Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

O Ensino da Eficiência Energética em Cursos de Engenharia Civil

DOI: http://dx.doi.org/10.15552/2236-0158/abenge.v32n1p57-64

http://www.abenge.org.br/revista/index.php/abenge/index 

downloadpdf

Luiza D. Cesar1 & Léa C. L. de Souza2

 

Resumo: Este estudo tem por objetivo a construção de um instrumento para avaliar e inserir a eficiência energética em disciplinas de cursos de Engenharia Civil. O instrumento foi confeccionado a partir dos critérios adotados pelas certificações da construção sustentável no Brasil: Alta Qualidade Ambiental, Etiquetagem de Eficiência Energética de Edificações e Selo Casa Azul CAIXA. Foi realizada uma investigação da situação dos cursos de Engenharia Civil, por meio de informações coletadas na revisão das ementas ou conteúdos programáticos de disciplinas. Essa investigação incluiu a organização curricular estabelecida pela Resolução CNE/CES N. 11, que instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Engenharia. Os resultados revelam que há dificuldade de separação dos conteúdos das disciplinas quanto aos núcleos de conteúdos, podendo ser essa a razão para a carga horária média do núcleo de conteúdos básicos e profissionalizantes, nas periodicidades semestral e anual, ser maior do que a exigência das Diretrizes Curriculares Nacionais. Para o núcleo de conteúdos específicos, no entanto, foi observado o contrário, nas duas periodicidades. Nesse caso, verificou-se dificuldade de separação de conteúdos em conformidade com o núcleo de conteúdos, e ainda o não aproveitamento, pelos cursos de Engenharia Civil, da possibilidade de flexibilização curricular permitida pelas referidas Diretrizes. O número reduzido de disciplinas que contemplam a eficiência energética remete a um indicativo de que as instituições de ensino não estão aproveitando a possibilidade de introdução de temas atuais importantes na formação do engenheiro, como é o caso da eficiência energética.

Palavras-chave: educação em engenharia, engenharia sustentável, poluição ambiental

 

Abstract: This study aims to build a tool for evaluating energy efficiency and insert it in disciplines of Civil Engineering courses. The instrument was constructed by applying the criteria for certification of sustainable construction in Brazil: High Environmental Quality, Energy Efficiency Labeling of Buildings and the CAIXA’S Blue House Label. An investigation of the status in the Civil Engineering courses was performed, based on information gathered from, either syllabuses, or programmatic content of the disciplines. This investigation included the curriculum established by the Resolution CNE/CES N. 11, which points out the National Curriculum Guidelines of an undergraduate degree in engineering. The results show that it is difficult to separate the content of the subjects according to the core content. This situation may be the reason for the average workload of the core of basic and professional contents, in both biannual and annual periodicities courses, be larger than the requirements of the Guidelines National Curriculum. On the other hand, for the specific content core, it was observed the opposite, in both periodicities. In this case there was difficulty in separating the content according to the core content. In addition, the courses of Civil Engineering still do not use the possibility of curricular flexibility allowed by these Guidelines. The reduced number of disciplines that include energy efficiency indicated that the educational institutions are not taking advantage of the possibility of introducing new up to date and important topics in the engineer formation, such as that of energy efficiency.

Key words: engineering education, sustainable engineering, environmental pollution

 

1 Técnico administrativo em educação: Engenheiro Civil do Campus Porto, Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). Mestre em Construção Civil; luiza.denardi@gmail.com
2 Professora do Campus de São Carlos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Doutora em Educação Científica e Tecnológica; leacrist@ufscar.br

 

Literatura Citada

ALLEN, D. T. et al. Sustainable engineering: a model for engineering education in the Twenty-First Century? Clean Technologies and Environmental Policy, Honolulu, v. 8, n. 2, p. 70-71, apr. 2006. doi

BATTERMAN, S. A. et al. Development and application of competencies for graduate programs in energy and sustainability. Journal of Professional Issues in Engineering Education & Practice, Reston, v. 137, n. 4, p. 198-207, 2011. 

BRASIL. Caixa Econômica Federal. Selo Casa Azul: Boas práticas para habitação mais sustentável. Brasília, DF, 2010b.

BRASIL. Casa Civil da Presidência da República. Lei n. 10.861, aprovada em 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 de abril de 2004. Seção 1. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.861.htm>. Acesso em: 25 out. 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES 11/2002, aprovado em 11 de março de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 de abril de 2002. Seção 1. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES112002.pdf>. Acesso em: 25 out. 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES 2/2007, aprovado em 18 de junho de 2007. Institui sobre carga horária mínima e procedimentos relativos à integralização e duração dos cursos de graduação, bacharelados, na modalidade presencial. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 de junho de 2007. Seção 1. Disponível em: <http://nova.fau.ufrj.br/uploads/64-teste.pdf>. Acesso em: 25 out. 2011.

BRASIL. Ministério de Minas e Energia. Etiquetagem em Edificações. Disponível em: <http://www.eletrobras.com/pci/main.asp?View={89E211C6-61C2-499A-A791-DACD33A348F3}>. Acesso em: 14 maio 2011b.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – INMETRO. Regulamento técnico da qualidade para o nível de eficiência energética edificações residenciais. Brasília, DF, 2010a.

CHAU, K. W. Incorporation of sustainability concepts into a Civil Engineering curriculum. Journal of Professional Issues in Engineering Education and Practice, Reston, v. 133, n. 3, p. 188-191, 2007. doi

CORDEIRO, J. S. et al. Um futuro para a educação em engenharia no Brasil: desafios e oportunidades. Revista de Ensino de Engenharia, Passo Fundo, v. 27, n. 3, p. 69-82, 2008. Disponível em: <http://www.upf.br/seer/index.php/ree/article/view/559>. Acesso em: 25 out. 2011.

FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI. Referencial técnico de certificação: edifícios habitacionais – processo AQUA. 2011. Disponível em: <http://www.processoaqua.com.br/pdf/RT-Edif%C3%ADcios%20habitacionais-V1-fevereiro2010.pdf>. Acesso em: 08 maio 2011.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Consulta aos Relatórios de Cursos. Disponível em: <http://enade.inep.gov.br/enadeResultado/site/relatorioDeCurso.seam>. Acesso em: 25 out. 2011b.

RUSSELL, J. S.; STOUFFER, W. B. Survey of the national Civil Engineering curriculum. Journal of Professional Issues in Engineering Education and Practice, Reston, v. 131, n. 2, p. 118-128, 2005. doi

SERRA, S. M. B.; CORDEIRO, J. S. Uma análise do curso de Engenharia Civil da UFSCar e sua relação com as DCN 11/2002 do MEC e com a resolução 1010/2005 do sistema CONFEA/CREA. In: CONGRESSO ENGENHARIA, 34. 2006, Passo Fundo. Anais... Passo Fundo: UPF, 2006. Disponível em: <http://www.dee.ufma.br/~fsouza/anais/arquivos/13_216_989.pdf>. Acesso em: 25 out. 2011.

WANG, Y. Sustainability in Construction Education. Journal of Professional Issues in Engineering Education and Practice, Reston, v. 135, n. 1, p. 21-30, jan. 2009. doi