Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

A Transversalidade como Princípio Pedagógico no Ensino Superior de Engenharia: O ProGAmAR da Engenharia Ambiental da Unesp – Campus de Rio Claro

DOI: http://dx.doi.org/10.15552/2236-0158/abenge.v29n1p20-28

http://www.abenge.org.br/revista/index.php/abenge/index 

downloadpdf

Andréa B. Moruzzi1 & Rodrigo B. Moruzzi2

 

Resumo: O artigo tece considerações a respeito da transversalidade aplicada ao ensino de engenharia ambiental. Parte-se do pressuposto de que a complexidade dos temas ambientais não pode ser resolvida e exemplificada por métodos e técnicas estanques, tampouco pela somatória destes. Assim, acreditasse que o ensino de engenharia ambiental deve compreender a universalidade que responde aos problemas relacionados a esta temática. Para fundamentação teórica do princípio da transversalidade articularam-se conhecimentos da ciência educação, com interesses de uma proposta multidimensional da engenharia ambiental da Unesp – Campus de Rio Claro - SP. Tomaram-se como referência a concepção e implantação de um projeto em andamento intitulado: “Programa de Gestão Ambiental de Águas e Resíduos (ProGAmAR)”, cujo objetivo precípuo foi vincular problemáticas cotidianas da temática ambiental com os conteúdos programáticos de disciplinas específicas da graduação. No que tange ao princípio da transversalidade, percebeu-se o quanto pode nortear o ensino de engenharia ambiental para uma formação integrada, necessária para responder às questões dessa área multidisciplinar do conhecimento. Por se tratar de um projeto em andamento, as considerações a respeito dos seus resultados finais demandam reflexões posteriores a serem discutidas futuramente.

Palavras-chave: educação e transversalidade, engenharia ambiental, metodologia do ensino de engenharia

 

Abstract: This paper discusses about transversal practices to Environmental Engineering education. It starts from the hypothesis that the environmental complexity themes cannot be solved and exemplified neither by simple methods and techniques nor by its sum. So, the environmental engineering education must consider the universality that contains the problems regarding this theme. Multidimensional proposals together with education knowledge were fundamental for theoretical basis. The conception and implantation of the on going project entitled “ProGAmAR” was got as a reference to discuss transversal principles. The main project aim was to join quotidian practices and environmental themes to the course subjects. Regarding transversality principles, it was possible to realize how much such principles can bring directions to Environmental Engineering education seeking an integrated conception that is a necessary condition to answer the multidimensional issues. As ProGAmAR is an on going project, the considerations demand future reflections.

Key words: education and transversal themes, the complexity model, environmental engineering, engineering education method

 

1 Professora Assistente, mestrado em Fundamentos da Educação, docente nos cursos de Pedagogia e Licenciaturas da Universidade Federal de São Carlos – USFCar - SP. Via Washington Luís, Km 235, Cx. Postal 676, CEP 13565-905, São Carlos - SP. Fone (16) 33518671, Fax (16) 33612081. E-mail: deamoruzzi@yahoo.com.br
2 Professor Assistente Doutor, doutorado em Engenharia Civil, docente no curso de Engenharia Ambiental da Unesp - Rio Claro. Rua 10, 2527, Santana, Cx. Postal 178, CEP 13500-230, Rio Claro - SP. Fone (19) 35262241, ramais 213 e 214, Fax (19) 35268252. E-mail: rmoruzzi@rc.unesp.br

 

Literatura Citada

ALVES, N.; GARCIA, R. L. (Org.). O sentido da escola. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

CANDAU, V. M. F. A formação de educadores: uma perspectiva multidimensional. Em Aberto, v. 1, n. 8, p. 19-30, 1982.

CANDAU, V. M. F. Da didática fundamental ao fundamental da didática. In: Alternativas no ensino de didática. 8. ed. Campinas: Papirus, 2006. p. 71-95.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Trad. de Aurélio Guerra Neto e Celia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995. v. 1.

FREIRE, P. Considerações em torno do ato de estudar. In: FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1969.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

GALLO, Sílvio. Transversalidade e educação: pensando uma educação não-disciplinar. In: GUATTARI, Felix. As três ecologias. Campinas: Papirus, 1990.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. Secretaria de Educação Superior (Sesu): cadastro das instituições de educação superior... Ministério da Educação. Brasília. Disponível em: <http://www.educacaosuperior.inep.gov.br/curso.stm>. Acesso em: 26 ago. 2009.

MATTOS, Luiz Alves de. Sumário de didática geral. Rio de Janeiro: Aurora, 1968.

MORIN, E. Articular os saberes. In: ALVES, Nilda; GARCIA, Regina Leite (Org.). O sentido da escola. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

OLIVEIRA, M. R. N. S.; ANDRÉ, M. E. D. A. Alternativas do ensino de didática. Campinas: Papirus, 1997.