Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Conhecimento sobre Patentes na Educação em Engenharia: Uma Experiência Metodológica

DOI: http://dx.doi.org/10.15552/2236-0158/abenge.v25n2p27-35

http://www.abenge.org.br/revista/index.php/abenge/index 

downloadpdf

Cristina G. de Souza1, Ignez M. F. Sarmento2, Ricardo A. A. de Aguiar3 & Leydervan de S. Xavier4

 

Resumo: Engenharia é a área de conhecimento responsável por grande parte da inovação e desenvolvimento tecnológico de um país. A propriedade intelectual é um mecanismo criado para proteger o conhecimento, sendo capaz de proporcionar vantagens competitivas e retorno econômico. Através de um documento de patente também é possível obter informações tecnológicas que permitem identificar o estado da técnica e tendências tecnológicas, sendo considerado importante instrumento de inteligência competitiva. Embora outros países incentivem a cultura da propriedade intelectual desde a educação fundamental, no Brasil muitas vezes esse tema não é abordado nem mesmo na educação superior. Só recentemente, com a criação de Núcleos de Propriedade Intelectual em algumas universidades, é que se observam ações de disseminação procurando conscientizar os pesquisadores quanto à necessidade e à importância da proteção do conhecimento. O objetivo do artigo é apresentar a inserção do tema propriedade intelectual na metodologia adotada na disciplina Desenho de Máquinas do curso de Engenharia Industrial Mecânica do Cefet/RJ, onde os alunos desenvolvem projetos de máquinas por eles concebidas, tendo de realizar uma busca no banco de patentes do Instituto Nacional de Propriedade Industrial.

Palavras-chave: patentes, educação em engenharia, metodologia de ensino

 

Abstract: Engineering is responsible for great part of the innovation and technological development of any country. Intellectual Property is a mechanism that protects the knowledge. It is capable to provide competitive advantages and economical return. Through a patent document it is also possible to obtain technological information that allows to identify the state of the technique and technological tendencies being considered important instrument of competitive intelligence. Although other countries promote the culture of the intellectual property since the fundamental education, in Brazil, this issue is hardly ever approached not even in higher education. Only recently, after the creation of Intellectual Property Centres in some universities, is that actions are taken trying to draw the attention of the researchers to the need and importance of the knowledge protection. The objective of this paper is to present the inclusion of the theme Intellectual Property in the methodology used in the discipline of Drawing of Machines of the Engineering Industrial Mechanics course of Cefet/RJ. In this subject students develop a project of machines which were conceived by themselves and accomplish a survey in the patents database of the Brazilian National Institute of Industrial Property-INPI.

Key words: patents, engineering education, teaching methodology

 

1 Professor Adjunto, D.Sc., CEFET/RJ, Departamento de Engenharia de Produção. Av. Maracanã, 229 - 20.271-110 - Rio de Janeiro - RJ, Tel/Fax (21) 25694495. E-mail: cgsouza@cefet-rj.br
2 Engenheira Mecânica, mestranda do Programa em Tecnologia do CEFET/RJ, INPI. Praça Mauá, 07, Rio de Janeiro - RJ. E-mail: ignez@inpi.gov.br
3 Professor Adjunto, M.C., CEFET/RJ, Departamento de Disciplinas Básicas e Gerais, Av. Maracanã, 229 - 20.271-110, Rio de Janeiro - RJ, Tel/Fax (21) 25681548. E-mail: raaguiar@cefet-rj.br
4 Coordenador do Mestrado em Tecnologia, D. C., CEFET/RJ. Av. Maracanã, 229 - 20.271-110 - Rio de Janeiro - RJ. Tel/Fax (21) 25694495. E-mail: lsx@cefet-rj.br

 

Literatura Citada

ALBUQUERQUE, E. M. Patentes e atividades inovativas: uma avaliação preliminar do caso brasileiro. In: BAUMGARTZ, V.; MACEDO, M. M. (Org.). Indicadores de ciência, tecnologia e inovação no Brasil. Campinas: Unicamp, 2003. p. 329-376.

ASSUMPÇÃO, E. Universidades brasileiras e patentes. Rio de Janeiro: INPI, 2000.

BRASIL. Ministério de Ciência e Tecnologia. Indicadores de ciência e tecnologia. Disponível em: <http://www.mct.gov.br>. Acesso em: 25 maio 2005.

CASTELLS, P. E.; BOSCH, R. M. La vigilância tecnológica, requisito imprescindible para la innovación. El arte de innovar en la empresa. Barcelona: Ediciones Del Bronce, 2001. v. 7, p. 97-132.

CONDE, M. V. F.; ARAUJO-JORGE, T. C. Modelos e concepção de inovação: a transição de paradigmas, a reforma da C&T brasileira e as concepções de gestores de uma instituição pública de pesquisa em saúde. Cienc. Saúde Coletiva, v. 8, n. 3, p. 727-741, 2003. doi

CRUZ, C. H. de B. A universidade, a empresa e a pesquisa de que o país precisa. Parcerias Estratégicas, Brasília: MCT, n. 8, p. 5-30, 2000.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Patentes. Disponível em: <http://www.inpi.gov.br>. Acesso em: maio 2006.

JANUZZI, A. H. L. et al. Recuperação da informação tecnológica: a questão do indexador na classificação internacional de patentes. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, XXV, 2002. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: ABEPRO, 2005. 1 CD.

LONGO, W. P. Educação tecnológica no mundo globalizado. Rio de Janeiro, 2000.

MARCUZZO, O. Brasil precisa transformar conhecimento em inovação tecnológica. Boletim Semesp, São Paulo: Semesp, 2003.

MUGNAINI, R.; JANNUZZI, P.; QUONIAM, L. Indicadores bibliométricos da produção científica brasileira: uma análise a partir da base Pascal. Ci Inf., Brasília, v. 33, n. 2, p. 123-131, maio/ago. 2004.

PÓVOA, L. M. C. Depósito de patentes de universidades brasileiras (1979-2004). Disponível em: <http://www.cedeplar.ufmg.br>. Acesso em: nov. 2006.

RIVETTE, K. G.; KLINE, D. Discovering New Value in Intellectual Property. Harvard Business Review, 2000.

SCHOLZE, S. Regulamentação da proteção e transferência de tecnologia. In: ENCONTRO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL E COMERCIALIZAÇÃO DE TECNOLOGIA, III. Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro, 2000. Anais..., p. 55-62.

SOUZA, C. G. de. Avaliação da competitividade industrial com base em modelo de hierarquia Fuzzy: uma proposta metodológica. Rio de Janeiro: Coppe-UFRJ, 2001.

TERRA, B. A transferência de tecnologia em universidades empreendedoras: um caminho para a inovação tecnológica. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

TIGRE, P. B. O papel da política tecnológica na promoção das exportações. 2002. Disponível em: <http://www.bndes.gov.br>. Acesso em: nov. 2006.

PORTER, M. E. What is strategy? Harvard Business Review, v. 96, n. 6, p. 61-78, 1996.

THEOTONIO, S. B. et al. A indústria de embalagens plásticas do estado do Rio de Janeiro sob o enfoque da transferência de tecnologia. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, XXII, 2002. Curitiba. Anais... Porto Alegre: ABEPRO, 2002. 1 CD.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Propriedade intelectual. Disponível em: <http://www.ufmg.br>. Acesso em: nov. 2006.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. Notícias em C&T. Jornal da Propriedade Intelectual, ano 1. 12. ed. 2 out. 2006. Disponível em: <http://www.nit.ufba.br>. Acesso em: nov. 2006.