Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Desempenho, comportamento e respostas fisiológicas de suínos em terminação submetidos a diferentes programas de luz

DOI: http://dx.doi.org/10.14269/2318-1265.v02n02a05

http://www.jabbnet.com/ 

downloadpdf

Pedro I. S. Amaral1, Rony A. Ferreira1, Aldrin V. Pires2, Leonardo S. Fonseca1, Sicília A. Gonçalves1 & Gustavo H. C. Souza1

 

Resumo: Ferramentas capazes de melhorar a produtividade são essenciais para a competitividade no mercado da carne suinícola. Cada vez mais, o mercado consumidor exige informações sobre as tecnologias aplicadas na produção, principalmente sob a ótica do bem-estar animal. Desse modo, objetivou-se avaliar a influência da iluminação sobre características de desempenho, comportamentais e fisiológicas de suínos em fase de terminação. Para isso, foram utilizados 36 suínos distribuídos em delineamento inteiramente ao acaso em três tratamentos com seis repetições. Os animais foram submetidos a três programas de luz: luz natural (LN), 16 horas de luz e oito horas de escuro (16L:8E) e 23 horas de luz e uma de escuro (23L:1E), durante 28 dias. Foi observado consumo de ração diário (CRD), ganho de peso diário (GPD) e conversão alimentar (CA). Os parâmetros fisiológicos avaliados foram temperatura retal (TR), frequência respiratória (FR) e temperatura superficial (TS). Os padrões comportamentais observados foram: em pé, deitado, comendo, bebendo, fuçando, interagindo, sentado, urinando e defecando. Os programas de iluminação utilizados não influenciaram o desempenho dos animais. Entretanto, os suínos que receberam 23L:1E, apresentaram, no período da tarde, maior TS. O fornecimento de luz suplementar promoveu a elevação da FR, também no período da tarde. A TR não foi influenciada pelos tratamentos. Os programas de iluminação estendida alteraram o comportamento dos animais, que ficaram mais ativos, principalmente durante a noite. De toda forma, não se verificou benefício ou malefício no uso de programas de luz quanto ao desempenho de suínos em terminação.

Palavras-chave: ambiência, comportamento animal, leitões, luz

 

Abstract: Technologies that improve productivity are essentials for competitiveness in the pork market. The consumer market is always requiring information about the technologies applied in swine production, mainly from the perspective of animal welfare. The aim of this study was to evaluate the influence of lighting on performance, behavioral and physiological characteristics in finishing pigs. Thirty-six pigs were distributed in a completely randomized design with three treatments and six replications. The animals were subjected to three light programs: natural light (NL), 16 hours of light and eight hours of dark (16L:8D) and 23 hours of light and one hour of dark (23L:1D) for 28 days. Daily feed intake (DFI), average daily gain (ADG) and feed conversion (FC) were evaluated. The physiological parameters evaluated were rectal temperature (RT), respiratory rate (RR) and surface temperature (ST). The behavioral standards observed were: standing, lying, eating, drinking, sniffing, interacting, sitting, urinating and defecating. The lighting programs did not affect animal performance. However, pigs that received 23L:1D, showed, in the afternoon, ST upper than others treatments. Providing supplemental light promoted the elevation of RR, also in the afternoon. The RT was not influenced by treatments. The extended light program altered the behavior of the animals, which animals were most active, especially at night. Anyway, there was no improvement or reduction of the performance with the use of different lighting programs for finishing pigs.

Key words: animal behavior, environment, light, piglet

 

1 Universidade Federal de Lavras (UFLA). E-mail: pedroivosoamara@ig.com.br
2 Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

 

Literatura Citada

Borges RCM (2012) Cálculo do nascer e pôr do sol. http://www.inf.ufrgs.br/~cabral/Nascer_Por_Sol.html. Acessado em 15 de Novembro de 2013.

Broom DM, Fraser AF (2010) Comportamento e bem-estar de animais domésticos. Manole, Barueri.

Bubenik GA (2002) Gastrointestinal Melatonin: Localization, Function, and Clinical Relevance. Digestive Diseases and Sciences 47:2336-2348. doi

Dalla Costa OA, Ludke JV, Costa MJRP, Pelosso JV, Coldebella A, Triques N (2009) Efeito do jejum na granja e condições de transporte sobre o comportamento dos suínos de abate nas baias de descanso e lesões na pele. Ciência Animal Brasileira 10:48-58.

Ferreira RA (2005) Maior produção com melhor ambiente para aves, suínos e bovinos. Aprenda Fácil, Viçosa.

Furlan AC, Lima JAF, Oliveira AIG, Soares MC, Oliveira BL (1986) Diferentes períodos de iluminação para suínos em crescimento e terminação: experimento 1. Revista da Sociedade Brasileira de Zootecnia 15:372-377.

Guyton AC, Hall JE (1997) Tratado de fisiologia médica. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro.

Hötzel MJ, Souza GP, Machado Filho LCP, Irgang R, Probst R (2007) Estresse e reconhecimento de seres humanos em leitões recém desmamados. Revista Biotemas 4:91-98.

Kiefer C, Moura MS, Silva EA, Santos AP, Silva CM, Luz MF, Nantes CL (2010) Respostas de suínos em terminação mantidos em diferentes ambientes térmicos. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal 11:496-504.

Leal PM, Nããs IA (1992) Ambiência animal. In: Cortez LAB, Magalhães PSG (ed) Introdução à engenharia agrícola. Unicamp, Campinas, pp 121-135.

Leite DMG, Silva MA, Medeiros RB, Saibro JC, Pavan MA, Zanella JA, Barrey MAA (2006) Efeito de diferentes sistemas de pastejo sobre o desempenho de suínos mantidos em pastagem de trevo-branco (Trifolium repens L.). Revista Brasileira de Zootecnia 35:792-796. doi

Maganhin CC, Carbonel AAF, Hatty JH, Fuchs LFP, Oliveira-Júnior IS, Simões MJ, Baracat EC, Soares-Júnior JM (2008) Efeitos da melatonina no sistema genital feminino: breve revisão. Revista Associação Médica Brasileira 54:267-271. doi

Moura MS, Kiefer C, Silva CM, Nantes CL, Silva EA, Martins LP (2011) Níveis de energia líquida e ractopamina para leitoas em terminação sob conforto térmico. Revista Brasileira de Zootecnia 40:1968-1974. doi

Parker MO, O'Connor EA, McLeman MA, Demmers TGM, Lowe JC, Owen RC, Davey EL, Wathes CM, Abeyesinghe SM (2010) The impact of chronic environmental stressors on growing pigs, Sus scrofa (Part 2): social behaviour. Animal 4:1910-1921. doi

Randall D (2002) Eckert animal physiology: mechanisms and adaptations. WH Freeman and Company, New York.

Reinners K, Hessel EF, Sieling S, Van Den Weghe HFA (2010) Influence of photoperiod on the behavior and performance of newly weaned pigs with a focus on time spent at the feeder, feed disappearance, and growth. Journal of Swine Health and Production 18:230-238.

Rocha RMP, Matos MHT, Lima LF, Saraiva MVA, Alves AMCV, Rodrigues APRR, Figueiredo JR, (2011) Melatonina e reprodução animal: implicações na fisiologia ovariana. Acta Veterinaria Brasilica 5:147-157.

Rostagno HS (2005) Tabelas brasileiras para aves e suínos: composição de alimentos e exigências nutricionais. UFV, Viçosa.

Souza Júnior VR, Abreu PG, Coldebella A, Lopes LS, Lima GJMM, Sabino LA (2011) Iluminação artificial no desempenho de leitões em fase de creche. Acta Scientiarum Animal Sciences 33:403-408.

Statistical Analysis System – SAS (2003) SAS users guide: Statistics, Version 8. SAS Institute, Cary.

Tanida H, Miura A, Tanaka T, Yoshimoto T (1996) Behavioral responses of piglets to darkness and shadows. Applied Animal Behaviour Science 49:173-183. doi

Taylor N, Prescott N, Perry G, Potter M, Le Sueur C, Wathes C (2005) Preference of growing pigs for illuminance. Applied Animal Behaviour Science 49:19-31.