Купить СНПЧ А7 Архангельск, оперативня доставка

crosscheckdeposited

Individualismo e Identidade: Estabilizações e Fluxos na Construção da Pessoa entre Ritmistas de Escolas de Samba

DOI: http://dx.doi.org/10.15668/1807-8214/artemis.v17n1p84-95

http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/artemis 

downloadpdf

Lucas F. Bilate1

 

Resumo: Neste artigo procuro enfatizar como o processo de construção da identidade é enervado por esta tensão entre uma estabilidade/independência e uma instabilidade/contextualidade/relacionalidade. O foco no qual centro a análise sobre identidade está relacionado à sexualidade de ritmistas de escolas de samba cariocas. A especificidade desse processo entre ritmistas reside no fato de a construção de suas identidades ser intimamente relacionada aos instrumentos musicais. Defendo a ideia de que nesses universos as identidades (e, por consequência, as identidades sexuais) são feitas em relação aos/com os instrumentos. Suas identidades sexuais serão percebidas ora como estabilizações, ora como fluxos, dependendo do nível e contexto nos quais se colocam.

Palavras-chave: homossexualidade, identidade, construção da pessoa, escola de samba

 

Abstract: In this article I try to emphasize the ways in which the processes of identity building is enervate by the tension between stabilization/independence and instabilities/relationality. The focus in which my analysis is centered is about the sexuality of samba schools’ drummers in Rio de Janeiro. The particularity in these processes is that in these contexts the identities (and therefore sexual identities) are built in relation with/to the musical instruments. Their sexual identities will be understood both as stabilizations and fluxes, depending on the context their posed in.

Key words: homosexuality, identity, self construction, samba schools

 

1 Doutorando em Antropologia Social pelo PPGAS/ Museu Nacional/ UFRJ. E-mail: lucas_bilate@hotmail.com

 

Literatura Citada

BILATE, Lucas. (2013). Sociabilidade de Gênero em Baterias de Escolas de Samba no Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional/ UFRJ, Rio de Janeiro.

BRAH, Avtar. (2006). “Diferença, diversidade, diferenciação”. In: Cadernos PAGU: Revista semestral do Núcleo de Estudos de Gênero – PAGU Universidade Estadual de Campinas, n 26, p 329-376.

BUTLER, Judith. (2003). Problemas de Gênero: Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização brasileira.

CARRARA, Sérgio e SIMÕES, Júlio Assis. (2007). “Sexualidade, cultura e política: a trajetória da identidade homossexual masculina na antropologia brasileira”. In: Cadernos PAGU: Revista semestral do Núcleo de Estudos de Gênero – PAGU Universidade Estadual de Campinas, n. 28, p 65-99.

DÍAZ-BENÍTEZ, María Elvira.(2010). Nas Redes do Sexo: os bastidores do pornô brasileiro. Rio de Janeiro: Zahar.

DUARTE, Luiz Fernando Dias. (2011). “Geração, Fratria e Gênero: um estudo do mandato transgeracional e subjetivação”. In: Trivium, Estudos Interdisciplinares, n.3.

DUARTE, Luiz Fernando Dias. (2004). “A sexualidade nas Ciências Sociais: leitura crítica das convenções”. In: PISCITELLI, Adriana et. al. (orgs.). Sexualidade e Saberes: convenções e fronteiras. Rio de Janeiro: Gramond.

DUMONT, Louis. (2000). O Individualismo: uma perspectiva antropológica da ideologia moderna. Rio de Janeiro: Rocco.

ERIBON, Didier. (2008). Reflexões sobre a Questão Gay. Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

FLAUBERT, Gustave. (2004) [1875]. “Uma Alma Simples”. Três Contos. São Paulo: CosacNaify.

FRY, Peter. (1982). Para Inglês Ver: identidade e política na cultura brasileira. Rio de Janeiro: Zahar.

GUIMARÃES, Carmen Dora. (2004). O homossexual visto por entendidos. Rio de Janeiro: Gramond.

LOPES, Paulo Victor Leite. (2011). Sexualidade e construção de si em uma favela carioca: pertencimentos, identidades, movimentos. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional/ UFRJ, Rio de Janeiro, mimeo.

MUSIL, Robert. (2003) [1906]. O Jovem Törless. Rio de Janeiro/ São Paulo: O Globo/ Folha de S.Paulo.

NATIVIDADE, Marcelo. (2008). Deus me aceita como eu sou? A disputa sobre o significado da homossexualidade entre evangélicos no Brasil. Tese (Doutorado em Antropologia) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia/ UFRJ, Rio de Janeiro, mimeo.

NATIVIDADE, Marcelo & LOPES, Paulo V.L. (2009). “Os direitos das pessoas GLBT e as respostas religiosas: da parceria civil à criminalização da homofobia”. In: DUARTE, Luiz Fernando Dias...[et al.] (orgs.). Valores Religiosos e Legislação no Brasil: a tramitação de projetos de lei sobre temas morais controversos. Rio de Janeiro: Gramond.

OLIVEIRA, Leandro de. (2009). “Diversidade Sexual e trocas no mercado erótico: gênero interação e subjetividade em uma boate na periferia do Rio de Janeiro”. In: DÍAZBENÍTEZ, María Elvira e FIGARI, Carlos Eduardo (orgs.) Prazeres Dissidentes. Rio de Janeiro: Gramond.

STRATHERN, Marilyn. (2006). O Gênero da Dádiva: Problemas com as mulheres e problemas com a sociedade na Polinésia. Campinas: Ed. Unicamp.

VELHO, Gilberto. (1998). Nobres & Anjos: um estudo de tóxicos e hierarquia. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.