiante. A presença de sombra, seja natural ou artificial, pode favorecer a termólise e facilitar os ajustes fisiológicos dos ovinos, sem prejudicar, preponderantemente, o seu metabolismo. Dessa forma, objetivou-se compilar informações sobre os principais padrões de comportamento, bem como as principais respostas fisiológicas, de ovinos pastejando em zonas semiáridas.

Palavras-chave: estresse térmico, ruminação, variáveis comportamentais

 

Abstract: Sheep farming is an important social and economic support for the population living in semi-arid zones. These climatic conditions in these regions - a high radiant heat load, especially - may require adjustments in physiology and behavior of the animal to enable their survival. The increased respiratory rate and rectal temperature, with seeking behavioral patterns reduced grazing time and increased idle time are recurrent in the literature as the main physiological and behavioral responses of sheep grazing in high radiant heat load environments. The presence of shadow, natural or artificial, can encourage and facilitate thermolysis physiological adjustments sheep without harm, predominantly, your metabolism. Thus, the objective of compiling information on the main patterns of behavior, as well as major physiological responses of sheep grazing in semi-arid zones.

Key words: thermal stress, rumination, behavioral variables

 

1 Universidade Federal de Alagoas (Campus Arapiraca), Av. Manoel Severino Barbosa, Bom Sucesso, Arapiraca, AL, Brasil. E-mail: limajunior@zootecnista.com.br

 

Literatura Citada

Almeida EML (2006) Avaliação de parâmetros de desempenho, fisiológicos de ovinos machos castrados Santa Inês em pastagem com e sem sombreamento. Dissertação, Universidade estadual do sudoeste da Bahia.

Amaral DF, Barbosa OR, Gasparino E, Akimoto LS, Lourenço FJ, Santello GA (2009) Efeito da suplementação alimentar nas respostas fisiológicas, hormonais e sanguíneas de ovelhas Santa Inês, Ile de France e Texel. Acta Scientiarum. Animal Sciences 31:403-410.

Araújo Filho JA (2006) Aspectos Zooecológicos e Agropecuários do Caprino e do Ovino nas Regiões Semiáridas. Sobral : Embrapa Caprinos, 28 p.

Baccari Júnior F (1998) Adaptação de sistemas de manejo na produção de leite em clima quente.In: Silva, I.J.O. (Ed) Ambiência na produção de leite em clima quente. Piracicaba: FEALQ, p.24-67.

Baccari Júnior F (2001) Manejo ambiental da vaca leiteira em climas quentes. Londrina: Universidade Estadual Londrina, 142p.

Baêta FC, Souza CF (1997) Ambiência em edificações rurais: conforto animal. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 246p.

Beede DK, Collier RJ (1986) Potential nutritional strategies for intensively managed cattle during thermal stress. Journal of Animal Science 62:543-554.

Bernabucci U, Lacetera N, Danieli PP, Bani P, Nardone A, Ronchi B (2009) Influence of different periods of exposure to hot environment on rumen function and diet digestibility in sheep. Internacional Journal of Biometeorology 53:387–395. doi

Brandl TMB (2009) Overview of the Progress in Reducing Environmental Effects on Cattle. In: Discover Conference, ed18., Nashville. Anais... Nashville: American Dairy Science Association, p. 2-5.

Brasil (2005) Ministério do Meio Ambiente e Ministério da Ciência e Tecnologia. Portaria Interministerial n.1, de 09 de marco de 2005. Diário Oficial da União, Brasília, 2005.

Bratti LFS (2007) Comportamento ingestivo de caprinos em pastagem de azévem e aveia preta em cultivo puro e consorciado. Dissertação,Universidade Federal do Paraná.

Cardoso IPM (2005) Influência do sombreamento artificial em parâmetros fisiológicos e produtivos de vacas mestiças (Holandês X Zebu). Dissertação, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

Carvalho GGP, Pires AJV, Silva HGO, Veloso CM, Silva RR (2007) Aspectos metodológicos do comportamento ingestivo de cabras lactantes alimentadas com farelo de cacau e torta de dendê. Revista Brasileira de Zootecnia 36:103-110.

Cezar MF, Souza BB, Souza WH, Pimenta Filho EC, Tavares GP, Medeiros GX (2004) Avaliação de parâmetros fisiológicos de ovinos Dorper, Santa Inês e seus mestiços perante condições climáticas do trópico semiárido nordestino. Ciência e Agrotecnologia 28:619-626. doi

Costa LAB, (2011) Influência da suplementação no comportamento, desempenho e variáveis fisiológicas de ovinos negros da raça Santa Inês, em condições de pastejo. Dissertação, Universidade Federal Rural de Pernambuco.

Damasceno JC, Targa LA (1997) Definição de variáveis climáticas na determinação da resposta de vacas holandesas em um sistema “freestall”. Energia na Agricultura 12:12-25.

Figueiredo MRP, Saliba EOS, Borges I, Rebouças GMN, Aguiar e Silva F, Sá HCM (2013) Comportamento ingestivo de ovinos alimentados com diferentes fontes de fibra. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia 65:485-489. doi

Food and Agriculture Organization (2007). Disponível em: <http://www.fao.org>. Acesso 20 mar. 2013.

Gonçalves EM, Carvalho PCF, Devincenzi T, Lopes MLT, Freitas FK, Jacques AVA (2009) Relações planta-animal em ambiente pastoril heterogêneo: padrões de deslocamento e uso de estações alimentares. Revista Brasileira de Zootecnia 38:2121-2126. doi

Grant RJ, Albright JL (1995) Feeding behavior and management factors during the transition period in dairy cattle. Journal of Animal Science 73:2791-803.

Habeeb ALM, Maray IFM, Kamal TH (1992) Farm animals and the environment. Cambridge: CAB, 428p.

Hales JRS, Brown GD (1974) Net energetic and thermoregulatory efficiency during panting in the sheep.Compomparative Biochemical and Physiology 49:413-422. doi

Hodgson J, Clark DA, Mitchell RJ (1994) Foraging behaviour in grazing animals and its impact on plant comunities. In: FAHEY, G. C. (Ed.). Forage Quality Evaluation and utilization.Lincoln: American SocietyofAgronomy, p.796-827.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010) Censo Demográfico 2010. Disponível em: htt://www.ibge.gov.br Acessado em04 junho de 2013.

Johnson KG (1987) Shading behaviour of sheep: Preliminary studies of its relation to thermoregulation, feed and water intakes, and metabolics rates. Austr.JournalAgricultural Science 38:587-596.

Kawabata, YC, Castro CR, Júnior SH (2005) Índices de conforto térmico e respostas fisiológicas de bezerros da raça holandesa em bezerreiros individuais com diferentes coberturas. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola 25:3-9.

Kazama R, Roma CFC, Barbosa OR, Zeoula LM, Ducatti T, Tesolin LC (2008) Orientação e sombreamento do confinamento na temperatura da superfície do pelame de bovinos. Acta Scientarum. Animal Science 30:211-216.

Leme TMSP, Pires MFA, Verneque RS, Alvim MJ, Aroeira LJM (2005) Comportamento de vacas mestiças holandês x zebu, em pastagem de brachiariadecumbens em sistema silvipastoril. Ciência e Agrotecnologia 29:668- 675. doi

Lin L, Dickhoefer U, Müller K, Wurina, Susenbeth A (2011) Grazing behavior of sheep at different stocking rates in the Inner Mongolian steppe, China. Applied Animal Behaviour Science 129:36–42. doi

Mac-Lean PAB, Barbosa OR, Jobim CC, Gasparino E, Santos GT, Faria LAN (2011) Comportamento e desempenho de bezerros desmamados. Acta Scientiarum. Animal Sciences 33:409-415.

Marai IFM, El-Darawany AA, Fadiel A, Abdel-Hafez MAM (2007) Physiological traits as affected by heat stress in sheep-A review. Small Ruminant Research 71:1–12. doi

Marques JA (2000) O Stress e a Nutrição de Bovinos.Maringá: Imprensauniversitária, 42p.

McCutcheon LJ, Geor RJ (2008) Thermoregulation and exercise-associated heat stress. In: Hinchcliff, K.W.; Geor, R.J.; Kaneps, A.J. Equine exercise physiology: the science of exercise in the athletic horse. Philadelphia: Elsevier, p. 382-386. doi

McDowell RE (1974) Bases biológicas de laproducción animal em zonas tropicales.1.ed. Zaragoza: Acribia, p.692.

Mcmanus C, Paiva SR, Araujo RO (2010) Genetics and breeding of sheep in Brazil. Revista Brasileira de Zootecnia 39:236-246. doi

Medeiros RB, Pedroso CES, Jornada JBJ, Silva MA, Saibro JC (2007) Comportamento ingestivo de ovinos no período diurno em pastagem de azevém anual em diferentes estádios fenológicos. Revista Brasileira de Zootecnia 36:198-204. doi

Mendes LCN, MatsukumaBH, Oliveira G, Peres LCT, Gerardi B, Feitosa FLF, Perri SHV, Peiró JR (2013) Efeito da tosquia na temperatura corpórea e outros parâmetros clínicos em ovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 33:817-825. doi

Moscati MCL, Gan MA (2007) Rainfall variability in the rainy season of Semiarid Zone of Northeast Brazil (NEB) and its relation to wind regime. Journal of Climatology-INT 27:493-512. doi

Mota LS (1997) Adaptação e interação genótipo-ambiente em vacas leiteiras. Tese, Faculdade de Medicina Veterinária de Ribeirão Preto.
Moura MSB, Galvincio JD, Brito LTL, Souza LSB, Silva Sá II, Silva TGF. Clima e água de chuva no Semiárido. http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=3&cad=rja&ved=0CDoQFjAC&url=http%3A%2F%2Fainfo.cnptia.embrapa.br%2Fdigital%2Fbitstream%2FCPATSA%2F36534%2F1%2FOPB1515.pdf&ei=cyQ6UqbgO4ju8ASq4IDABA&usg=AFQjCNGGxF1RskWXJGQjbksafDbqXbrZSA&bvm=bv.52288139,d.eWU Acessado em 01 setembro de 2013.

Nääs IA (1989) Princípios de conforto térmico na produção animal. São Paulo: Ed. Ícone. 183 p.

Neiva JNM, Teixeira M, Turco SHN, Oliveira SMP, Moura AAAN (2004) Efeito do estresse climático sobre os parâmetros produtivos e fisiológicos de ovinos Santa Inês mantidos em confinamento na região Litorânea do Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Zootecnia 33: 668-678. doi

Oliveira DA, Moreira PA, Júnior AFM, Pimenta MAS (2006) Potencial da biodiversidade vegetal da Região Norte do Estado de Minas Gerais. Revista Unimontes Científica 8:29-36.

Oliveira PTL, Turco SHN, Voltolini TV, Araújo GGL, Pereira LGR, Mistura c, Menezes DR (2011) Respostas fisiológicas e desempenho produtivo de ovinos em pasto suplementados com diferentes fontes proteicas. Revista Ceres 58:185-192.

Oliveira SEO; Costa CCM (2013) Respiratory heat loss in Morada Nova sheep in Brazilian semi-arid regions. Journal Animal Behavior and Biometeorology 1:17-20. doi

Ortêncio Filho H, Barbosa OR, Sakaguti ES, Onorato WM, Macedo FAF (2001) Efeito da sombra natural e da tosquia no comportamento de ovelhas das raças Texel e Hampshire Down, ao longo do período diurno, no noroeste do estado do Paraná. Acta Scientiarum 23:981-993.

Pádua JT (1997) Efeito do estresse calórico sobre o desempenho e variáveis fisiológicas em borregos confinados. Tese,Universidade do Estado de São Paulo.

Paim TP, Borges BO, Lima PMT, Gomes EF, Dallago BSL, Fadel R, Menezes AM, Louvandini H, Canozzi MEA, Barcellos JOJ, McManus C (2013) Thermographic evaluation of climatic conditions on lambs from different genetic groups. International Journal of Biometeorology 57:59-66. doi

Paranhos da Costa MJR, Silva RG, Souza RC (1992) Effect of air temperature and humidity on ingestive behaviour of sheep. International Journal of Biometeorology 36:218-222. doi

Pompeu RCFF, Rogério MCP, Cândido MJD, Neiva JNM, Guerra JLL, Gonçalves JS (2009) Comportamento de ovinos em capim-tanzânia sob lotação rotativa com quatro níveis de suplementação concentrada. Revista Brasileira de Zootecnia 38:374-383. doi

Quesada M, Mcmanus C, Couto FAA (2001). Tolerância ao calor de duas raças de ovinos deslanados no Distrito Federal. Revista Brasileira de Zootecnia 30:1021-1026. doi

Raslan LSA (2008) Aspectos comportamentais e fisiológicos de ovino SPRD sob pastejo com e sem sombreamento. Dissertação, Universidade Estadual do Sudoeste de Bahia.

Ribeiro NL, Furtado DA, Medeiros NA, Ribeiro MN, Silva RCB, Souza CMS (2008) Avaliação dos índices de conforto térmico, parâmetros fisiológicos e gradiente térmico de ovinos nativos. Revista de Engenharia Agrícola 28:614-623. doi

Ribeiro VL, Batista AMV, Carvalho FFR, Azevedo M, Mattos CW, Alves KS (2006) Comportamento ingestivo de caprinos Moxotó e Canindé submetidos a alimentação a vontade e restrita Acta Scientarium Animal Sciences 28:331-337.

Robertshaw D (2006) Regulação da temperatura e o ambiente térmico. In: Reece, W. O. Dukes: Fisiologia dos animais domésticos. 12. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Roman J, Rocha MG, Pires CC, Elejalde DAG, Kloss MG, Oliveira Neto RA (2007) Comportamento ingestivo e desempenho de ovinos em pastagem de azevém anual (LoliummultiflorumLam.) com diferentes massas de forragem. Revista Brasileira de Zootecnia 36:780-788. doi

Santos MM, Azevedo M, Costa LAB, Silva Filho FP, Modesto EC, Lana AMQ (2011) Comportamento de ovinos da raça Santa Inês, de diferentes pelagens, em pastejo. Acta Scientiarum Animal Sciences 33:287-294. doi

Scharf B, Wax LE, Aiken GE, Spiers DE (2008) Regional differences in sweat rate response of steers to short-term heat stress. International Journal of Biometeorology 52:725–732. doi

Sejian V, Maurya VP, Naqvi SMK (2010) Adaptive capability as indicated by endocrine and biochemical responses of Malpura ewes subjected to combined stresses (thermal and nutritional) in a semi-arid tropical environment. International Journal of Biometeorology 54:653–661. doi

Sejian V, Maurya VP, Naqvi SMK (2012) Effect of walking stress on growth, physiological adaptability and endocrine responses in Malpura ewes in a semi-arid tropical environment. International Journal of Biometeorology 56:243–252. doi

Shaw RA, Villalba JJ, Provenza FD (2006) Influence of stock density and rate and temporal patterns of forage allocation on the diet mixing behavior of sheep grazing sagebrush steppe. Applied Animal Behaviour Science 100:207–218. doi

Silanikove N (2000) Effects of heat stress on the welfare of extensively managed domestic ruminants. Livestock Production Science 67:1-18. doi

Silva JJFC, Torquato JL, Sá Filho GF, Souza Jr JBF, Costa LLM (2013) Evaporação cutânea e respostas fisiológicas de caprinos Canindé em ambiente equatorial semiárido. Journal Animal Behavior and Biometeorology 1:13-16. doi

Silva RG (2000) Introdução à bioclimatologia animal. 1.ed. São Paulo: Nobel, 286p.

Starling JMC, Silva RS, Cerón-Muñoz M, Barbosa GSSC, Paranhos da Costa MJR (2002) Análise de algumas variáveis fisiológicas para avaliação do grau de adaptação de ovinos submetidos ao estresse por calor. Revista Brasileira de Zootecnia 31:2070-2077. doi

Terrill C, Slee J (1991) Breed differences in adaptation of sheep. In: Maijala K. Genetic resources of pigs, sheep and goat. Amsterdam: Elsevier, p. 19.

Van Soest PJ (1994) Nutritional ecology of the ruminant. Cornel: Ihaca, 476p.

Winchester CF, Morris MJ (1956) Water intake rates of cattle. Journal Agricultural Science 15:722-740.


Zanine AM, Santos EM, Ferreira DJ, Granã AL, Granã GL (2006) Comportamento ingestivo de ovinos e caprinos em pastagens de diferentes estruturas morfológicas. Revista Eletrônica de Veterinária 7:1-10.