Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Pesquisa em representações sociais no Brasil: cartografia dos grupos registrados no CNPq

DOI: http://dx.doi.org/10.15348/1980-6906/psicologia.v16n1p104-114

http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/index 

downloadpdf

Alberto Mesaque Martins1, Cristiene Adriana da Silva Carvalho & Maria Isabel Antunes-Rocha

 

Resumo: Neste trabalho, buscou-se identificar e caracterizar os grupos de pesquisa brasileiros que desenvolvem a teoria das representações sociais (TRS). Foram coletados dados da página do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a partir dos seguintes termos “representação social” e “representações sociais”, sem recorte temporal. Em seguida, realizaram-se análise da página dos grupos, tabulação e análise dos resultados. Foram identificados 172 grupos de pesquisa que estudam a TRS, sendo a maior parte desses localizados no Sudeste do país. Constata-se que a TRS refere-se a um referencial teórico e metodológico vivo, em constante produção no Brasil. A TRS encontra-se presente nos diferentes campos e áreas do conhecimento, revelando o seu caráter interdisciplinar e sua apropriação para a compreensão de fenômenos de ordens distintas.

Palavras-chave: teoria das representações sociais; grupos de pesquisa; pesquisa bibliográfica; psicologia social; cognição social

 

Abstract: In this work, we identify and characterize the Brazilian research groups that develop the social representation theory (SRT). We collected data from the CNPq’s Research Groups Directory submitting terms like “social representation” and “social representations”, without time period. Then, we analyzed of the page groups, organized and analyzed of results. We identified 172 research groups studding SRT, the most part of them from the Southeastern region of Brazil. We concluded that SRT is a theoretical and methodological framework, active and in constant production in Brazil. SRT is an interdisciplinary theory, being present in different knowledge areas and fields, and it helps the comprehension of phenomena in distinct contexts.

Keywords: social representation theory; research groups; bibliographical research; social psychology; social cognition

 

1 Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – MG – Brasil. Departamento de Psicologia, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Antônio Carlos, 6.627, sala 4080, Campus Pampulha – Belo Horizonte – MG – Brasil. CEP: 31270-901. E-mail: albertomesaque@yahoo.com.br

 

Literatura Citada

Almeida, A. M. O., Santos, M. F. S., & Trindade, Z. A. (2011). Apresentação. In A. M. O. Almeida, M. F. S. Santos & Z. A. Trindade. Teoria das representações sociais: 50 anos (pp. 17-20). Brasília: Technopolitik.

Arruda, A. (2002). As representações sociais: desafios de pesquisa. Revista de Ciências Humanas, v. esp.(6), 9-23.

Carvalho, J. G. S., & Arruda, A. (2008). Teoria das representações sociais e história: um diálogo necessário. Paidéia, 18(41), 445-456.

Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico. (2012). Diretório dos grupos de pesquisa. Recuperado em 12 julho, 2012, de http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/.

Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. (2010). Análise da produção científica a partir de publicações em periódicos especializados. In Fapesp. Indicadores de ciência, tecnologia e inovação em São Paulo 2010 (pp. 4-71). São Paulo: Fapesp.

Jodelet, D. (2001). Representações sociais: um domínio em expansão. In D. Jodelet (Org.). As representações sociais (pp. 17-44). Rio de Janeiro: Eduerj.

Lane, S. T. M. (1993). Uso e abusos do conceito de representação social. In M. J. Spink. (Org.) O conhecimento no cotidiano: as representações sociais na perspectiva da psicologia social (pp. 58-72). São Paulo: Brasiliense.

Lima, T. C. S., & Mioto, R. C. T. (2007). Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katalysis, 10(n. esp.), 37-45.

Moscovici, S. (1961). La psychanalyse, son image et son public. Paris: PUF.

Moscovici, S. (1978). A representação social da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar.

Moscovici, S. (2003). Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes.

Pepe, V. L. E., Noronha, A. B. M., Figueiredo, T. A., Souza, A. A. L., Oliveira, C. V. S., & Pontes, D. M., Junior. (2010). A produção científica e grupos de pesquisa sobre vigilância sanitária no CNPq. Ciência e Saúde Coletiva, 15(supl. 3), 3341-3350. doi

Pinheiro, J. Q. (2005). O lugar e o papel da psicologia ambiental no estudo das questões humano-ambientais, segundo grupos de pesquisa brasileiros. Psicologia USP, 16(1-2), 103-113. doi

Rosa, A. S. (2011). 50 anos depois: La psychanalyse, son image et son public na era do Facebook. In A. M. O. Almeida, M. F. S. Santos & Z. A. Trindade. Teoria das representações sociais: 50 anos (pp. 101-122). Brasília: Technopolitik.

Sá, C. P. (2000). A construção do objeto de pesquisa em representações sociais. Rio de Janeiro: Eduerj.

Sá, C. P., & Arruda, A. (2000). O estudo das representações sociais no Brasil. Revista de Ciências Humanas, v. esp.(3), 11-31.

Santos, M. F. S., Morais, E. R. C., & Alcioli, M. L., Neto. (2012). A produção científica em representações sociais: análise de dissertações e teses produzidas em Pernambuco. Psico (PUCRS), 43, 200-207.

Silva, F. L. (2001). Reflexões sobre o conceito e a função da universidade pública. Estudos Avançados, 15(42), 295-304. doi

Silva, I. O., Luz, I. R., & Faria, L. M., Filho. (2010). Grupos de pesquisa sobre infância, criança e educação infantil no Brasil: primeiras aproximações. Revista Brasileira Educacional, 15(43), 84-97. doi

Trindade, Z. A., Santos, M. F. S., & Almeida, A. M. O. (2011). Ancoragem: notas sobre consensos e dissensos. In A. M. O. Almeida, M. F. S. Santos & Z. A. Trindade. Teoria das representações sociais: 50 anos (pp. 101-122). Brasília: Technopolitik.