Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Perfil dos Participantes da Tenda de Prevenção à Hipertensão Arterial Sistêmica Comemorativa ao Dia Mundial da Saúde no Centro Universitário Metodista - IPA

DOI: http://dx.doi.org/10.15602/1983-9480/cmbs.v15n30p45-56

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ipa/index.php/EUM/index 

downloadpdf

Sara T. Rolim1, Cibele Prates2 & Lucila L. P. Gutierrez3

 

Resumo: A hipertensão arterial sistêmica é uma das maiores e mais importantes causas de mortalidade no mundo. Este estudo objetivou desenvolver uma atividade de cunho educacional e traçar o perfil de participantes da Tenda de prevenção à hipertensão arterial sistêmica no Centro Universitário Metodista IPA. Participaram da referida Tenda 90 indivíduos. Foram identificados os seguintes fatores de risco para a hipertensão arterial sistêmica: tabagismo (15,6%), consumo de bebida alcoólica (53,3%), sedentarismo (55,6%), obesidade (10%), 83,3% consideraram-se brancos, 64,4% apresentaram histórico de hipertensão arterial sistêmica na família e em relação à idade, houve uma variação entre 18- 79 anos. A classificação da pressão arterial dos sujeitos revelou que 72,2% demonstraram valores pressóricos considerados normais ou ótimos. O estudo denota a necessidade de conscientizar a população da prevenção da hipertensão arterial sistêmica, com medidas preventivas e mudança do estilo e vida, através de educação em saúde com a participação ativa dos indivíduos.

Palavras-chave: hipertensão arterial sistêmica, educação em saúde, extensão

 

Abstract: The systemic arterial hypertension is one of the greatest and most important causes of mortality in the world. This study aims to develop an activity of educational character and trace the profile of the participants of the SAH prevention Tent in University Center Methodist IPA. Participated in the said Tent 90 individuals. Were identified the following risk factors for systemic arterial hypertension: smoking (15.6%), consumption of alcohol (53.3%), sedentarism (55.6%), obesity (10%), 83.3% considered themselves white, 64,4% showed to have familiar history of systemic arterial hypertension and regarding age, there was a variation between 18 and 79 years. The classification of the blood pressure of the subjects revealed that 72.2% demonstrated pressure values considered normal or optimal. The study indicates need to raise public awareness of the prevention of systemic arterial hypertension, with preventive measures and lifestyle changing, through health education with the active participation of individuals.

Key words: systemic arterial hypertension, health education, extension

 

1 Discente do curso de Farmácia do Centro Universitário Metodista - IPA
2 Mestre, docente do curso de Enfermagem do Centro Universitário - IPA
3 3Doutora, docente do curso de Farmácia do Centro Universitário - IPA

 

Literatura Citada

ALVES, R. F. et al. Gênero e saúde: o cuidar do homem em debate. Psc.: teoria e prática, v.13, n.3, p.152-166, 2011.

AQUINO, M. DE A. Políticas de informação para inclusão de negros afrodescendentes a partir de uma nova compreensão da diversidade cultural. Inc. Soc., v.3, n.2, p.26-37, 2010.

BORGES, H. P.; CRUZ, N. DO C.; MOURA, E. C. Associação entre hipertensão arterial e excesso de peso em adultos, Belém, Pará, 2005. Arq. Bras. Cardiol., v.91, n.2, p.110-118, 2008. doi

CAMÕES, M.; LOPES C. Fatores associados à atividade física na população portuguesa. Rev. Saúde Pública, v.42, n.2, p.208-216, 2008. doi

CAPILHEIRA, M. F.; SANTOS, I. DA S. DOS. Fatores individuais associados à utilização de consultas médicas por adultos. Rev. Saúde Pública, v.40, n. 3, p.436-443, 2006. doi

CASTANHEIRA, M.; OLINTO, M. T. A.; GIGANTE, D. P. Associação de variáveis sócio-demográficas e comportamentais coma gordura abdominal em adultos: estudo de base populacional no Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública, v.19, n.1, p.555-565, 2003.

CECCIM, R. B. Educação permanente em saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface – Comunic., Saúde, Educ., v.9, n.16, p. 161-177, 2005.

CONVERSO, M. E. R.; LEOCÁDIO, P. L. L. DE F. Prevalência da hipertensão arterial e análise de seus fatores de risco nos núcleos terceira idade de Presidente Prudente. Rev. Cienc. em Extensão, v.2, n.1, p.13-23, 2005.

CORREIA, B. R.; CAVALCANTE, E.; SANTOS, E. DOS. A prevalência d fatores de risco para doenças cardiovasculares em estudantes universitários. Rev. Bras. Clin. Med., v.8, n.1, p.25-29, 2010.

COSTA, J. S. D., et al. Prevalência de Hipertensão Arterial em Adultos e Fatores Associados: um Estudo de Base Populacional Urbana em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Arq. Bras. Cardiol., v.88, n.1, p.59-65, 2006. doi

COTTA, R. M. M., et al. Perfil socciosanitário e estilo de vida de hipertensos e/ou diabéticos, usuários do programa de saúde da família no município de Teixeiras, MG. Ciênc. e Saúde Coletiva, v.14, n.4, p.1251-1260, 2009. doi

CRUZ, I. C. F. DA; LIMA, R. DE. Etnia negra: um estudo sobre a hipertensão arterial essencial (HAE) e os fatores de risco cardiovasculares. Rev. Enferm. UERJ, v.7, n.1, p.35-44, 1999.

DIAS-DA-COSTA, J. S., et al. Utilização de serviços ambulatoriais de saúde em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil: alguns fatores relacionados coma s consultas médicas acima da média. Cad. Saúde Pública, v.24, n.2, p.353-363, 2008. doi

FUCHS, F. D., et al. Prevalência da hipertensão arterial sistêmica e fatores associados na região urbana de Porto Alegre, estudo de base populacional. Arq. Bras. Cardiol., v.63, n.6, p.473-479, 1994.

GIGANTE, D. P.; MOURA, E. C.; SARDINHA, L. M. V. Prevalência de excesso de peso e obesidade e fatores associados, Brasil, 2006. Rev. Saúde Pública, v.43, n.2, p.83-89, 2009. doi

GODOY, I. Prevalência de tabagismo no Brasil: medidas adicionais para o controle da doença devem ser priorizadas no ano do pulmão. Jorn. Bras. Pneumol., v.36, n.1, p.4-5, 2010. doi

GUS, I.; FISCHMANN A.; MEDINA C. Prevalência dos Fatores de Risco da Doença Arterial Coronariana no Estado do Rio Grande do Sul. Arq. Bras. Cardiol., v. 78, n. 5, p. 478-483, 2002. doi

KNUTH, A. G. et al. Conhecimento de adultos sobre o papel da atividade física na prevenção e tratamento de diabetes e hipertensão: estudo de base populacional no Sul do Brasil. Cad. De Saúde Pública, v.25, n.3, p.513-520, 2009. doi

KUSHNIR, M. C. C.; MENDONÇA, G. A. S. Fatores de risco associados à hipertensão arterial em adolescentes. Jorn. de Pediatria, v.83, n.4, p.335-342, 2007. doi

LAGUARDIA, J. Raça, genética e hipertensão: nova genética ou nova eugenia?. Hist., Cienc., Saúde – Manguinhos, v.12, n.2, p.371-393, 2005. doi

LATERZA, M. C.; et al. Exercício físico regular e controle autonômico na hipertensão arterial. Rev. SOCERJ, v.21, n.5, p.320-328, 2008.

LIMA, C. T. DA S., et al. Hipertensão arterial e alcoolismo em trabalhadores de uma refinaria de petróleo. Rev. Panan. Salud Publica, v.6, n.3, p.185-191, 1999.

MACEDO, C. DE S. D., et al. Benefício do exercício físico para a qualidade de vida. Rev. Bras. de Ativid. Física, v.8, n.2, p.19-27, 2003.

MARTINS, I. S.; MARINHO, S. P. O potencial diagnóstico dos indicadores da obesidade centralizada. Rev. Saúd. Pública, v.37, n.6, p.760-767, 2003. doi

MARTINS, L. N., et al. Prevalência dos fatores de risco cardiovascular em adultos admitidos na unidade de dor torácica em Vassoura, RJ. Rev. Bras. Cardiol., v.24, n.5, p.299-307, 2011.

MASCARENHAS, C. H. M.; OLIVEIRA, M. M. L.; SOUZA, M. S. Adesão ao Tratamento no Grupo de Hipertensos do Bairro Joaquim Romão – Jequié/BA. Rev. Saúde Com., v. 2, n. 1, p. 30-38, 2006.

MION, D. Jr; PIERIN A. M. G.; GUIMARÃES A. Tratamento da Hipertensão Arterial – Respostas de Médicos Brasileiros a um Inquérito. Rev. Ass. Med. Brasil, v. 47, n.3, p. 249-254, 2001. doi

OLINTO, M. T. A. et al. Nível de intervenção para obesidade abdominal: prevalência e fatores associados. Cad. Saúd. Pública, v.22, n.6, p.1207-1215, 2006.

PASSOS, V. M. DE A.; ASSIS, T. D.; BARRETO, S. M. Hipertensão arterial no Brasil: estimativa de prevalência a partir de estudos de base populacional. Epidem. e Serv. de Saúde, v.15, n.1, p35-35, 2006.

PINHEIRO, R. S., et al. Gênero, morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde no Brasil. Ciênc. e Saúde Coletiva, v.7, n.4, p.687-707, 2002. doi

PITANGA, F. J. G.; LESSA, I. Prevalência e fatores associados ao sedentarismo no lazer em adultos. Cad. Saúde Pública, v.21, n.3, p.870-877, 2005. doi

RIBEIRO, E. S. R; CHEIK, N. C.; MAYER, A. F. Nível de atividade física e tabagismo em universitários. Rev. Saúd. Pública, v.42, n.4, p.672-678, 2008.

SANTOS, A. C.; LIMA, C. A. Hipertensão de difícil controle: impacto do estilo de vida. Rev. Bras. de Hiperten., v.16, n.1, p.5-6, 2009.

SILVA, L. V. E. R., et al. Fatores associados ao consumo de álcool e drogas entre estudantes universitários. Rev. Saúd. Pública, v.40, n.2, p.280-288, 2006. doi

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA.Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Rev. Bras. Hipertens., v.17, n.1, p.7-17, 2010.

SOUZA, G. F. DE; BRITO, J. R.; FREITAS, R. M. DE. Aspectos epidemiológicos de pacientes hipertensos no município de Banabuiú. Cad. da Escola de Saúde Pública, Ceará, v.4, n.1, p.31-37, 2010.

TRAVASSOS, C., et al. Utilização dos serviços de saúde no Brasil: gênero, características familiares e condição social. Rev. Panan. Salud Publica, v.15, n.5/6, p.365-373, 2002. doi

TRINDADE, I. S., et al. Prevalência da hipertensão arterial sistêmica na população urbana de Passo Fundo (RS). Arq. Bras. Cardiol., v.71, n.2, p.127-130, 1998. doi

TORRES, V. G.; ENDERS, B. C. Atividades Educativas na Prevenção da AIDS em uma Rede Básica Municipal de Saúde: Participação do Enfermeiro. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 7, n. 2, p. 71-77, 1999. doi

VIEBIG, R. S. et al. Perfil de saúde cardiovascular de uma população adulta da região metropolitana de São Paulo. Arq. Bras. Cardiol., v.86, n.5, p.353-360, 2006. doi