Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Construção do Conhecimento em Análise de Estruturas de Edifícios

DOI: http://dx.doi.org/10.15552/2236-0158/abenge.v24n1p23-32

http://www.abenge.org.br/revista/index.php/abenge/index 

downloadpdf

Ronald J. Ellwanger1

 

Resumo: A atividade de projeto estrutural de edifícios conta hoje em dia com importantes ferramentas, que são os sofisticados softwares de análise de estruturas. Constata-se, todavia, que muitos engenheiros civis têm usados esses softwares de uma forma pouco eficiente, por ter faltado em sua formação o desenvolvimento de uma compreensão intuitiva do comportamento destas estruturas. Este artigo tem por objetivo propor uma alternativa para suprir esta falta. São, inicialmente, apresentados os sucessivos estágios da construção do conhecimento prévio necessário à abordagem das estruturas de edifícios. Em seguida, mostra-se um método de análise dessas estruturas, que consiste em dividi-las em subestruturas planas e determinar a interação entre as mesmas de uma forma simplificada. É estabelecido um roteiro de cálculo, apresenta-se um exemplo e são tiradas algumas conclusões.

Palavras-chave: ensino de engenharia, análise estrutural, estruturas de edifícios

 

Abstract: The buildings design of structural activity counts nowadays improved softwares for structure analysis as an important tool. However, it has been verified that many civil engineers have used these softwares in a little efficient way. This is due to the lade of development of an intuitive understanding about these structures behaviour during the course of their studies. The purpose of this paper is to offer a way to fill this lack. First, the constitution of previous knowledge, essential to building structures approach, is presented in its successive phases. Following, a method for analysis of these structures is presented; it consists in dividing them into plane substrucutures and determining the interaction among themselves in a simplified way. A computational scheme is established, an example is presented and some conclusions are drawn out.

Key words: engineering education, structural analysis, building structures

 

1 Professor, Doutor, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia Civil. Av. Osvaldo Aranha 99, sala 308d, Porto Alegre, RS, 90035-190. Fone (51) 33163587. E-mail: rjellwanger@pop.com.br

 

Literatura Citada

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, Rio de Janeiro. Forças devidas ao vento em edificações (NBR-6123/1987).

BIANCHI, A. J. A subestruturação aplicada ao projeto de estruturas de edifícios altos. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - UFRGS, Porto Alegre, 1996.

CAMPANARI, F. A. Teoria das estruturas. Rio de Janeiro: Guanabara Dois, 1985. v. 1.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, Resolução CNE/CES 11/02. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia. Diário Oficial da União, seção 1, p. 32, 9 abr. 2002.

COSTA, L. A. C. A avaliação da aprendizagem no ensino de estruturas: epistemologia, tecnologia e educação à distância. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) - UFRGS, Porto Alegre, 2004.

ELLWANGER, R. J. Substructuring applied to the analysis of tall building structures. In: Multipurpose high-rise towers and yall buildings. London: E&FN Spon, 1997.

MASUERO, J. R.; CREUS, G. J. Introdução à mecânica estrutural. Porto Alegre: Ed. da Universidade, 1997.

OLIVEIRA, F. L. A.; ELLWANGER, R. J. A influência das lajes no comportamento estrutural de edifícios altos. Revista Portuguesa de Engenharia de Estruturas. Lisboa: Laboratório Nacional de Engenharia Civil, n. 47, p. 35-44, mar. 2000.

SCHUELER, W. High-rise building structures. New York: John Wiley & Sons, 1977.

SÜSSEKIND, J. C. Curso de análise estrutural. (Deformações em estruturas. Método das forças). Rio de Janeiro: Globo, 1973. v. 2.

_______. Curso de análise estrutural. (Método das deformações. Processo de cross). Porto Alegre: Globo, 1977. v. 3.

_______. Curso de concreto. Porto Alegre: Globo, 1984. v. 2.