Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Crescimento de Nim (Azadrachta indica A. Juss) em Plantio Puro e Consorciado no Norte de Mato Grosso

DOI: http://dx.doi.org/10.14583/2318-7670.v02n01a07

http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/nativa/index 

downloadpdf

Dirceu L. C. Miranda1,2, Viviane Kelm2 & Juliano de P. Santos2

 

Resumo: O objetivo do presente estudo foi descrever o crescimento em Azadirachta indica e ajustar um modelo matemático para a estimativa do seu volume. Os dados para análise do crescimento foram obtidos mediante a análise de tronco completa em árvores de um plantio puro e outro consorciado. Por meio de regressão linear foram testados e ajustados 6 modelos para a estimativa do volume. As médias para o diâmetro, altura e volume foram 7,64 cm e 6,35 cm; 6,34 m e 6,3 m; 0,017990 m³ e 0,001480 m³, respectivamente para os plantios puro e consorciado. Na variável diâmetro, as curvas de ICA e IMA para o plantio puro e consorciado se interceptaram aos 4,5 e 5 anos respectivamente, enquanto que para a variável altura os incrementos se cruzam aos 2 anos de idade. Para variável volume, não houve o cruzamento dos incrementos, ou seja, não ocorreu a máxima produção física. A estimativa do volume da espécie pode ser obtida com boa precisão pelo modelo de Meyer apresentando R²aj 0,923 e Syx 18,02%. Conclui-se que Azadirachta indica, possui um crescimento considerado lento quando comparado a outros plantios para fins comerciais.

Palavras-chave: incremento corrente anual, análise de tronco completa, equações de volume

 

Abstract: The aim of this study was to describe the growth in Azadirachta indica and fit a mathematical model to estimate its volume. Data for growth analysis were obtained by analysis of the complete tree trunk in pure and another consortium plantation. By means of linear regression, were tested and adjusted six volume estimating models. The averages for diameter, height and volume were 7.64 cm and 6.35 cm, 6.34 m and 6.3 m; 0.017990 and 0.001480 m³, respectively, for the pure and intercropped plantations. In diameter variable, the ICA and IMA curves for pure and intercropping planting intercepted in 4.5 and 5 years respectively, while for the height variable the increments intersect at 2 years of age. For volume variable, has not the increment scrossing, i.e. has not occurred the maximum physical production. The estimated volume of individual species can be obtained with good accuracy by the Meyer model, presenting R²aj 0.923 and Syx 18.02%. We conclude that neem (Azadirachta indica) has growth considered slow when compared to other crops for commercial purposes.

Key words: annual increment, trunk complete analyses, volume equation

 

1 Pós-Graduação em Ciências de Florestas Tropicais, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, Amazonas, Brasil. E-mail: mirandaufpr@yahoo.com.br
2 Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais, Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, Mato Grosso, Brasil.

 

Literatura Citada

BRASIL. Ministério de Minas de Energia: Departamento Nacional da produção mineral. Projeto RADAM Brasil. Folhas sc. 21. Juremo: Geomorfologia, pedologias, vegetação e uso potencial da terra. Rio de Janeiro: 1980. 460 p. (Levantamento de Recursos Naturais, v. 20).

CARMEAN, W. H. Site index curves for upland oaks in the Central States. Forest Science, Bethesda, v. 18, n. 2, p.109-120, jun. 1972.

CHYO, M. et al; Análise de tronco de Araucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze. nativa do parque estadual de Campos do Jordão-SP. In: CONGRESSO NACIONAL SOBRE ESSÊNCIAS NATIVAS, 1., 1982, Campos do Jordão, São Paulo. Anais... Campos do Jordão: Instituto Florestal de São Paulo, 1982, v. 2, p. 919-927.

CONCEIÇÃO, M. B. Comparação de métodos de estimativa de volume em diferentes idades em plantações de Eucalyptus grandis Hill ex – Maiden. 2004. 154 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2004.

FALESI, C. I. et al. Análise econômica da produção do Nim Indiano no Estado do Pará. Belém: EMBRAMA Amazônia Oriental, 2000. 4p. (Comunicado Técnico, 43).

FINGER, C. A. G. Biometria Florestal. Santa Maria: UFSM-DCFL, 2006. 314 p.

MACHADO, A. M.; FIGUEIREDO FILHO, A. Dendrometria. 2 ed. Guarpuava: UNICENTRO, 2006. 316 p.

MANGA, A. J. Estimativa de crescimento de Pinus taeda L. em Inhamacari usando a técnica de análise de tronco: crescimento em volume em função da idade. 2011. 53 f. Monografia (Graduação em Engenharia Florestal) – Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, 2011.

MARTINEZ, S. S. O Nim - Azadirachta indica - Natureza, usos múltiplos, produção. Londrina: IAPAR, 2002. 142 p.

MELO, J. T. Cultivo de guariroba (Syagus oleracea Becc.) em sistemas consorciados com espécies no cerrado. Planaltina: EMBRAPA-Cerrado, 2003. 2p. (Comunicado Técnico, 97).

NEVES E. J. M.; CARPANEZZI A. A Prospecção do cultivo do nim (Azadirachta indica) no Brasil. Colombo: Embrapa Florestas, 2009. 34p. (Documentos, 185).

OLIVEIRA, T. K. et al. Crescimento do mogno e eucalipto como cercas vivas no Acre, Brasil. CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROECOLOGIA: MANEJO DE AGROECOSSISTEMAS SUSTENTÁVEIS, 1., 2007, Guarapari, Espírito Santo. Anais... Guarapari: ABA/INCAPER, 2007, p-830-833.

SILVA, J. A. A.; PAULA NETO, F. Princípios básicos de dendrometria. Recife: Universidade Federal Rural de Pernambuco, 1989. 185 p.

SOUZA, C. R. et al. Desempenho de espécies florestais para usos múltiplos na Amazônia. Scientia Forestalis, v. 36, n. 77, p. 7-14, mar. 2008.

SPURR S. H. Forest Inventory. New York: Ronald Press, 1952. 476 p.

THOMAS, C. et al. Comparações de equações volumétricas ajustadas com dados de cubagem e análise de tronco. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 16, n. 3, p. 319-327, jul./set. 2006.

TONINI, H. et al. Crescimento da Teca (Tectona grandis) em reflorestamento na Amazônia Setentrional. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, n. 59, p. 5-14, jul./dez. 2009.