Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Predição da Deformação Residual Longitudinal por Meio de Propriedades Dendrométricas e Físicas de Acácia Negra

DOI: http://dx.doi.org/10.12953/2177-6830.v05n01a05

http://www.ufpel.tche.br/revistas/index.php/cienciadamadeira/index 

downloadpdf

Rafael de A. Delucis1, André L. Missio2, Rafael Beltrame3 & Darci A. Gatto3

 

Resumo: O presente trabalho visou analisar as tensões de crescimento da madeira de acácia negra (Acacia mearnsii De Wild) com vistas a relaciona-las com propriedades dendrométricas das árvores e físicas da madeira. Para isso, foram selecionadas 30 árvores de sete anos de idade no município de Piratini, Estado do Rio Grande do Sul. Foi avaliada a deformação residual longitudinal (DRL) utilizando-se extensômetro (CIRAD- Forêt), em quatro posições de leitura, além das propriedades dendrométricas das árvores: diâmetro à altura do peito (DAP; 1,3 m), altura comercial (H), espessura de casca (EP) e propriedades físicas da madeira: massa específica básica e aparente à 12% (ρ e ρ12%), coeficientes de retratibilidade (radial, Qr; tangencial, Qt), coeficientes de inchamento (radial, αr; tangencial, αt; volumétrico, αv) e coeficiente de anisotropia (A). A DRL encontrada para a madeira de acácia negra apresentou níveis menores aos encontrados na literatura para madeira do gênero Eucalyptus, indicando uma menor probabilidade de incidência de defeitos oriundos dessas tensões. Os valores médios de DRL denotaram uma variabilidade significativa entre as posições de leitura e apresentaram melhores correlações com os coeficientes de inchamento. Para a predição da DRL, destacaram-se as variáveis DAP, EP, αr, αt e αv pela exatidão dos modelos matemáticos obtidos utilizando esses parâmetros como variáveis independentes.

Palavras-chave: qualidade da madeira, tensões de crescimento, CIRAD-Forêt, estabilidade dimensional

 

Abstract: This study aimed to analyse the growth stress of black wattle (Acacia mearnsii De Wild) to aimed dendrometrics properties of trees and physical properties wood. For this, 30 trees (seven years old) were selected in Piratini, state of Rio Grande do Sul. Longitudinal residual strain (DRL) was evaluated using an extensometer (CIRAD- Forêt) in four reading positions; dendrometric properties: diameter at breast height (DAP; 1.3 m), commercial height (H), bark thickness (EP) and physical properties: basic and apparent specific gravity at 12% (ρ andρ12%), coefficient of retratibility (radial, Qr; tangential, Qt), swelling coefficient ((radial, αr; tangential, αt; volumetric, αv) and anisotropic coefficient (A) were measured. The value of DRL found for black wattle wood showed lower level than those found in the literature for wood from Eucalyptus genus. Thus, black wattle wood could be indicated for the production of solid products as a function of its probability to originated defects from the growth stress. DRL and swelling coefficients were the best correlations found. The variables DAP, EP, αr, αt and αv showed high importance in the prediction of DRL due to the accuracy of mathematic models obtained using these parameters as independent variables.

Key words: wood quality, growth stress, CIRAD-Forêt, dimensional stability

 

1 Engenheiro Industrial Madeireiro, Mestrando em Ciência e Engenharia de Materiais, Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Pelotas, Brasil. r.delucis@hotmail.com
2 Engenheiro Industrial Madeireiro, Doutorando em Engenharia Florestal, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, Brasil. andreluizmissio@gmail.com
3 Engenheiro Florestal, Professor adjunto do Centro de Engenharias (CENG), Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). beltrame.rafael@yahoo.com.br, darcigatto@yahoo.com

 

Literatura Citada

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRODUTORES DE FLORESTAS PLANTADAS (ABRAF). Anuário estatístico da ABRAF 2013, ano base 2012. Brasília: ABRAF, 2013. 148p.

BELTRAME, R. BISOGNIN, D. A.; MATTOS, B. D.; CARGNELUTTI FILHO, A.; HASELEIN, C. R.; GATTO; D. A.; SANTOS, G. A. Desempenho silvicultural e seleção precoce de clones de híbridos de eucalipto. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.47, n.6, p. 791-796, 2012a. doi

BELTRAME, R.; LAZAROTTO, M.; HASELEIN, C. R.; SANTINI, E. J.; SCHNEIDER, P. R.; AGUIAR, A. M. Determinação das deformações residuais longitudinais decorrentes das tensões de crescimento em Eucalyptus spp. Ciência Florestal, v.22, n.2, p. 343-351, 2012b. doi

BELTRAME, R.; MATTOS, B. D.; HASELEIN, C. R.; SANTINI, E. J.; GATTO, D. A.; CADEMARTORI, P. H. G.; PEDRAZZI, C. Evaluation of longitudinal residual strain of Eucalyptus saligna Smith. wood. Scientia Florestalis, v.41, n.97, p. 095-101, 2013.

CARVALHO, A. M.; GONÇALVES, M. P. M.; AMPARADO, K. F.; LATORRACA, J. V. F.; GARCIA, R. A. Correlações da altura e diâmetro com as tensões de crescimento em árvores de Corymbia citriodora e Eucalyptus urophylla. Árvore, v.34, n.2, p. 323-331, 2010.

CROUS, C. J.; JACOBS, S. M.; ESLER, K. J. Wood anatomical traits as a measure of plant responses to water availability: invasive Acacia mearnsii De Wild. compared with native tree species in fynbos riparian ecotones, South Africa. Trees, v.26, n.5, p. 1527-1536, 2012. doi

ELOY, E.; CARON, B. O.; TREVISAN, R.; BEHLING, A.; SOUZA, V. Q.; SCHMIDT, D. Variação axial e efeito do espaçamento na massa específica da madeira de Eucalyptus grandis e Acacia mearnsii. Ciência da Madeira, v.4, n.2, p. 215-227, 2013. doi

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Zoneamento ecológico para plantios florestais no Estado do Paraná. Curitiba: EMBRAPA – CNPF, 1986. 89p. (EMBRAPA – CNPF. Documentos, n. 17).

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Zoneamento ecológico para plantios florestais no Estado de Santa Catarina. Curitiba: EMBRAPA – CNPF, 1988. 113p. (EMBRAPA – CNPF. Documentos, n. 21).

FANG, C. H.; CLAIR, B.; GRIL, J.; ALMÉRAS, T. Transverse shrinkage in G-fibers as a function of cellwall layering and growth strain. Wood Science and Technology, v.41, n.8, p. 659–671, 2008. doi

GARCIA, J. N. Estudos de tensão em árvores e de deformação em peças de madeira serrada. 1992. 243f. Tese (Doutorado em Engenharia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1992.

INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS (IPT). Madeira: o que é e como pode ser processada e utilizada. Boletim ABPN, n.36, p. 1-189, 1985.

KUBLER, H. Growth stresses in trees and related wood properties. Forest Produts Abstracts, v.10, n.3 p. 61-119, 1987.

LIMA, J. T.; TRUGILHO, P. F.; ROSADO S. C. DA S.; CRUZ, C. R. Deformações residuais longitudinais decorrentes de tensões de crescimento em Eucaliptos e suas associações com outras propriedades. Revista Árvore, v.28, n.1, p. 107-116, 2004. doi

LISBOA, C. D. J. Estudo das tensões de crescimento em toras de Eucalyptus grandis Hill ex. Maiden. 1993. 298f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1993.

MALAN, F. S.; HOON, M. Effect of initial spacing and thinning on some wood properties of Eucalyptus grandis. South African Forestry Journal, Pretoria, n.163, n.1, p. 13-20. 1992.

MUNERI, A.; LEGATE, W.; PALMER, G. Relationships between surface growth strain and some tree wood and sawn timber characteristics of Eucalyptus cloeziana. Southern African Forestry Journal, v.187, n.1, p. 41-49, 1999. doi

MUNERI, A.; KNIGHT, J.; LEGGATE , W.; PALMER, G. Relationships between surface longitudinal growth strain and tree size, wood properties and timber distortion of 4 year old plantation grown Eucalyptus cloeziana. In: IUFRO CONFERENCE -THE FUTURE OF EUCALYPTS FOR WOOD PRODUCTS, 2000, Launceston. 2000. IUFRO Anais... Launceston: 2000. p.292-300.

NOCK, H. P: RICHTER, H. G.; BURGER, L. M. Tecnologia da madeira. Curitiba: Departamento de Engenharia e Tecnologia Rurais, Universidade Federal do Paraná, 1975. 216p.

OPIE, J. E.; CURTIN, R. A.; INCOLL, W. D. Stand management. In: HILLS, W. E.; BROWN, A. G. (Ed.). Eucaliptus for wood production. Melbourne: CSIRO, 1984. 434p.

PÁDUA, F. A.; TRUGILHO, P. F.; ROSADO, S. C. S.; LIMA, J. T.; CARDOSO JR, A. A.; OLIVEIRA, A. C. Estimativas de parâmetros genéticos das tensões de crescimento em clones de Eucalyptus. Scientia Forestalis, v.32, n.66, p. 152-160, 2004.

SOUZA, M. A. M.de. Metodologias não destrutivas para avaliação das tensões de crescimento em Eucalyptus dunnii Maiden. 2006. 80f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2006.

TRUGILHO, P. F.; IWAKIRI, S.; ROCHA, M. P.; MATOS, J. L. M.; SALDANHA, L. K. Efeitos da idade e classe diamétrica na deformação residual longitudinal em árvores de Eucalyptus dunnii maiden. Árvore, v.28, n.5, p. 725-731, 2004a.

TRUGILHO, P. F.; SOUZA, M. A. M.; LIMA, J. T.; ROSADO, S. C. S.; MENDES, L. M.; MORI, F. A.; SILVA, J. R. M. Deformação residual longitudinal e propriedades da madeira em clones de Eucalyptus. In: ENCONTRO BRASILEIRO EM MADEIRAS E EMESTRUTURAS DE MADEIRA, 9, 2004, Cuiabá. Anais... Cuiabá: EBRAMEN, 2004b, 12p.

TRUGILHO, P. F. Tensão de crescimento em árvores vivas de clones de Eucalyptus spp. e de Eucalyptus dunnii Maiden e propriedades de sua madeira. 2005. 123f. Tese (Pós Doutorado em Ciências Florestais) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

TRUGILHO, P. F.; ROSADO, S. C. S.; LIMA, J. T.; PÁDUA, F. A.; SOUZA, M. A. M. Deformação residual longitudinal (DRL) e sua relação com as características de crescimento da árvore em clones de Eucalyptus. Cerne, v.13, n.2, p. 130-137, 2007.

VALENCIA, J.; HARWOOD, C.; WASHUSEN, R.; MORROW, A.; WOOD, M.; VOLKER, P. Longitudinal growth strain as a log and wood quality predictor for plantation-grown Eucalyptus nitens sawlogs.Wood Science and Technology, v.45, n.1, p. 15–34, 2011. doi

WILKINS, A. P. Nature and origin of growth stress in trees. Australian Forestry, Canberra, v.49, n.1, p. 56-62, 1986. doi

YANG, J. L. The impact of log-end splits and spring on sawn recovery of 32-year-oldplantation Eucalyptus globulus Labill. Holz Roh-Werkst, v.63, n.6, p. 442–448, 2005. doi