crosscheckdeposited

Deus em Sartre: Má-Fé e Aspiração

DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2175-7747/pf.v5n1p17-44

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/PF/index 

downloadpdf

Siloe C. N. Erculino1

 

Resumo: Este artigo trabalha a relação entre a ideia de Deus e a filosofia sartriana com base em suas obras O Ser e o Nada e O Existencialismo é um Humanismo. De início, o texto mostra que, para o autor, a partir do momento em que Deus proporcionou liberdade aos homens, o divino deve ser colocado fora de questão, já que ele delega ao homem a responsabilidade por suas ações e valores. Dessa forma, a existência ou não de Deus é indiferente para a filosofia sartriana, entretanto, seu ateísmo não é gratuito, já que a inexistência de Deus é coerente com sua ontologia. Deus, como causa sui, não poderia ser consciência ou objeto – ele seria a síntese irrealizável entre os dois, a qual chamamos ser-em-si-para-si. Mas essa fusão é apenas uma projeção fracassada do homem, impossível de ser alcançada.

Palavras-chave: Sartre, liberdade, Deus, ateísmo

 

Rèsumé: Cet article travaille la relation entre l’idée de Dieu et la philosophie sartrienne basée dans ses oeuvres L’Être et Le Néant et L’existentialisme est un Humanisme. D’abord, le texte montre que, pour l’auteur, à partir du moment que Dieu a donné la liberté aux hommes le divine doit être placé hors de question, car il donne aux hommes la responsabilité de leurs actions et valeurs. Ainsi, l’existence de Dieu est indifférent à la philosophie de Sartre, cependant, son athéisme n’est pas gratuit, puisque l’inexistence de Dieu a cohérence avec son ontologie. Dieu, comme causa sui, ne pouvait pas être ni conscience, ni un objet – il serait la synthèse irréalisable entre les deux, que nous appelons l’être-en-soi-pour-soi. Mais cette fusion n’est qu’une projection échoué de l’homme, impossible à réaliser.

Mots-clés: Sartre, liberté, Dieu, l’athéisme

 

1 Licenciada em Filosofia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), mestranda pelo Programa de Pós-graduação em Filosofia da UFES e bolsista pela FAPES. Trabalhou a relação entre fenomenologia e ética em Sartre e atualmente pesquisa a psicanálise existencial sartriana

 

Literatura Citada

BARATA, André. “Ateu, humanamente ateu .” In XAVIER, Maria Leonor. A questão de Deus na História da Filosofia. Vol. I. Lisboa: Zéfiro, p. 649-658. 2008.

BORNHEIM, Gerd Alberto. Sartre: metafísica e existencialismo. 2 ed. São Paulo: Perspectiva, 1984.

ECKER, Diego. Fenomenologia da Consciência e Ontologia em Sartre, Dissertação apresentada ao Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Filosofia, da Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, 2010.

SANTOS, Fabio Marques. Jean Paul Sartre: A Concepção de Autonomia do Ser Distante de Deus a Partir do Ponto de Vista Sartreano, Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Filosofia da Faculdade de São Bento, São Paulo, 2010.

SARTRE, Jean-Paul. A Náusea. 7. ed. Rio: Nova Fronteira, 1983.

_____. A transcendência do ego. Lisboa: Colibri, 1994.

_____. As Moscas. 2. ed. Lisboa: Editorial Presença, 1965a.

_____. As palavras. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1964.

_____. Cahiers Pour une Morale. Éditions Gallimard, 1983.

_____. L’etre et Le Néant, Essai d’ontologie phénomélogique, Éditions Gallimard, 1943.

_____. L’existentialisme est un Humanisme, Éditions Gallimard,1996.

_____. O Diabo e o Bom Deus. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1965b.

_____. O Ser e o Nada: Ensaio de Ontologia fenomenológica. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

_____. O existencialismo é um humanismo. IN Col. Os pensadores, São Paulo: Nova Cultural, 1987.

SOUZA, Thana Mara, et al. O drama da existência: estudos sobre o pensamento de Sartre. São Paulo: Humanitas, 2003.