Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Resistência à Deterioração de Madeiras Amazônicas Tratadas por Imersão Simples em Óleo Queimado

DOI: http://dx.doi.org/10.14583/2318-7670.v02n01a09

http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/nativa/index 

downloadpdf

Ricardo Gallon1, Diego M. Stangerlin1, Adilson P. de Souza1, Elisangela Pariz2, Darci A. Gatto3, Leandro Calegari4 & Rafael R. de Melo1

 

Resumo: Este estudo teve como objetivo avaliar a resistência à deterioração de madeiras amazônicas tratadas por imersão simples em óleo queimado. Para tanto, amostras de Trattinnickia rhoifolia (amescla) e Qualea albiflora (cambará), com dimensões de 2 x 2 x 20 cm, foram submetidas aos tratamentos preservativos sem pressão em três intervalos de tempo 1, 3 e 5 h. A eficiência dos tratamentos utilizando óleo queimado foi determinada pela perda de massa e o índice de deterioração das amostras tratadas e não tratadas de amescla e cambará submetidas aos ensaios de deterioração de campo, durante um período de 10 meses. O tempo de imersão em óleo queimado não influenciou na taxa de retenção do preservativo nas madeiras de amescla e cambará. Dentre as madeiras ensaiadas, o cambará apresentou a melhor tratabilidade e consequente resistência à deterioração em comparação a amescla. O emprego do óleo queimado foi eficiente, de modo a proporcionar uma maior resistência à deterioração das madeiras de amescla e cambará, destacando-se o tempo de imersão de 5 h.

Palavras-chave: preservação da madeira, madeira tropical, ensaios de campo, perda de massa

 

Abstract: This study aimed to evaluate the resistance to deterioration of Amazonian wood treated by short-term soak in used engine oil. For this purpose samples of Trattinnickia rhoifolia (amescla) and Qualea albiflora (cambará), with dimensions of 2 x 2 x 20 cm, were submitted to the preservative treatments at three time slots 1, 3 and 5 hours. The efficiency of the used engine oil was determined by comparing the mass loss and decay index of amescla and cambará wood treated and untreated submitted in field tests for 10 months. The soak time in used oil engine did not influence the preservative retention rate in the amescla and cambará wood. Among the tested wood, cambará wood presented the best treatability and consequent resistance to deterioration compared to amescla wood. The use of used oil engine was efficient, providing a greater resistance to deterioration of amescla and cambará wood, especially when considering the soak time of 5 h.

Key words: wood preservation, tropical wood, field tests, mass loss

 

1 Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais, Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, Mato Grosso, Brasil. E-mail: rica_gallon@hotmail.com
2 Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Sinop, Universidade de Cuiabá, Sinop, Mato Grosso, Brasil.
3 Faculdade de Engenharia Industrial Madeireira, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.
4 Unidade Acadêmica de Engenharia Florestal, Universidade Federal de Campina Grande, Patos, Paraíba, Brasil.

 

Literatura Citada

ARCHER, K.; LEBOW, S. Wood preservation. In: WALKER, J. C. F. (Ed.). Primary wood processing: principles and practice. Dordrecht: Springer, 2006. p. 297-338. doi

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 14853: Madeira - Determinação do material solúvel em etanol-tolueno e em diclorometano. Rio de Janeiro: ABNT, 2002. 3 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 11941: Determinação da densidade básica. Rio de Janeiro: ABNT, 2003c. 6 p.

COSTA, A. F. Processos práticos de tratamento de madeiras para o meio rural. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2003. 23 p.

DIAS, C. A. A. Procedimentos de medição e aquisição de dados de uma torre micrometeorológica em Sinop- MT. 2007. 89 f. Dissertação (Mestrado em Física e Meio Ambiente) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2007.

EATON, R. A.; HALE, M. D. C. Wood: decay, pests and protection. Londres: Chapman e Hall, 1993. 546 p.

JANKOWSKY, I. P.; AGUIAR, O. J. R. Tratabilidade de lâminas de madeira de Pinus spp. para a confecção de recipientes. IPEF - Circular Técnica, Piracicaba, n. 127, p.1-5, jan. 1981.

LEPAGE, E. S. Método sugerido pela IUFRO para ensaios de campo com estacas de madeira. Preservação de madeiras, São Paulo, v.1, n.4, p.205-216, 1970.

LEPAGE, E. S. Métodos de tratamento. In: LEPAGE, E. S. Manual de preservação de madeiras. São Paulo: IPT, 1986. v. 2, p. 343-420.

MATSUO, H.; NISHIMOTO, K. The consumption of fungus infected wood by termite, Coptotermes formosanus Shiraki. Wood Research, Kyoto, v. 55, n. 1, p. 1-8, jan./mar. 1973.

MATTOS, B. D. et al. Durabilidade a campo da Madeira de três espécies de Eucalyptus tratadas por imersão simples. Agrária, Recife, v. 8, n. 4, p. 648-655, out./dez. 2013.

OLANIRAN, S. O. et al. Absorption and effect of used engine oil as wood preservative. ProLigno, Brasov, v. 6, n. 3, p. 1-2, set. 2010.

PRIANTE FILHO, N. et al. Comparison of the mass and energy exchange of a pasture and a mature transitional tropical forest of the southern Amazon Basin during the season transition. Global Change Biology, v. 10, n. 5, p. 863-876, maio 2004. doi

SANTINI, E. J. Biodeterioração e preservação da madeira. Santa Maria: CEPEF/FATEC, 1988. 125 p.

SSEMAGANDA, I. E. et al. Effectiveness of selected preservatives in protecting ugandan grown Eucalyptus grandis wood against termite attack. Maderas. Ciencia y tecnología, Concepción, v. 13, n. 2, p. 135-142, maio/ago. 2011.

STANGERLIN, D. M. et al. Durabilidade natural de painéis aglomerados confeccionados com Eucalyptus grandis e Bambusa vulgaris em ensaio de apodrecimento acelerado. Ciência Rural, Santa Maria, v. 41, n. 8, p. 1369-1374, ago. 2011.