Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Mapa: Registros da Poética Urbana de Mario Quintana

DOI: http://dx.doi.org/10.15529/1980-6914/letras.v16n1p190-199

http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tl/index 

downloadpdf

Mônica L. S. Fernandes1

 

Resumo: Esta proposta, desenvolvida com apoio da Fundação Araucária/PR, tem como foco o estudo das representações espaciais da cidade de Porto Alegre, encontradas na obra de Mario Quintana. Seus poemas trazem o espaço como um lugar de muitos significados, uma vez que é perpassado pela vivência e pelo registro poético de seus costumes, preferências, rotinas e trajetos na capital gaúcha. Amparam a pesquisa os estudos voltados a questões entre a literatura e o espaço como os de Bachelard (1993), Haesbaert (1997), Corrêa e Rosendahl (2007), Carlos (2001) e Santos (1978, 1985).

Palavras-chave: Literatura. Poesia. Espaço

 

Abstract: The focus of this proposal is the study of the spatial representations of Porto Alegre that can be found in the work of Mario Quintana. His poems bring space as a place of plural meanings, once it is pervaded by his experience and by the poetic record of his customs, preferences, routines and paths in the city. The research is supported by studies on issues between literature and space, such as Bachelard (1993), Haesbaert (1997), Corrêa and Rosendahl (2007), Carlos (2001) and Santos (1978, 1985).

Key words: Literature. Poetry. Space

 

1 Professora adjunta no Departamento de Letras da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) – Curitiba – PR – Brasil. E mail: msociofernandes@gmail.com

 

Literatura Citada

BACHELARD, G. A poética do espaço. Tradução Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

BAILLY, A. Les représentations en geógraphie. In: BAILLY, A.; FERRAS, R.; PUMAIN, D. (Org.). Encyclopédie de Geógraphie. Paris: Economica, 1991. p. 369-381.

CANTON, K. Espaço e lugar. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

CARLOS, A. F. A. Espaço tempo na metrópole: a fragmentação da vida cotidiana. São Paulo: Contexto, 2001.

COMPAGNON. A. Literatura para quê? Tradução Laura Taddei Brandini. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

CORRÊA, R. L.; ROSENDAHL, Z. (Org.). Literatura, música e espaço. Rio de Janeiro: EdUerj, 2007.

COSGROVE, D. Introduction: mapping meanings. In: COSGROVE, D. (Org.). Mappings. London: Reaktion Books, 1999. p. 1-23.

HAESBAERT, R. Território, poesia e identidade. Revista Espaço e Cultura, Rio de Janeiro, n. 3, p. 20-32, 1997.

MOISÉS, M. A criação literária: poesia. 12. ed. São Paulo: Cultrix, 1993.

MORGAN, C. A magia dos mapas. Seleções do Readers Digest, Lisboa, t. 37, n. 222, p. 89-91, dez. 1989.

PAZ, O. O arco e a lira. Tradução Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

PROUST, M. Em busca do tempo perdido. Tradução Fernando Py. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002.

QUINTANA, M. Apontamentos de história sobrenatural. 6. ed. São Paulo: Globo, 1998.

SANTOS, M. Por uma Geografia Nova. São Paulo: Hucitec, Edusp, 1978.

SANTOS, M. Espaço e método. São Paulo: Nobel, 1985.

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Edusp, 2008.

SEVCENKO, N. Literatura como missão. Tensões sociais e criação cultural na Primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1983.

TISSIER, J. L. Géographie et littérature. In: BAILLY, A.; FERRAS, R.; PUMAIN, D. (Org.). Encyclopédie de Géographie. Paris: Economica, 1991. p. 235-255.