Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Mídia e a Fabricação do “Bom” Sujeito

DOI: http://dx.doi.org/10.15529/1980-6914/letras.v16n1p116-124

http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tl/index 

downloadpdf

Fabio E. V. Tfouni1 & Leda V. Tfouni2

 

Resumo: O presente trabalho pretende abordar a fabricação da subjetividade pelo discurso midiático através da análise de capas de uma revista nacional de grande circulação: Você s/a. Pretendemos mostrar que o discurso dessas capas procura modelar o eu (ego) do sujeito‑leitor através do assujeitamento desse leitor às suas ordens discursivas, que se apresentam como tendo as soluções para sua vida profissional. Argumentaremos que, metaforicamente, tal discurso se aproxima do discurso pedagógico, pois pretende ensinar o sujeito a viver e obter sucesso, comportando‑se como o “bom” sujeito desejado pela sociedade de consumo.

Palavras-chave: Discurso pedagógico. Sujeito. Mídia

 

Abstract: This work aims to discuss the subject´s fabrication by the media discourse analyzing magazine covers of Você s/a. We intend to show how these covers model the subject´s ego by submitting it to discursive orders, which present themselves as the solution for the subject´s professional life. We also argue that this discourse can be metaphorically seen as a pedagogical discourse, because it intends to teach the subject how to live and to obtain success in its life, behaving like what consumer´s society would consider as a “good” subject.

Key words: Pedagogical discourse. Subject. Media

 

1 Professor adjunto do Departamento de Letras da Universidade Federal de Sergipe – Itabaiana – SE – Brasil. E-mail: fabiotfouni@hotmail.com
2 Professora titular sênior na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FFCLRP‑USP) – Ribeirão Preto – SP – Brasil. Pesquisadora do CNPq. E-mail: lvtfouni@usp.br

 

Literatura Citada

ALTHUSSER, L. Ideologia e aparelhos ideológicos de Estado. 8. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2001.

ALTHUSSER, L. Sobre a reprodução. Rio de Janeiro: Vozes, 2008.

ANSCOMBRE, J‑C.; DUCROT, O. L’argumentation dans la langue. Paris: Mardaga, 1997.

ASSOLINI, F. E. P.; TFOUNI, L. V. Letramento e trabalho pedagógico. Revista Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa (USP), v. 3, p. 36‑52, 2006.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

BAUMAN, Z. Vida líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

CORREA DA SILVA, I. D. “Passe na UFRGS”: entre discursos que circulam e subjetivam sujeitos jovens. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPEd, 36., 2013, Goiânia. Anais... Goiânia: Associação Nacional de Pos‑Graduacao em Educação, 2013.

FISCHER, R. M. B. O dispositivo pedagógico da mídia: modos de educar na (e pela) TV. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 151‑162, jan./jun. 2002.

FORBES, J. Psicanálise do homem desbussolado. Revista Psique, n. 53, 2010. Disponível em: <http://www.jorgeforbes.com.br/br/artigos/psicanalise‑do‑homem‑desbussolado‑artigo‑psique.html>. Acesso em: 15 out. 2013.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Aula inaugural no College de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Rio de Janeiro: Vozes, 2013.

GREGOLIN, M. R. Análise do discurso e mídia: a (re)produção de identidades. Mídia, comunicação e consumo, São Paulo, v. 4, n. 11, p. 11‑25, nov. 2007.

HAROCHE, C. Fazer dizer, querer dizer. São Paulo: Hucitec, 1992.

INDURSKY, F. A função enunciativa do porta‑voz no discurso político sobre o MST. Alea, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 17‑26, 2000.

LACAN, J. O seminário Livro XI: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1990.

LACAN, J. O estádio do espelho como formador da função do eu. In: LACAN, J. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998. p. 96‑103.

MELLO, L. M. H. de. Campanhas publicitárias “vendendo saúde”: discurso “científico” e consumo construindo modelos de visa saudável. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

ORLANDI, E. P. O discurso pedagógico: a circularidade. In: ORLANDI, E. P. A linguagem e seu funcionamento. Campinas: Pontes, 1996. p. 15‑23.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

PÊCHEUX, M.; FUCHS, C. A propósito da análise automática do discurso: atualização e perspectivas. In: GADET, F.; HAK, T. (Org.). Por uma análise automática do discurso – uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 2. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1993. p. 163‑252.

TFOUNI, L. V.; CARREIRA A. F. O sujeito submetido à linguagem. Revista Investigações, v. 20, n. 2, p. 153‑171, jul. 2007.